Seguir o O MINHO

Futebol

Santa Clara espera jogo “tremendamente difícil” frente ao Vitória, em Guimarães

No próximo sábado, às 14:30

em

Foto: Divulgação / Arquivo

O treinador do Santa Clara, João Henriques, disse, esta sexta-feira, esperar um “jogo tremendamente difícil” frente ao Vitória SC, em Guimarães, mas frisou que a sua equipa é “organizada, compacta e competitiva”.

“É um jogo sempre tremendamente difícil. Toda a gente dará, inicialmente, o favoritismo natural ao Vitória, mas nós também temos os nossos argumentos. Já demonstrámos esta época, em todos os campos em que fomos, que somos uma equipa organizada, compacta, competitiva”, afirmou o técnico da equipa açoriana na antevisão à partida da 17ª. sétima jornada da I Liga de futebol, que se irá disputador no estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Frisando que o Vitória de Guimarães apresenta “uma das melhores equipas da I Liga” e que pratica um “futebol de qualidade”, João Henriques apontou a “qualidade individual e coletiva” do adversário que é “muito forte com bola”.

O treinador dos açorianos destacou o registo fora de casa do Santa Clara (a equipa soma duas derrotas, frente a Porto e a Braga, ambas por 2-0) para se mostrar confiante na conquista dos três pontos.

“Perdemos apenas duas vezes esta época fora de casa. Temos feito um campeonato muito bom, acima da média, fora de casa, e isso dá-nos a perspetiva de nos irmos fazer um bom jogo a Guimarães, disputar o jogo e disputar os três pontos”, afirmou.

Para conseguir a vitória frente ao Vitória (que vem de um empate na casa do Marítimo), João Henriques diz que a equipa terá de ser mais eficaz no momento da finalização.

“Não vamos provavelmente criar tantas oportunidades como já criamos noutros jogos para trás, mas temos de ser mais eficazes”, assinalou.

O Santa Clara apenas venceu apenas um encontro nos últimos cinco jogos (frente ao Aves) e somou quatro derrotas, frente a Rio Ave e Sporting, para a I Liga, e diante do Casa Pia e Porto (a contar para Taça da Liga e Taça de Portugal, respetivamente).

Os açorianos estão três pontos acima dos lugares de despromoção, mas o treinador de 47 anos mostrou-se “seguro” do trabalho realizado.

“Eu estou sempre seguro naquilo que faço. Sempre. E no dia em que não me sentir seguro sou o primeiro a abrir a porta e ir-me embora. Está respondido. Se eu estou aqui, é porque me sinto seguro”, frisou.

O treinador aproveitou para classificar a SAD do Santa Clara como um “exemplo raro” no futebol português, uma vez que em três anos o clube apenas teve dois treinadores (antes de João Henriques os açorianos eram liderados por Carlos Pinto) e considerou a profissão de treinador como a “mais curiosa de todas”.

“Esta é a profissão mais curiosa de todas, a de treinador. Somos avaliados semanalmente por pessoas que não são competentes, entre aspas, para nos avaliar. Isto é, toda a gente nos avalia”, defendeu.

O Santa Clara, 14.º classificado, com 17 pontos, defronta o Vitória SC, sexto com 22, no próximo sábado, às 14:30, no estádio D. Afonso Henriques.

Anúncio

Futebol

Portugal sem equipas nos ‘oitavos’ da Liga Europa pela primeira vez desde 1978/79

Liga Europa

em

Foto: Divulgação / SC Braga

O futebol português ficou hoje fora dos ‘oitavos’ das taças europeias de futebol, cenário que acontece pela primeira vez desde a longínqua temporada de 1978/79, há mais de quatro décadas.

Benfica, FC Porto e Sporting juntaram-se a Sporting de Braga e deixaram Portugal sem qualquer equipa nos oitavos de final da Liga Europa, depois do Vitória de Guimarães ter ‘tombado’ na fase de grupos e de já não haver representantes lusos na ‘Champions’.

Na principal competição, em que os ‘oitavos’ seguem a meio, cumprida a primeira mão, os ‘dragões’ foram eliminados na terceira pré-eliminatória e os ‘encarnados’ na fase de grupos.

Desta forma, Portugal, que era o país mais representado nos 16 avos de final da Liga Europa, não tem qualquer representante no ‘top 16’ das competições europeias, interrompendo um ciclo de 40 anos, iniciado em 1979/80.

A época de 1978/79 tinha sido a última sem formações nacionais nos ‘oitavos’, numa temporada em que competiram as mesmas quatro equipas que estiveram nos 16 avos de final da segunda competição da UEFA em 2019/20.

Então, o FC Porto foi eliminado pelo AEK Atenas na primeira ronda da Taça dos Campeões Europeus (1-6 fora e 4-1 em casa) e o Sporting caiu na mesma fase da Taça dos vencedores de Taças perante o Banik Ostrava (dois desaires por 1-0).

