Redes Sociais

Acordo judicial garante representação do Auto da Floripes

Alto Minho

Acordo judicial garante representação do Auto da Floripes

O “Auto da Floripes”, que se representa há mais de 200 anos no lugar das Neves, em Viana do Castelo, vai cumprir-se em agosto após o acordo judicial alcançado esta segunda-feira entre a comissão de festas e uma associação local.

Em causa está uma representação popular que todos os anos é feita na tarde de 5 de agosto, durante as festividades do lugar das Neves, comum a três freguesias, Vila de Punhe, Mujães e Barroselas, todas na margem esquerda do rio Lima, em Viana do Castelo.

Este ano, pela primeira vez, aquele que é considerado um dos momentos emblemáticos da romaria, estava em risco de não se realizar por divergências entre a comissão de festas e o “Núcleo Promotor do Auto da Floripes”.

A contestação chegou a tribunal em finais do mês de maio com a instauração, pela comissão de festas, de uma providência cautelar com a qual pretendia passar a ter “a exclusividade de promover, produzir, coordenar e representar” aquele auto.

A ação, movida contra o núcleo promotor e três dos seus elementos, visava ainda impedir que aquela associação representasse a peça a “qualquer título”.

Esta segunda-feira perante o juiz, e depois de quase três horas de negociações, as partes chegaram a acordo ficando a comissão de festas com a responsabilidade exclusiva da representação popular, durante as festividades daquele lugar ocorrem em agosto.

Durante o resto do ano, a peça de teatro popular poderá ser representada e divulgada pela comunidade local, onde se enquadra o Núcleo Promotor, entretanto constituído como associação cultural, legalmente instalada desde o passado dia 10 de junho.

À saída do tribunal, o presidente da comissão de festas, José Fernandes, manifestou-se “muito satisfeito” com o entendimento.

“A juíza deu-nos razão e quem vai promover o “Auto da Floripes” no dia 05 de agosto é a comissão de festas. A partir daí, é toda a comunidade que vai poder gozar do auto e não um grupo qualquer, individualmente”, sustentou.

Já para o presidente da associação “Núcleo Promotor do Auto da Floripes 05 agosto”, Pedro Rego, o acordo conseguido “veio demonstrar que a providência cautelar não fazia qualquer sentido”.

“O que faz sentido é aquilo que o Núcleo Promotor tem vindo a defender. Isto é, durante a romaria da Senhora das Neves a comissão de festas é a entidade organizadora por ser a responsável pelo programa festivo. Tirando o dia 05 de agosto, qualquer pessoa, entidade ou associação, pode promover e representar a peça porque ela é propriedade de toda a comunidade que compõe as freguesias de Barroselas, Vila de Punhe e Mujães”, explicou.

Pedro Rego adiantou que já em outubro, e como exemplo da divulgação que a associação tem vindo a realizar desde 2011, o “Auto da Floripes” vai ser promovido junto dos alunos do agrupamento de escolas de Barroselas.

“Para garantir a continuidade do “Auto da Floripes” é importante incutir o seu valor junto dos mais novos”, sublinhou.

O auto é levado à cena por cerca de 25 comediantes populares da região e baseia-se num episódio extraído da guerra entre o imperador Carlos Magno e o rei Turco Almirante Balaão, uma guerra entre cristãos e mouros, que os primeiros acabam por vencer.

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais Alto Minho