Seguir o O MINHO

Futebol

“Temos um respeito enorme pelo Vitória”

Dérbi do Minho

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O treinador do SC Braga, Carlos Carvalhal, disse hoje que não há favoritos para o dérbi minhoto de domingo, no terreno do Vitória SC, da quinta jornada da I Liga de futebol.


“Não há favoritos em dérbis em nenhuma parte do mundo, será 50/50 [por cento de hipóteses para cada uma das equipas]. O Vitória tem o seu potencial, vai ser um jogo difícil para as duas equipas, não estamos minimamente embalados ou adormecidos, temos de ser firmes e determinados para vencer. Com respeito pelo Vitória, vamos tentar fazer aquilo para o que esta equipa está formatada: para ganhar”, disse.

Os bracarenses vêm de uma vitória para a Liga Europa (3-0 ao AEK Atenas), na quinta-feira, mas Carlos Carvalhal entende que um eventual cansaço é, por vezes, uma questão mais mental, admitindo, contudo, poder fazer alterações na equipa se algum jogador não recuperar.

“Há uma coisa que aprendi em Inglaterra, muito do cansaço é por se pensar que se está cansado, por se falar muito no assunto, lá não se fala nisso. Um jogador inglês não compreende porque, três dias depois, o treinador não o põe a jogar. Culturalmente, desde pequeno, está habituado a ver os seus ídolos a jogar de três em três dias”, disse.

João Henriques substituiu Tiago Mendes no comando técnico do Vitória há menos de duas semanas, mas, para Carlos Carvalhal, nesse curto período de tempo, “quando existe um treinador novo, há diferenças até na escolha dos jogadores ou na forma como a equipa se apresenta”.

“Temos um respeito enorme pelo Vitória, é um dérbi, analisámos bem o adversário, os seus pontos fortes e fracos, queremos fazer um bom jogo e dar continuidade ao que temos feito, jogar bem e abordar o jogo de forma positiva, não temos razões para não o fazer”, disse.

Será o primeiro ‘dérbi’ de Carvalhal como treinador do Sporting de Braga e, depois de ter cometido a “asneira” de desvalorizar um Sheffield United – Sheffield Wednesday, Carlos Carvalhal reconhece que, embora “na sua essência, os jogos são todos iguais”, nos dérbis “há sempre um lado emocional, mesmo sem adeptos”.

“Ansiedade? Depois de um Freamunde – Paços de Ferreira, um Sporting – Benfica, um Besiktas – Galatasaray ou um Sheffield Wednesday – Leeds, temos sempre um fervilhar para todos os jogos, mas já são alguns anos” como treinador, disse.

Sporting de Braga, sexto classificado, com seis pontos, e Vitória de Guimarães, quinto, com sete, defrontam-se a partir das 20:00 de domingo, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, jogo que será arbitrado por Fábio Veríssimo, da associação de Leiria.

Anúncio

Futebol

Funeral de Vítor Oliveira realiza-se quinta-feira em Matosinhos

Óbito

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

As cerimónias fúnebres de Vítor Oliveira, treinador com vasta experiência no futebol português, que morreu no sábado, aos 67 anos, decorrem na quinta-feira, em Matosinhos, confirmou à Lusa fonte da família.

O corpo do ex-treinador e jogador vai estar em câmara ardente no Tanatório de Matosinhos às 13:00, três horas antes do funeral, que acontecerá com algumas restrições no cemitério de Matosinhos, concelho onde nasceu o reconhecido ‘rei das subidas’.

Vítor Oliveira, detentor de 11 promoções ao principal escalão e seis títulos em 18 participações na II Liga, morreu no sábado, aos 67 anos, depois de sentir uma indisposição enquanto caminhava na zona de Matosinhos.

Há cinco clubes do Minho na I Liga. Vítor Oliveira treinou-os a todos

Durante mais de três décadas, entre 1978 e 2020, comandou Famalicão, Portimonense, Maia, Paços de Ferreira, Gil Vicente, Vitória SC, Académica, União de Leiria, SC Braga, Belenenses, Rio Ave, Moreirense, Leixões, Trofense, Desportivo das Aves, Arouca, União da Madeira, Desportivo de Chaves e Paços de Ferreira.

Na condição de jogador, o ex-médio vestiu as camisolas de Leixões, Paredes, Famalicão, Sporting de Espinho, Sporting de Braga e Portimonense de 1970 a 1985.

Vítor Oliveira foi homenageado durante o fim de semana com um minuto de silêncio em todos os jogos disputados nas provas profissionais e amadoras do futebol português, tendo a Câmara de Matosinhos decretado dois dias de luto municipal.

Continuar a ler

Futebol

Búlgaro Georgi Kabakov arbitra AEK – SC Braga

Liga Europa

em

Foto: DR

O sérvio Srdjan Jovanović arbitra na quinta-feira o jogo entre Benfica e os polacos do Lech Poznan, enquanto o búlgaro Georgi Kabakov estará na visita do SC Braga aos gregos do AEK Atenas, informou a UEFA.

Jovanović, de 34 anos, internacional desde 2015, apitará o jogo no Estádio da Luz, a partir das 20:00, da quinta jornada do grupo D da Liga Europa de futebol, e terá como árbitros assistentes os compatriotas Uroš Stojković e Milan Mihajlović.

Em Atenas, no jogo do SC Braga frente ao AEK, o árbitro Georgi Kabakov, com insígnias internacionais desde 2013, contará com os assistentes Martin Margaritov e Diyan Valkov, numa partida com início às 17:55 (horas de Lisboa).

As duas equipas portuguesas só dependem de si próprias para selar um lugar nos 16 avos de final da Liga Europa, precisando para isso de vencer os seus encontros desta quinta ronda.

Um empate servirá a ambos, caso os terceiros classificados dos respetivos grupos não ganhem aos líderes, o Standard Liège ao Rangers, na Escócia, no grupo das ‘águias’, e o Zorya Luhansk ao já apurado Leicester, na Ucrânia, no dos ‘arsenalistas’.

Também na Liga Europa, a UEFA indicou o árbitro português João Pinheiro para o jogo entre os espanhóis da Real Sociedade e os croatas do Rijeka, a partir das 20:00 (horas de Lisboa), no Estádio Anoeta, em San Sebastián.

Continuar a ler

Futebol

Ex-jogador do Moreirense morre aos 31 anos

Óbito

em

Foto: DR / Arquivo

Mohamed Abarhoun, central marroquino de 31 anos que representou o Moreirense entre 2017 e 2019, morreu esta quarta-feira, após uma luta de 10 meses contra um cancro no estômago.

O central vestiu a camisola do Moreirense entre junho de 2017 e dezembro de 2018, apontando dois golos em 46 jogos, depois de ter vencido dois campeonatos marroquinos pelo Athletic Tétouan, sendo transferido para os turcos do Çaykur Rizespor.

Chegado a Portugal, impôs-se rapidamente como titular em Moreira de Cónegos até ser transferido para o Rizespor a meio da época seguinte. Jogou as duas últimas épocas na liga turca até fevereiro, quando lhe foi diagnosticado um cancro.

Mohamed Abarhoun cumpriu sete internacionalizações pela seleção de Marrocos, incluindo três aparições no torneio de futebol dos Jogos Olímpicos Londres2012, e estava sem jogar desde março, quando foi detetada a doença do foro oncológico.

Entretanto, o Moreirense já lamentou a morte do antigo atleta do clube. “2020 tem sido um ano de grandes perdas para a família Moreirense”, salienta o clube. “Foi com uma tremenda tristeza que recebemos a notícia do falecimento de Mohamed Abarhoun, que representou o nosso clube durante duas temporadas”, acrescenta o comunicado partilhado na página de Facebook do clube.

“Mais uma vez o futebol viu partir, cedo demais, um ser humano de grandes valores, sempre alegre e divertido e que rapidamente se ambientou ao nosso emblema”, refere o clube, endereçando “neste momento de profunda dor e sofrimento a todos os seus familiares e amigos as mais sentidas condolências”.

Notícia atualizada às 12h49 com reação do Moreirense.

Continuar a ler

Populares