Seguir o O MINHO

Canoagem

Viana do Castelo participa no meeting anual da World Surf Cities Network

em

Foto: Divulgação

As cidades membro da rede internacional World Surf Cities Network (WSCN) realizaram o seu meeting anual entre 11 e 15 de outubro último. Viana do Castelo, membro desta rede desde 2014, também esteve representada em Arica, no Chile, a par de outros parceiros unidos pelo interesse comum de melhorar a competitividade local através do surf.

Neste evento, estiveram em destaque a partilha de experiências e de boas práticas, bem como a definição de estratégias futuras.

Esta rede é composta por doze cidades de surf da Europa, América, África e Oceânia. Tem como objetivos base: melhorar o posicionamento das cidades membro da rede como destino do turismo de surf; promover a criação de novas empresas locais ligadas ao surf; e aprimorar, de forma cooperativa, a definição e implementação de estratégias locais para o desenvolvimento do setor.

A agenda deste meeting centrou-se na assembleia geral da WSCN e em duas conferências internacionais, sendo uma delas de negócios com empresas locais, nacionais e internacionais ligadas ao “cluster” do surf. Isto porque a identificação de empresas e de entidades ligadas a esta modalidade, em cada uma das cidades membro, foi considerada importante para impulsionar a colaboração empresarial no desenvolvimento de projetos ao nível internacional.

“É importante promover o intercâmbio de experiências, de boas práticas e de projetos de colaboração do surf, pois cada cidade tem uma especialidade a partilhar”, disse Jokin Arroyo Uriarte, representante da Surf City Donostia (San Sebastian).

Por exemplo, Gold Coast, na Austrália, tem o valor económico do surf; Durban, na África do Sul, destaca-se pelos seus programas de inserção social através do surf; Santos, no Brasil, é líder de programas de surf adaptado; A Ericeira, no município de Mafra, é atualmente a segunda reserva mundial de surf; e Viana do Castelo é pioneira com o programa “Náutica nas Escolas” e o Centro de Alto Rendimento de Surf, uma referência internacional.

Mafra e Viana do Castelo compuseram a comitiva portuguesa. A ciade minhota esteve representada por Ricardo Passos, técnico de desporto da Câmara Municipal de Viana do Castelo, e por João Zamith, presidente do Surf Clube de Viana.

Esta reunião também marcou a adesão à rede de Huanchaco, no Perú, à qual todos os membros ofereceram o seu conhecimento e a sua experiência.

“Uma cidade de surf é uma área urbana onde o surf, a cultura de surf e o emprego nas indústrias em torno do setor de surf constituem uma parte significativa da base económica, social e cultural da cidade e onde existe uma indústria de surf formalmente reconhecida pelos governantes da cidade”.

Anúncio

Canoagem

Fernando Pimenta é atleta do ano 2019

Gala dos Campeões

em

Foto: DR / Arquivo

Fernando Pimenta é o atleta do ano 2019 para a Federação Portuguesa de Canoagem (FPC), depois de se ter destacado com títulos nacionais, internacionais e o apuramento individual e coletivo para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020, foi hoje anunciado.

Em 2019, o limiano foi campeão do mundo em velocidade, no campeonato disputado na Hungria. Venceu também duas medalhas de bronze, em K1 1.000 metros e K1 5.000 metros, também na mesma competição.

Fernando Pimenta medalha de prata nos II Jogos Europeus

Teve participação de destaque nos Jogos Europeus de Minsk, realizados na Bielorrússia, vencendo a prata em K1 1.000 metros e K1 5.000 metros.

Para além do galardão entregue a Fernando Pimenta, outros premiados serão conhecidos durante a gala, como é o caso da atleta do ano em feminino, a equipa do ano, a promessa do ano e o treinador do ano.

A cerimónia vai contar com João Paulo Rebelo, secretário de Estado da Juventude e Desporto, para além do presidente da Associação Europeia de Canoagem, Albert Woods.

A gala marca ainda uma homenagem aos canoístas portugueses que participaram em campeonatos europeus e mundiais, cerca de 100.

No que diz respeito a equipas, o Clube Náutico de Ponte de Lima, clube mais pontuado a nível nacional, será alvo de homenagem em fundo e velocidade, assim como o Clube Náutico de Prado, na vertente Maratona, e o Darque Kayak Clube, na vertente Slalom Esperanças.

