Seguir o O MINHO

Ave

Autarca de Póvoa de Lanhoso deixa liderança da CIM do Ave

em

O presidente da Câmara de Póvoa de Lanhoso, Manuel Batista (PSD), disse esta terça-feira que deixou a liderança da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Ave em nome do “princípio da rotatividade”, passando a pasta ao seu homólogo de Guimarães.

“Numa altura em que estou a cumprir dois anos à frente da CIM, achei que devia imperar o princípio da rotatividade. Fui eu mesmo que propus essa rotatividade na reunião de ontem [segunda-feira] do Conselho Intermunicipal e a proposta foi aprovada”, afirmou Manuel Batista.

O autarca de Póvoa de Lanhoso garantiu que foi um processo “perfeitamente pacífico” e que o município que lidera se mantém “de pedra e cal” na CIM.

Para os vereadores do PS na Câmara de Póvoa de Lanhoso, a rotatividade é um “pretexto que não colhe”.

“Nunca houve rotatividade na presidência das CIM do Ave ou do Cávado, parece óbvio que este pretexto é uma falsa questão”, afirmou o socialista Frederico Castro, questionando se Batista terá saído por “cansaço” ou por estar “de candeias às avessas” com outros membros da comunidade intermunicipal.

“Na altura em que assumiu a presidência da CIM, Manuel Batista disse que isso significaria uma mais-valia enorme para Póvoa de Lanhoso. Por essa ordem de ideias, agora seria caso para dizer que, com a sua saída, o concelho terá muito a perder por ter atirado a toalha ao chão”, afirmou.

Para o PS, Manuel Batista “deve um esclarecimento” à Câmara de Póvoa de Lanhoso e à população do concelho, para “todos compreenderem” por que é que “abriu mão” de um compromisso que assumira há dois anos.

A liderança da CIM será agora assumida pelo presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança (PS).

A CIM é constituída pelos municípios de Cabeceiras de Basto, Fafe, Guimarães, Mondim de Basto, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Vila Nova de Famalicão e Vizela.

Na página da CIM na Internet, Manuel Batista é apresentado como presidente do Conselho Intermunicipal para o período entre 2013 e 2017.

 

Anúncio

Ave

Grupo belga compra empresa de Fafe dedicada ao alumínio

Empresa já notificou a Autoridade da Concorrência

em

Foto: Google Maps

A Corialis, grupo sediado em Lokeren, Bélgica, e que fornece sistemas de perfis de alumínio, notificou a Autoridade da Concorrência (AdC) da compra da industrial Lingote Alumínios, empresa que em 2017 foi comprada pela gestora de fundos de ‘private equity’ da Oxy Capital.

A operação de concentração, notificada na passada quinta-feira à AdC, e hoje publicada na página de internet, consiste na aquisição, pelo grupo Corialis, através da sua subsidiária integralmente detida, Aliplast, do controlo exclusivo da Lingote Alumínios, empresa criada em 1994 e sediada em Fafe que se dedica à extrusão de perfis de alumínio e respetivo revestimento industrial.

O grupo Corialis é controlado pela CVC Capital Partners SICAV-FIS, ativo no fornecimento de sistemas de perfis de alumínio, incluindo janelas, portas, elementos de correr, sistemas de telhado e estufas, divisórias e balaustradas.

Em novembro de 2017, a Oxy Capital notificou a Adc da compra da Lingore, através do fundo Oxy Capital Mezzanine Fund.

 

Continuar a ler

Ave

Armas e munições apreendidas a dois suspeitos de violência doméstica em Fafe

Suspeitos foram identificados

em

Foto: DR / Arquivo

A GNR apreendeu armas e munições nas residências de dois homens, de 51 e 83 anos, identificados pelos crimes de violência doméstica no concelho de Fafe, anunciou hoje aquela força.

Em comunicado, aquela força policial avança que o homem de 51 anos maltratou física e psicologicamente, durante 14 anos, a sua companheira, de 62 anos.

Foi cumprido um mandado de busca domiciliária, tendo sido apreendida uma caçadeira, uma pistola adaptada para calibre 6.35 e 35 munições de vários calibres.

No segundo caso, os militares apuraram que o suspeito, de 83 anos, durante a relação de 53 anos, maltratava física e psicologicamente a sua mulher, de 81 anos, bem como as três filhas, quando eram menores de idade.

Também através de um mandado de busca domiciliária foi apreendida ao suspeito uma caçadeira e 41 munições de vários calibres.

Ambos os homens foram constituídos arguidos e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Guimarães.

Continuar a ler

Guimarães

Capela da Senhora da Conceição é um património simbólico para Guimarães

Em Azurém

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Este domingo, 08 de dezembro, assinalaram-se as celebrações religiosas em honra de Nossa Senhora da Conceição com uma razão extra para celebrar, depois de concluída a primeira fase das obras de restauro da Capela Senhora da Conceição, em Azurém, com apoio da Câmara de Guimarães, num valor a rondar os 400 mil euros.

Domingos Bragança, edil, visitou o monumento classificado e assinalou a “valorização patrimonial” da Capela Senhora da Conceição, sendo um imóvel classificado de interesse público do século XVI que “encontrava-se num estado muito mau de conservação cuja recuperação poderia ser irreversível se não fosse efetuada esta intervenção, perante o estado de degradação em que se encontrava”.

Nesta primeira fase da obra registaram-se intervenções de montra no restauro dos telhados, paredes, a torre sineira e sacristia, num processo que demorou dois anos. Segundo padre Queirós de Carvalho, “houve uma intervenção de fundo e delicada ao nível de paredes e telhados, com a recuperação total do edifício do sacristão, com ligação à capelinha” destacando as intervenções no teto da nave, soalhos e sacristia.

O pároco registou a colaboração da autarquia na atribuição do subsídio. Para completar a recuperação total é necessário ainda a intervenção do azulejo, nos altares laterais, na tribuna e ainda a recuperação do orgão do século XVII.

Definido como património vimaranense, a recuperação da Capela Nossa Senhora da Conceição merece especial atenção da câmara. Domingos Bragança considera “fundamental” a continuidade da recuperação do património, e nesse sentido já foi concretizada uma candidatura ao programa comunitário Norte 2020 para assegurar o investimento em falta.

“Concretizou-se uma parte importante da obra, mas nem tudo está feito e esperamos uma decisão sobre a candidatura submetida ao programa Norte 2020 para dar seguimento à segunda fase das obras”, vincou.

Continuar a ler

Populares