Seguir o O MINHO

Região

Sinalização portuguesa do Caminho Minhoto Ribeiro concluída até à Páscoa

Entre Braga e Melgaço

em

Foto: DR

A sinalização do Caminho Minhoto Ribeiro, entre Braga, passando por Viana do Castelo e até Santiago de Compostela, na Galiza, Espanha, vai estar concluída até à Páscoa, disse hoje à Lusa o presidente da Câmara de Melgaço.

“O caminho estará marcado até à Pascoa. Concluída a sinalização, avançaremos para a promoção e posterior certificação do Caminho Minhoto Ribeiro. Foram as principais decisões tomadas na reunião hoje realizada com os municípios que assinaram o protocolo de reativação daquela rota”, explicou Manoel Batista.

Em causa está um protocolo assinado em dezembro, que junta os concelhos de Melgaço, Monção, Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, no distrito de Viana do Castelo, e o município de Vila Verde, no distrito de Braga.

Com a assinatura daquele acordo, os cinco municípios portugueses “comprometem-se a desenvolver trabalhos de estudos de uma rota de interesse histórico e cultural intermunicipal, denominada Caminho Minhoto Ribeiro para futura fruição pública.

O grupo de trabalho é coordenado por Cástor Pérez Casal, responsável pela investigação deste caminho.

Do lado português, o Caminho Minhoto Ribeiro no terreno tem uma extensão de 75,3 quilómetros entre os concelhos de Braga e Melgaço.

“Nesta fase, vamos marcar o caminho entre Braga e Melgaço, onde faz a ligação à Galiza, onde já está todo marcado até Santiago de Compostela. Mais tarde, quando estiver consolidado, a sinalização poderá alargar-se ao Porto”, descreveu.

Nesta fase, “a sinalização e promoção do caminho do lado português vai ser suportada pelos municípios envolvidos no projeto” de revitalização daquele percurso.

De acordo com informação que consta da página oficial da Associação do Caminho Minhoto Ribeiro na Internet, hoje consultada pela Lusa, aquele percurso “é um dos caminhos mais antigos, que liga o norte de Portugal à cidade do apóstolo Santiago”.

Segue “na maior parte da sua rota através daqueles caminhos, calçadas romanas e caminhos medievais”.

Este caminho “entronca com o território nacional no lugar de Cevide, freguesia de Cristóval, concelho de Melgaço, uma das mais antigas fronteiras terrestres”.

“Dentro de uma semana voltaremos a reunir-nos para analisar as propostas e começarmos a trabalhar a comunicação”, disse o autarca de Melgaço no final do encontro hoje realizado através de videoconferência.

O “conhecimento científico construído nas últimas duas décadas levou as entidades galegas a desafiarem os municípios portugueses a desenvolverem os esforços tendentes à implementação do Caminho em solo nacional”.

Do lado espanhol, os 173,70 quilómetros de extensão do Caminho “estão sinalizados e foram, recentemente, reconhecidos pela Junta da Galiza e pela Catedral de Santiago com A Compostelana”.

O documento “certifica o fim da peregrinação a Santiago de Compostela, confirmando a passagem do peregrino pelo referido caminho, cujas etapas constam, através de carimbo, na credencial do peregrino”.

Do lado espanhol, percorre os municípios de Lobios, Entrimo, Padrenda, Pontedeva, Cortegada, Arnoia, Castrelo de Miño, Ribadavia, Leiro, Carballiño, Boborás, Beariz, Forcarei, A Estrada, Boqueixón e Vedra.

O Caminho Minhoto Ribeiro “está repleto de histórias e de um património riquíssimo, entre hospitais, mosteiros, igrejas, capelas, cruzeiros, pontes medievais e romanas, adegas históricas, achados arqueológicos, nascentes termais e entre outros”.

Segundo a Associação do Caminho Minhoto Ribeiro, o percurso tem três entradas desde Portugal para Galiza.

O roteiro principal, desde Vila Verde a Ponte da Barca, Arcos de Valdevez, Monção, e Melgaço, no Alto Minho, atravessando os municípios de Padrenda, Pontedeva, Cortegada, Arnoia, Castrelo de Miño, Ribadavia, Beade, Leiro, O Carballiño, Boborás, Beariz, Forcarei, A Estrada, Vedra, Boqueixón e Santiago de Compostela.

Outro desde Braga, Ponte da Barca até Baixa Limia, Lobios e Entrimo, Castro Laboreiro, no concelho de Melgaço, onde se une com o itinerário principal.

A terceira entrada através de Terras de Bouro até as proximidades da vila de Lobios, Entrimo e Castro Laboreiro, onde deriva no itinerário principal.

Populares