Seguir o O MINHO

País

Um em cada seis portugueses com mais de 50 anos vive com insegurança alimentar

Segundo estudo realizado por investigadores do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto

em

Foto: DR/Arquivo

Um em cada seis adultos portugueses com mais de 50 anos vive num agregado familiar com insegurança alimentar, avança hoje um estudo realizado por investigadores do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto.

Em declarações à agência Lusa, a investigadora Isabel Maia explicou que o estudo, publicado na revista Food and Nutrition Bulletin, visava compreender a “prevalência e os determinantes” da insegurança alimentar, assim como “as suas consequências”.

A insegurança alimentar pode descrever-se como o “acesso limitado” ou “incerto”, devido a restrições económicas, a alimentos nutricionalmente adequados para uma alimentação saudável e diária.

Para determinar este índice, os investigadores recorreram a dados da coorte EPIPorto (um estudo populacional do ISPUP que avalia há 20 anos, os determinantes de saúde da população adulta que reside no Porto), sendo que nesta investigação participaram 604 indivíduos, com idades entre os 50 e 90 anos.

“Aquilo que pretendemos estudar foi este período do ciclo de vida em que é a meia-idade e os adultos idosos, ou seja, quisemos perceber o quão suscetíveis estavam em insegurança alimentar num período caracterizado pela melhoria de alguns indicadores sociodemográficos, como a taxa de desemprego, ou seja, um período de recuperação da crise económica que Portugal atravessou”, avançou.

Segundo a investigadora, este estudo permitiu concluir, com base numa “série de questões”, que 16,6% dos indivíduos pertenciam a um agregado familiar em que existia insegurança alimentar.

Além desta prevalência, os investigadores também analisaram quais as “características sociodemográficas” que mais se associavam ou estavam relacionadas com a insegurança alimentar.

“Aquilo que nós verificámos foi que as mulheres, os indivíduos que tinham menor escolaridade, os que não eram casados, os indivíduos que tinham uma perceção do rendimento do agregado familiar como insuficiente e aqueles com profissões menos qualificadas apresentavam maior risco de insegurança alimentar”, salientou.

À Lusa, Isabel Maia disse que esta investigação poderá ser bastante “importante”, uma vez que, ao evidenciar quais são as populações mais vulneráveis à insegurança alimentar, pode servir de suporte científico para decidir estratégias.

“Realçamos que são necessárias medidas para que possamos melhorar o estado de segurança alimentar dos indivíduos face aos números que foram encontrados neste estudo”, concluiu.

A investigadora adiantou ainda que o objetivo do grupo passa agora por “continuar a estudar a insegurança alimentar”, nomeadamente quais as suas consequências e qual a sua prevalência nas crianças.

Anúncio

País

Três mortos em despiste que envolveu carro da GNR na A42, no Porto

Na A42

em

Foto: Mónica Quintela

Três pessoas morreram e outras três ficaram com ferimentos na sequência de um despiste, seguido de abalroamento, esta tarde de domingo, na A42, entre Porto e Paços de Ferreira.

Segundo dá conta o Jornal de Notícias, uma viatura da GNR terá sido abalroada por um carro quando estava a registar um outro acidente ocorrido no mesmo local, naquela autoestrada.

O militar acabou por sofrer ferimentos fatais, assim como uma jovem de 20 anos, que seguia no carro que entrou em despiste. Uma terceira vítima acabou por morrer já na unidade hospitalar, avança o jornal A Verdade. Era o condutor do reboque que procedia à recolha de uma viatura sinistrada.

Foto: Mónica Quintela

O acidente ter-se-à dado no troço que atravessa Paços de Ferreira, levando ao corte temporário da A42. Das três vítimas que sobreviveram, há duas em estado grave que inspiram cuidados médicos rigorosos.

No local estão as equipas das viaturas médicas de emergência e reanimação dos hospitais do Vale do Sousa, Pedro Hispano e São João e ainda a viatura de suporte imediato de vida de Santo Tirso, para além de bombeiros de várias corporações. O alerta foi dado pouco depois das 16h30.

(Notícia atualizada às 17h59 com a informação de uma terceira vítima mortal)

Continuar a ler

País

PSD: Concelhia de Gaia apoia recandidatura de Rui Rio à liderança do partido

Eleições diretas

em

Foto: Divulgação / PSD

A concelhia do PSD Gaia anunciou hoje que apoia a recandidatura de Rui Rio à presidência do partido nas eleições diretas de janeiro, considerando-o “a opção que melhor serve os interesses de Portugal”.

Esta estrutura, que reivindica para si o estatuto de maior concelhia social-democrata do país, defendeu, num comunicado assinado pelo seu presidente, Cancela Moura, que o partido necessita de uma “mudança de paradigma, para devolver a credibilidade à vida pública e trazer, de novo, a esperança às escolhas eleitorais dos portugueses” e, nesse sentido, Rui Rio é o “que melhor está colocado para atingir esse desiderato”.

“Este é um momento de grande importância para o país, onde o PSD tem de protagonizar uma estratégia de oposição séria, ainda mais firme e construtiva, que privilegie sempre, e de forma mais intensa, o interesse nacional”, referiu, em comunicado, a comissão política do PSD Gaia.

As eleições diretas para a escolha do presidente do PSD foram agendadas para 11 de janeiro e o congresso nacional realiza-se entre 07 e 09 de fevereiro, em Viana do Castelo.

Até ao momento, há três candidatos: Rui Rio, o atual presidente; Luís Montenegro, ex-líder parlamentar; e Miguel Pinto Luz, vice-presidente da câmara de Cascais, distrito de Lisboa, que afaz a apresentação oficial da sua candidatura na segunda-feira em Lisboa.

Continuar a ler

País

GNR deteve 49 pessoas em 12 horas, a maioria por condução sob efeito do álcool

Prevenção rodoviária

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

A GNR deteve 49 pessoas, a maioria por condução sob efeito do álcool (31), entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje em operações efetuadas para fiscalização rodoviária e prevenção e combate à criminalidade.

Segundo adianta a GNR, durante as ações, desenvolvidas em todo o país, foram ainda detidas oito pessoas por condução sem habilitação legal, duas por tráfico de droga e duas por posse de arma proibida.

Em matéria de apreensões, a GNR confiscou 24 doses de MDMA, duas armas brancas e 2.975 euros em numerário.

Quanto ao trânsito, a GNR detetou 541 infrações, das quais se destacam 314 por excesso de velocidade e 71 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei.

Foram também detetadas 42 infrações por falta de inspeção periódica obrigatória, 24 por infrações relacionadas com iluminação e sinalização e 19 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório.

Registadas foram igualmente 12 infrações por uso indevido do telemóvel no exercício da condução e cinco por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças.

No capítulo da sinistralidade rodoviária, a GNR contabilizou 31 acidentes e dois feridos ligeiros.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares