Seguir o O MINHO

Braga

Braga: Sapadores aperfeiçoam técnicas de desencarceramento

Formação para salvar melhor

em

Foto: DR

Operacionais da Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga receberam formação para salvar melhor, principalmente na área de desencarceramento de vítimas de acidentes de viação, cujo número e gravidade tem aumentado também no distrito de Braga, pelo que a rapidez e a delicadeza neste tipo de ações impõe-se cada vez mais no socorro às vítimas.

“Como Portugal possui atualmente uma taxa elevadíssima de mortalidade em acidentes rodoviários, do qual o distrito de Braga está em terceiro lugar na sinistralidade rodoviária, onde também existe um aumento de feridos graves”, impõe-se desse modo esta ação de formação contínua na Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga, em que vão sendo permanentemente atualizadas as mais recentes técnicas e métodos de desencarceramento.

Foto: DR

Foto: DR

Foto: DR

Foto: DR

Foto: DR

“É essa uma prioridade neste momento, do qual todos os agentes de proteção civil devem estar envolvidos e sincronizados, para que a qualidade do socorro seja cada vez a mais eficiente ao cidadão que necessita dos primeiros socorros, aquando de um acidente de viação”, segundo a organização do evento, cujo formador Rui Ribeiro, sendo a entidade responsável a Escola Nacional de Bombeiros e local o Quartel dos Bombeiros Sapadores.

Para a Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga, “a qualidade na formação para os seus operacionais tem sido a matriz ao longo dos últimos anos, sendo de salientar que que mais de metade do efetivo operacional possui já este Nível 2, ou seja, o master no que respeita a salvamento e desencarceramento”, já com mais ações de formação profissional.

Foto: DR

Foto: DR

Foto: DR

Foto: DR

Foto: DR

Foram testadas novas metodologias, onde se engloba o curso de Nível 2 (Chefe de Equipa de Salvamento e Desencarceramento), permitindo que estes operacionais estejam dotados “de um maior conhecimento, de novas ferramentas e obviamente que prestem cada vez mais um serviço, em que a possibilidade de garantir não só, a vida, mas também a sua qualidade é o grande desafio da Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga”, salienta.

Este curso só foi possível graças à generosidade da empresa Recife – Desmontagem de Veículos, sediada em Braga, que cedeu doze automóveis, utilizados para serem retalhados durante a ação e formação, que motivou bastante os Bombeiros Sapadores de Braga, tendo a Recife, também com instalações em Viana do Castelo, Chaves e Vila Real cedido vários automóveis para as ações formativas, nos distritos de Braga, Viana do Castelo e Vila Real.

Anúncio

Braga

Ciclista agredido por conhecido piloto de automóveis no trânsito em Braga

Junto à escola Carlos Amarante

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um ciclista, de 25 anos, queixa-se de ter sido agredido por um automobilista na sequência de uma altercação no trânsito, na Rua de Restauração, em São Víctor, cidade de Braga, esta segunda-feira à noite, apurou O MINHO junto de fonte dos bombeiros.

O alerta foi dado cerca das 20:00 desta segunda-feira, mobilizando para o local, junto à escola secundária Carlos Amarante, uma ambulância dos Bombeiros Sapadores de Braga.

Ao que apurámos, o alegado agressor é um conhecido piloto de automóveis de Braga, ícone do automobilismo nacional, com cerca de 30 anos de carreira.

Ao que tudo indica, os dois ter-se-ão desentendido após uma manobra no trânsito, com o automobilista a partir para as agressões.

O ciclista, que terá sofrido ferimentos ligeiros, foi assistido, estabilizado e transportado para o Hospital de Braga pelos bombeiros.

Até ao momento, o ciclista não apresentou queixa nas autoridades, estando ainda no hospital.

Continuar a ler

Braga

Reitor da UMinho critica “imensa demora” de resposta para alojamento académico

A universidade conta atualmente com quase 20 mil estudantes

em

O reitor da Universidade do Minho criticou esta segunda-feira a “enorme dificuldade” e “imensa demora” de resposta por parte do plano de alojamento para o Ensino Superior, adiantando que dois dos quatro edifícios candidatos a serem reconvertidos em residências universirtárias foram rejeitados.

As declarações de Rui Viera de Castro foram feita na sequência do Conselho Geral da Universidade do o alojamento estudantil.

De fora da candidatura à reabilitação de imóveis do Estado para residências estudantis universitárias ficam a antiga Escola Secundária D. Luís de Castro, em Braga, e o Convento Rosa Lima, em Guimarães.

“[É uma] situação profunda desagradável que temos sido remetidos pela enorme dificuldade e demora imensa na resposta por parte do plano de realojamento no Ensino Superior”, disse Rui Vieira de Castro sobre a retirada daqueles edifícios do plano para aumentar o alojamento estudantil no Minho.

Segundo o reitor, os dois imóveis “foram considerados não elegíveis, considerando que a intervenção ali não responderia aos requisitos que o fundo tem”.

Rui Viera de Castro referiu que sobraram apenas dois imóveis para converter em alojamento estudantil: “Os edifícios do Exército, em Braga, e a Escola de Santa Luzia, em Guimarães.

As residências universitárias da UMinho foram feitas em 1998 para um universo de 14 mil alunos, sendo que a universidade conta atualmente com quase 20 mil estudantes e que são muitas as queixas sobre a “falta e o preço” do alojamento para estudantes disponível.

A Universidade do Minho tem dois polos em funcionamento, um em Braga e outro em Guimarães, além do Instituto do Design, a funcionar também em Guimarães.

Continuar a ler

Braga

Os custos do Estádio Municipal de Braga ao detalhe

Disponibilizados pela autarquia

em

Foto: Divulgação

15 vezes mais o investimento feito no atual Altice Fórum Braga. 30 vezes mais o investimento no Mercado Municipal.

Estas são algumas comparações feitas pelo presidente da Câmara de Braga relativamente ao custo total do Estádio Municipal, acompanhadas de um relatório detalhado dos custos associados à construção daquela empreitada.

O pedido do detalhe das contas foi levado a cabo pela CDU, levando a que Ricardo Rio procurasse sistematizar e compilar todos os dados e cifras relativas aos custos associados à obra projetada aquando do Euro 2004.

O autarca disponibilizou o ficheiro informático com as despesas esta manhã, após reunião de executivo:

 

A esta verba, acrescerão os valores em pendência judicial, dos quais cerca de 11 milhões (relativos ao consórcio Soares da Costa / ASSOC) não são já passíveis de recurso, e os encargos financeiros a suportar até à liquidação total dos empréstimos bancários.

Continuar a ler

Populares