Seguir o O MINHO

País

Articulação entre ferrovia e rodovia “é fundamental”, diz ministro

Plano de Recuperação e Resiliência

em

Foto: Facebook de Pedro Nuno Santos / Arquivo

O ministro das Infraestruturas disse hoje que a articulação entre a rede rodoviária e ferroviária “é fundamental”, durante a presentação da componente do Plano de Recuperação e Resiliência destinada às Infraestruturas, com investimentos previstos de 520 milhões de euros.

“É óbvio e evidente que a rodovia hoje funciona também como uma infraestrutura que complementa o investimento ferroviário que vamos fazendo. […] Esta articulação é fundamental, ela funciona bem”, afirmou o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.

Esta posição foi transmitida durante a apresentação da componente de Infraestruturas do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), na sede na Infraestruturas de Portugal (IP), em Almada, que contou também com a presença do primeiro-ministro, António Costa, e do ministro do Planeamento, Nelson de Sousa.

O presidente da IP, António Laranjo, apresentou o plano de investimentos nesta área, que preconiza 520 milhões de euros no total, em “projetos de investimento com dispersão geográfica muito abrangente, com caráter estratégico, mas de âmbito quase cirúrgico”, disse.

Do total previsto, 313 milhões destinam-se a investimentos em “‘missing links’ [ligações em falta] e aumento de capacidade da rede”, 65 milhões para ligações transfronteiriças e 142 para vias de acolhimento empresarial e acessibilidades rodoviárias”.

“O que propomos não é uma expansão significativa da rede rodoviária nacional nem do tráfego. […] Pretendemos, sim, uma melhor gestão da rede rodoviária fechando a malha, retirando veículos das zonas urbanas”, apontou o ministro das Infraestruturas.

Populares