Na Taça UEFA, Benfica e Sporting de Braga passaram a primeira ronda, mas caíram na segunda, correspondente aos 16 avos de final, os ‘encarnados’ face ao Borussia Mönchengladbach (0-0 em casa e 0-2 fora, após prolongamento) e os ‘arsenalistas’ frente ao West Bromwich (0-2 em casa e 0-1 em Londres).

Depois dessa temporada, e até 2018/19, Portugal conseguiu colocar sempre pelo menos uma equipa no ‘top 16’, entre Taça e Liga dos Campeões, Liga Europa, Taça UEFA e Taça das Taças, com um recorde de quatro em 1987/88 e 1993/94.

Na última vez, o FC Porto chegou às meias-finais da Liga dos Campeões e o Benfica à mesma fase da Taça das Taças, o Boavista atingiu os quartos de final da Taça UEFA e, na mesma competição, o Sporting caiu na terceira eliminatória.

Os piores registos, com apenas um representante luso nos últimos 16, datavam de 1980/81, 1984/85, 1988/89, 1997/98 a 2000/01, 2005/06 e 2014/15.

Continuar a ler

Futebol

Portugal sem equipas nos ‘oitavos’ pela primeira vez desde 1978/79

Competições europeias

em

Foto: UEFA (Arquivo)

O futebol português ficou fora dos ‘oitavos’ das taças europeias de futebol, cenário que acontece pela primeira vez desde a longínqua temporada de 1978/79, há mais de quatro décadas.

Benfica, FC Porto e Sporting juntaram-se a SC Braga e deixaram Portugal sem qualquer equipa nos oitavos de final da Liga Europa, depois do Vitória SC ter ‘tombado’ na fase de grupos e de já não haver representantes lusos na ‘Champions’.

Na principal competição, em que os ‘oitavos’ seguem a meio, cumprida a primeira mão, os ‘dragões’ foram eliminados na terceira pré-eliminatória e os ‘encarnados’ na fase de grupos.

Desta forma, Portugal, que era o país mais representado nos 16 avos de final da Liga Europa, não tem qualquer representante no ‘top 16’ das competições europeias, interrompendo um ciclo de 40 anos, iniciado em 1979/80.

A época de 1978/79 tinha sido a última sem formações nacionais nos ‘oitavos’, numa temporada em que competiram as mesmas quatro equipas que estiveram nos 16 avos de final da segunda competição da UEFA em 2019/20.

Então, o FC Porto foi eliminado pelo AEK Atenas na primeira ronda da Taça dos Campeões Europeus (1-6 fora e 4-1 em casa) e o Sporting caiu na mesma fase da Taça dos vencedores de Taças perante o Banik Ostrava (dois desaires por 1-0).

Na Taça UEFA, Benfica e SC Braga passaram a primeira ronda, mas caíram na segunda, correspondente aos 16 avos de final, os ‘encarnados’ face ao Borussia Mönchengladbach (0-0 em casa e 0-2 fora, após prolongamento) e os ‘arsenalistas’ frente ao West Bromwich (0-2 em casa e 0-1 em Londres).

Depois dessa temporada, e até 2018/19, Portugal conseguiu colocar sempre pelo menos uma equipa no ‘top 16’, entre Taça e Liga dos Campeões, Liga Europa, Taça UEFA e Taça das Taças, com um recorde de quatro em 1987/88 e 1993/94.

Na última vez, o FC Porto chegou às meias-finais da Liga dos Campeões e o Benfica à mesma fase da Taça das Taças, o Boavista atingiu os quartos de final da Taça UEFA e, na mesma competição, o Sporting caiu na terceira eliminatória.

Os piores registos, com apenas um representante luso nos últimos 16, datavam de 1980/81, 1984/85, 1988/89, 1997/98 a 2000/01, 2005/06 e 2014/15.

Continuar a ler

Futebol

Benfica empata (3-3) com Shakhtar e está fora da Liga Europa

Liga Europa

em

Foto: SL Benfica

O Benfica empatou hoje em casa com os ucranianos do Shakhtar Donetsk, por 3-3, em jogo da segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa de futebol, e foi eliminado da competição.

Depois da derrota na primeira mão (2-1), o Benfica adiantou-se no marcador com um golo de Pizzi, aos nove minutos, mas um autogolo de Rúben Dias (12) estabeleceu a igualdade, com o mesmo jogador a redimir-se e a colocar os ‘encarnados’ em vantagem ao intervalo.

Na segunda parte, Rafa aumentou a vantagem dos ‘encarnados’, aos 47, mas a equipa orientada por Luís Castro marcou dois golos, por Stepanenko (49) e Alan Patrick (71), garantindo o apuramento para os ‘oitavos’ da competição.

Continuar a ler

Populares