Seguir o O MINHO

Alto Minho

António Barbosa: Vitória do PSD em Monção “era pretendida há quatro anos”

em

O presidente eleito em Monção (PSD) disse esta segunda-feira que a vitória nas eleições de domingo “era pretendida há quatro anos”, quando o partido ficou a três votos de conquistar o município onde o PS era poder há 20 anos.

“Esta era uma vitória que já era pretendida pelos monçanenses há quatro anos. Infelizmente, nessa altura tivemos uma derrota muito tangencial por três votos, mas durante os últimos quatro anos os monçanenses demonstraram que tinha chegado a altura de mudar. Isso percebia-se, todos os dias, no terreno e culminou, evidentemente, com uma vitória de Monção e do futuro de Monção”, afirmou na segunda-feira à Lusa o social-democrata António Barbosa.

De acordo com os dados da Direção Geral de Administração Interna (DGAI), em Monção, o PSD, liderado por António Barbosa, conquistou a presidência da câmara com 47,01% dos votos, garantindo quatro mandatos. O PS, que recandidatou Augusto Domingues, atingiu 43% e ficou com três vereadores no executivo.

Nos últimos quatro anos, o socialista Augusto Domingues governou em minoria a Câmara de Monção, que venceu por três votos, após falhado o entendimento com PSD e CDS-PP, maioritários no executivo que saiu das autárquicas de 2013.

O presidente agora eleito sublinhou que, “apesar da pesada derrota de há quatro anos, a equipa que o acompanha desde então sempre acreditou no projeto”.

“Acreditei até à última e, ontem [domingo] fomos retribuídos com uma grande vitória dos monçanenses e da confiança que depositaram em nós”, frisou.

António Barbosa destacou “a grande diferença” na governação que quer implementar em Monção e que passa pela forma como vai “lidar com as populações”.

A Lusa tentou contactar o atual presidente socialista de Monção mas sem sucesso.

Num comentário que publicou na sua página oficial no na rede social Facebook, Augusto Domingues referiu que “o povo decidiu e está decidido”.

“Temos que respeitar a decisão. Não é só quando nos serve que é boa. Ele é soberano. Foram 20 anos de dedicação à terra que amo. Assim ela continue a desenvolver-se. Porque mais importantes [do] que as quezílias políticas, são as pessoas e o seu bem-estar”, lê-se na publicação.

Naquele comentário, Augusto Domingues agradece o apoio de “toda a gente” que com ele colaborou, “na câmara, no partido e na comunidade”.

“Outros atores se seguirão e eu cá estarei para lhes transmitir a minha experiência. Assim eles a aceitem porque Monção está acima de tudo. Vou-me, mas a marca fica. Amigo Paulo, amiga Conceição, levantem a cabeça porque o futuro é vosso. Sois extraordinários”, afirma naquela publicação, onde se despede com um “até sempre” e “Viva Monção”.

Populares