A Gala dos Campeões da FPC decorre no próximo sábado, no Teatro Académico Gil Vicente.

Continuar a ler

Canoagem

Taça Ibérica de slalom este fim de semana em Vila Nova de Cerveira

Centena e meia de canoístas

em

Foto: DR / Arquivo

Uma centena e meia de canoístas em representação de 14 clubes portugueses e espanhóis vão disputar este fim de semana a 11.ª edição da Taça Ibérica de slalom, em Cerveira.

O evento não vai contar com a participação de Antoine Launay, o único canoísta que até agora garantiu, em K1, a vaga nas águas bravas portuguesas para Tóquio2020, pois está a desenvolver um trabalho individual com o técnico nacional, o espanhol Pedro Guerreiro.

O olímpico José Carvalho, nono em C1 no Rio2016, vai ganhar ritmo em Cerveira para os Europeus de maio, em Londres, nos quais vai disputar a única vaga continental ainda em disputa.

O percurso no Rio Coura é constituído por um percurso de 150 metros num plano de água de corrente forte, com obstáculos naturais e portas de grau II e III.

Em simultâneo com o evento, decorre a Taça de Portugal que vai juntar 53 canoístas e 75 embarcações de seis clubes, nomeadamente a Associação Desportiva de Amarante, o Clube Náutico Barquinhense, o Águas Bravas Clube, o Darque Kayak Clube, a AMAS de Vizela e Aventura Marão Clube.

Em 28 e 29 de março vão ter lugar os campeonatos nacionais, em Vizela.

Continuar a ler

Canoagem

Família da canoagem une-se segunda-feira para recuperar CAR de Montemor-o-Velho

Mau tempo

em

cheias Mondego Montemor
Foto: Federação Portuguesa de Canoagem

A limpeza e início da recuperação do Centro de Alto Rendimento (CAR) da canoagem, em Montemor-o-Velho, inundado pelas cheias no Mondego, vai principiar segunda-feira, reunindo a ‘família’ da modalidade.

“A nossa casa, a casa da canoagem, o CAR de Montemor-o-Velho, vai voltar a ser o que era, para receber os nossos atletas e os nossos clubes. Apelo à participação de todos para que a normalidade seja reposta, sem colocar em causa a preparação dos atletas, em ano de Jogos Olímpicos”, refere, em comunicado, o presidente da federação, Vítor Félix.

Será às 10:00 que dirigentes, atletas, treinadores, funcionários, colaboradores, familiares e amigos se vão juntar para iniciar o processo de restabelecimento da normalidade no CAR, submerso pelas águas que chegaram a atingir dois metros dentro do enorme hangar.

A solidariedade estende-se à federação de triatlo que vai unir-se à iniciativa, que conta com o apoio da autarquia, gestora da infraestrutura, bem como dos comités olímpicos e paralímpicos de Portugal e a Fundação do Desporto.

“É nos maus momentos que nos devemos juntar e é nestes momentos que necessitamos do auxílio de todos. O melhor ainda está para vir e não temos dúvida nenhuma que 2020 será um grande ano para a canoagem”, acrescentou o dirigente.

O Centro de Alto Rendimento ficou submerso por uma camada de cerca de dois metros de água, estando ainda a ser avaliados os prejuízos materiais para a federação de canoagem – sobretudo com o ginásio e caiaques – e autarquia.

A canoagem é a modalidade lusa com mais qualificados para Tóquio2020, com seis na pista e um no slalom, nomeadamente Fernando Pimenta, Emanuel Silva, João Ribeiro, Messias Baptista, David Varela e Teresa Portela, bem como Antoine Launay nas águas bravas.

Em maio, na Alemanha, na fase de apuramento continental, a seleção vai procurar acrescentar vagas em K1 e K2 500 femininos, K1 200 e C1 2000 masculinos, além de tentar voltar a levar José Carvalho à prova olímpica de C1 no slalom, na qual foi nono no Rio2016.

Fernando Pimenta e Emanuel Silva conquistaram o único pódio da canoagem portuguesa em Jogos Olímpicos, com a prata em K2 1000 em Londres2012.

Continuar a ler

Populares