Seguir o O MINHO

Região

Urso-pardo terá sido avistado no Gerês

em

Urso-pardo. Foto: Ilustrativa

Uma fotografia partilhada no Facebook por Carlos Aguiar, professor da Escola Superior Agrária de Bragança, esta terça-feira, mostra aquilo que serão pegadas de um urso-pardo, na zona da serra do Barroso, no Gerês, animal que desapareceu da região há 175 anos.


“Confirmada a presença de ursos (Ursus arctos) divagantes no Barroso (norte de Portugal)”, escreve o docente daquela escola, que diz que a fotografia foi tirada por um primo e a “identificação foi confirmada por especialistas”.

À TVI, o familiar do professor afirma mesmo ter ali avistado o urso-pardo.

“Vi ali naquela esquina um animal muito grande, a andar com as quatro patas. Mas um animal muito grande. (…) quando ele vem virado às colmeias é que lhe vi o focinho e era um urso”, relatou.

Desde 1843 que o urso-pardo não existe no Gerês, altura em que o último exemplar foi morto pela população local.

A informação da presença do animal ainda não foi confirmada oficialmente.

O urso-pardo, recorde-se, ainda existe em Espanha, nomeadamente na zona de Zamora, do outro lado da fronteira com o distrito de Bragança. Por isso, caso se confirme a presença na região, a mesma deverá ser temporária.

Anúncio

Viana do Castelo

Viana do Castelo aprova orçamento de 114 milhões para 2021

Economia

em

A maioria PS na Câmara de Viana do Castelo aprovou hoje o Plano de Atividades e Orçamento (PAO) para 2021, no valor de 114 milhões de euros, com as abstenções do PSD e da CDU.

Na apresentação do documento, o presidente da Câmara da capital do Alto Minho disse tratar-se do “maior orçamento de sempre”, sendo que, do valor total, 108,2 milhões de euros são orçamento da autarquia e 5,9 milhões dos Serviços Municipalizados de Viana do Castelo.

“Este Plano de Atividades e Orçamento é marcado por duas matrizes. Por um lado, o combate à pandemia, afetando verbas suficientes para prevenção da doença durante o primeiro semestre de 2021, com incentivos à economia e reforço de apoios às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPPS)”, referiu José Maria Costa.

Como segunda matriz do documento, o autarca socialista apontou a “recuperação da economia” com uma “forte aposta no investimento”.

“O orçamento tem um plano de investimentos muito forte, decorrente a conjugação de três instrumentos financeiros, o atual e o novo quadro comunitário de apoio, que começa já no dia 01 de janeiro de 2021, e a chamada bazuca, o Plano de Recuperação e Resiliência”, adiantou.

“Temos de aproveitar bem os financiamentos comunitários para consolidar as infraestruturas de apoio às populações nas áreas social, de saúde, habitação no abastecimento e saneamento básico”, reforçou.

O documento “tem em consideração o facto de as transferências provenientes do Orçamento de Estado terem aumentado, atingindo em 2021 os 19,9 milhões de euros”.

Já os fundos comunitários e os contratos programa atingem uma verba de 8,5 milhões no próximo ano.

José Maria Costa salientou ainda que a autarquia vai estar “muito focadas nos indicadores ambientais, com a consolidação das redes de água e saneamento, eficiência hídrica, recolha de resíduos sólidos”, entre outros.

Os dois vereadores do PSD, Cristina Veiga e Hermenegildo Costa, justificaram a abstenção com a “situação excecional” causada pela pandemia de covid-19.

Na declaração de voto que apresentaram destacam “a reformulação ou acréscimos de atividades, traduzidas em medidas de mitigação dos efeitos da atual pandemia”.

“Se não fosse as circunstâncias que vivemos, votaríamos contra”, reforçou a vereadora social-democrata, Cristina Veiga.

A abstenção foi também o sentido de voto da vereadora da CDU, Cláudia Marinho.

“A CDU abstém-se no Plano de Atividades e Orçamento da CMVC para 2021, ressalvando que só não votamos contra pois nas GOP é focado como primeiro objetivo fundamental o apoio às populações”, destaca a declaração de voto apresentada.

Na reunião camarária de hoje foi ainda aprovada, com a abstenção do PSD, a contratação de um empréstimo de 2,9 milhões de euros para investimentos a concluir até 2022.

No final da sessão, e questionado pelos jornalistas, José Maria Costa disse que a dívida da autarquia é “sustentável”.

“A capacidade de endividamento da Câmara de Viana do Castelo é ainda de 60 milhões de euros. A situação financeira é estável e de grande capacidade de endividamento, ainda, que está de reserva para uma emergência que possa surgir no futuro”, referiu.

Continuar a ler

Braga

Governo cumpre promessa e constrói passeios onde homem foi atropelado em Vila Verde

Obras públicas

em

Foto: DR

O projeto de requalificação do troço da Estrada Nacional 101 que atravessa o concelho de Vila Verde, tinha deixado de fora a construção de passeios e a realização de ordenamento de estacionamento na zona comercial da freguesia da Loureira, para desespero dos habitantes e Junta de Freguesia que há muito reivindicam intervenção.

Esta quinta-feira, a Junta da Loureira anunciou que a Infraestruturas de Portugal avançou hoje com o comunicado de que os almejados passeios vão ser construídos, assim como lugares ordenados de estacionamento junto aos estabelecimentos comerciais.

Recorde-se que no passado dia 29 de outubro, O MINHO noticiou o anúncio da requalificação da EN 101, apontando queixas do autarca da Loureira por não ter sido incluída a obra prometida na freguesia.

Vila Verde: Pediu passeios, mas morreu atropelado. Ministro prometeu, mas não cumpriu

Naquele lugar, considerado perigoso tanto por peões como por automobilistas, morreu, a 09 de janeiro de 2018, Francisco Gomes, um professor respeitado na comunidade e que há vários anos se batia junto de diferentes poderes para que fossem criados passeios. Acabou por falecer sem que se visse o sonho cumprido.

A tragédia, ocorrida mesmo à porta de casa do malogrado, fez com que vários movimentos se juntassem para reclamar maior segurança para o local. O então ministro das Infraestruturas, Pedro Marques, entretanto eleito eurodeputado, ouviu as reclamações e levou o assunto ao Governo, ordenando-se a instalação de uma nova rotunda para acalmar a velocidade do trânsito, algo que aconteceu e, efetivamente, criou um pouco mais de segurança em termos de velocidade dos veículos. Agora, e após mais de um ano de interregno, anuncia-se assim a conclusão dos desejos dos loureirenses.

Para além desta intervenção na freguesia de Loureira, está ainda programada a inclusão de uma nova rotunda em Soutelo, junto à Ponte do Bico (que liga Amares, Vila Verde e Braga) e uma caixa de saída em Gême, junto a um parque industrial, no acesso ao Norte do concelho.

Continuar a ler

Braga

Concelho de Braga com mais dois óbitos associados à covid-19

Covid-19

em

Foto: DR

O concelho de Braga regista hoje 1.464 casos ativos de covid-19, mais 49 do que ontem, data do último balanço publicado por O MINHO.

Apesar da descida, o município contabiliza agora 7.152 casos desde o início da pandemia, mais 217 desde quarta-feira.

Estes números foram apurados pelo nosso jornal junto de fonte local da saúde às 17:30 desta quinta-feira.

Há ainda mais 166 doentes curados desde ontem, totalizando 5.590 recuperações desde o início da pandemia.

Há 98 óbitos a lamentar, mais dois desde ontem.

Por fim, estão 1.891 pessoas em vigilância ativa, menos 145 do que na quarta-feira.

Continuar a ler

Populares