Redes Sociais

Vila Verde: Burlão “profissional” de Prado condenado a seis anos de prisão efetiva

Cávado

Vila Verde: Burlão “profissional” de Prado condenado a seis anos de prisão efetiva

Vendeu mata de pinheiros que não tinha e foi advogado sem nunca o ser. Este burlão “profissional” da Vila de Prado, concelho de Vila Verde, foi condenado a seis anos e oito meses de prisão efetiva.

Segundo a sentença do Tribunal Judicial de Braga, António Monteiro, de 61 anos de idade, já havia sido condenado por 14 crimes de burla, ao qual se juntaram agora mais dois crimes. Um por vender uma mata de pinheiros de que não era dono por 2100 euros, levando o proprietário da mata a prejuízos de mais de 20 mil euros.

Já outro crime aconteceu em Viana do Castelo, onde António Monteiro fez-se passar por advogado de casos “difíceis”.  Segundo o tribunal, este burlão convenceu um homem que estava em prisão preventiva, Vitor Santos, a dar-lhe 10 mil euros para conseguir resolver o caso.

Mas António Monteiro não resolveu nada e a vítima perdeu todos os prazos para tentar conseguir ficar em liberdade à espera de julgamento.

O coletivo de juízes, que condenou António Monteiro, teve em consideração as anterior 14 condenações, como falsificação de moeda, desobediência, cheques falsos e abuso de confiança, para condenar a prisão efetiva este vila-verdense.

Mais Cávado