Seguir o O MINHO

Braga

Habitação, mobilidade e ambiente nas prioridades do Bloco de Esquerda para Braga

Eleições autárquicas

em

Foto: DR

A habitação surge no topo das prioridades da cabeça de lista do Bloco de Esquerda à Câmara de Braga, Alexandra Vieira, que também defende especial atenção para a mobilidade e as questões ambientais.

Em declarações à Lusa, Alexandra Vieira diz que vai lutar para ser a primeira eleita do BE com assento na Câmara de Braga, embora reconheça que o desafio não é fácil.

Para a candidata, é “imperioso” dotar o concelho de habitação pública para combater a especulação imobiliária, que torna “incomportáveis” os preços das casas ou os valores do arrendamento.

“Em Braga, praticamente não há habitação pública, à exceção dos bairros sociais. E a habitação pública é fundamental para pôr um freio num mercado que não tem regulação nenhuma. Quando a oferta de habitação pública é fraca, surge a especulação imobiliária, e é isso que está a acontecer em Braga”, refere.

Alexandra Vieira sublinha que, mais do que construção de nova habitação pública, a aposta deve passar pela reabilitação.

“A cidade já está muito saturada de construção, pelo que o Bloco defende que o caminho é reabilitar os muitos fogos que estão desocupados ou devolutos”, afirma.

Alexandra Vieira tem 54 anos, é professora de História e tem mestrado em Sociologia de Educação e Políticas Educativas.

É, desde as últimas legislativas, deputada na Assembleia da República, sendo também eleita do BE na Assembleia Municipal de Braga.

Diz ter muitas referências políticas, mas confessa especial admiração por Fernando Rosas e Francisco Louçã, ambos fundadores do Bloco.

Na candidatura à Câmara de Braga, coloca também a mobilidade no topo da lista de áreas a necessitar de intervenção. Defende o desenvolvimento de uma rede de transportes públicos “a sério” que seja capaz de convencer as pessoas a deixarem o automóvel em casa nas suas deslocações diárias para o trabalho.

“Hoje, os transportes coletivos não servem as necessidades de quem, para trabalhar, tem de se deslocar de e para Braga, Amares e Vila Verde. Não há maneira de se implementar um programa conjunto que articule, pelo menos, os transportes entre estes três municípios, que resolveria o problema do nó de Infias”, descreve.

A candidata acusa o atual executivo, presidido por Ricardo Rio, de ter “metido na gaveta” a promessa, feita há oito anos, de construção de 75 quilómetros de ciclovia: “As ciclovias são fundamentais para a mobilidade suave e têm de ser encaradas como estruturas determinantes para o transporte casa-trabalho, e não apenas como espaços para práticas de lazer.”

Alexandra Vieira aponta ainda as questões ambientais como prioritárias, no que diz ser um contraponto ao atual executivo, que acusa de “falta de atenção à criação de espaços verdes e à manutenção do arvoredo urbano”.

“Em Braga, mais facilmente se abate uma árvore do que se trata da árvore e dos espaços verdes”, critica.

Atualmente, a Câmara de Braga é constituída por sete eleitos da coligação PSD/CDS/PPM, três do PS e um da CDU.

O presidente da Câmara é, desde 2013, Ricardo Rio, que se vai recandidatar, desta vez com uma coligação que inclui também o Aliança.

As eleições autárquicas ainda não têm data marcada, mas por lei terão de decorrer entre 22 de setembro e 14 de outubro.

Populares