Seguir o O MINHO

Legislativas 2022

BE compromete-se a levar para as negociações medidas para pessoas com deficiência

Política

em

Foto: Twitter / Catarina Martins

A coordenadora do BE, Catarina Martins, criticou hoje que as medidas “mais simples de inclusão” para pessoas com deficiência não saiam do papel, comprometendo-se a levar estas questões para a mesa das negociações depois das eleições.

O BE começou o penúltimo dia de campanha das eleições de domingo com uma visita à Associação Portuguesa de Surdos, em Lisboa, para se inteirar dos principais problemas que enfrenta esta comunidade em Portugal, pretendendo dar visibilidade aos problemas desta comunidade.

“Não há ninguém em Portugal que deva ficar sujeitado a uma cidadania de segunda e, portanto, o compromisso do BE para com as pessoas com deficiência e para com as pessoas que, de alguma forma, são dependentes, é total”, assegurou Catarina Martins, em declarações aos jornalistas, após uma reunião na qual conheceu, com o auxílio de um intérprete de língua gestual portuguesa, os principais problemas que estas pessoas lidam todos os dias.

O BE, de acordo com a sua líder, não aceita que “as medidas mais simples de inclusão e de respeito pelas pessoas com deficiência e diversidade funcional fiquem sucessivamente também fechadas em gavetas”.

“Estamos aqui para dizer que toda esta gente que faz este país escolhe no domingo o caminho e o próximo Governo”, apelou, prometendo que as pessoas com deficiência não serão esquecidas.

Na reunião que os bloquistas esperam ter com o PS a seguir às eleições para negociar “um contrato para o país”, quem “tem sido esquecido estará nas mesas de negociações com a força que o Bloco tiver no domingo”.

“Essa será a força contra o esquecimento contra o que fica invisível. Todas as pessoas devem ser respeitadas no país e não aceitamos mais que fiquem invisíveis ou que as medidas prometidas nunca saiam do papel”, enfatizou.

Populares