Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Reparada avaria no equipamento de TAC do hospital de Viana do Castelo

Parado desde quarta-feira

em

Foto: DR / Arquivo

O equipamento de TAC do hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo, voltou a funcionar no sábado, pelas 16:00, depois de reparada uma avaria que, na quarta-feira, fez parar o aparelho, informou hoje aquela unidade.

Segundo dados revelados hoje à agência Lusa, pelo presidente do conselho de administração da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), Franklim Ramos, durante o período paragem do aparelho de Tomografia Axial Computorizada (TAC), 68 doentes que necessitaram de realizar o exame foram transportados da unidade de Viana do Castelo para o hospital Conde de Bertiandos, em Ponte de Lima, a cerca de 30 quilómetros de distância, e regressaram à unidade situada na capital do Alto Minho.

Franklim Ramos referiu que, durante os quatro dias de inoperância do aparelho TAC, foram encaminhados para a unidade de Ponte de Lima, cerca de 17 doentes por dia”.

“Foram assegurados a todos os doentes cuidados assistenciais”, referiu.

Na sexta-feira, em declarações à Lusa, o presidente do conselho de administração da ULSAM, Franklim Ramos explicou que as avarias frequentes daquele aparelho “relativamente novo, estão relacionadas com a utilização intensiva, uma vez que é a única resposta aos pedidos com origem no serviço de urgência, consulta externa e internamento”.

“O aparelho de TAC trabalha 24 horas por dia”, reforçou Franklim Ramos.

O responsável reafirmou a intenção de adquirir, no próximo ano, mais um aparelho de TAC para o hospital de Viana do Castelo, tal como já tinha equacionado em agosto de 2018, quando confrontado com um requerimento da ex-deputada do CDS-PP na Assembleia da República, Ilda Araújo Novo, ao Governo, sobre as avarias dos dois equipamentos de TAC disponíveis no distrito de Viana do Castelo.

Na altura, o presidente do conselho de administração da ULSAM adiantou “estar prevista no plano de investimentos para 2019, a aquisição de um segundo TAC” para Viana do Castelo.

Franklim Ramos admitiu os “transtornos” a que os doentes estão sujeitos, mas sublinhou que “o importante é que seja assegurada a assistência em saúde”.

“Se fosse um doente de Melgaço – a aproximadamente 100 quilómetros de distância de Viana do Castelo – também teria de vir ao hospital de Viana do Castelo ou a Ponte de Lima. Temos noção que causa transtornos aos doentes, mas continuamos a assegurar a assistência em saúde, garantindo o transporte com acompanhamento médico”.

A ULSAM integra os hospitais de Santa Luzia, em Viana do Castelo, e Conde de Bertiandos, em Ponte de Lima, 13 centros de saúde, uma unidade de saúde pública e duas de convalescença, servindo uma população residente superior a 250 mil pessoas.

No total, a ULSAM emprega mais de 2.500 profissionais, entre eles, 501 médicos e 892 enfermeiros.

Anúncio

Viana do Castelo

Estabelecimento Prisional de Viana do Castelo recebe filme de Miguel Filgueiras

Sobre a banda Black Bombain

em

Foto: DR / Arquivo

O filme “Black Bombaim”, de Miguel Filgueiras, vai ser exibido na sexta-feira, no Estabelecimento Prisional de Viana do Castelo, anunciou a Associação Ao Norte.

O documentário acompanhou a criação do mais recente disco da banda de Barcelos que lhe dá nome, que resultou do encontro do coletivo com os compositores Pedro Augusto, Luís Fernandes e Jonathan Saldanha.

A exibição do documentário vai contar com a presença do realizador, que vai depois conversar com os reclusos.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Acidente na Bulgária mata jovem de Viana

Acidente terá envolvido um veículo ligeiro e um autocarro

em

Foto: DR

Um português, oriundo de Viana do Castelo, morreu, esta segunda-feira, na Bulgária após um acidente de viação na província de Blagoevgrad.

Segundo o Jornal de Notícias, a vítima mortal é Nuno Barbosa, de 36 anos, residente em Meadela, naquele concelho do Alto Minho.

Com o português, viajavam mais duas pessoas que sofreram ferimentos. Uma fonte da secretária de Estado das Comunidades Portuguesas avançou que, apesar das mazelas, se encontram ambas “fora de perigo”.

Na noite de terça-feira, nas redes sociais, a onda de luto e os votos de condolência aos amigos e família do condutor português multiplicavam-se.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros prestou já as devidas condolências à família do vianense tendo disponibilizado todo o “apoio nos procedimentos inerentes à realização dos exames forenses e à trasladação do corpo para Portugal”.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana com programa “único no país” para monitorizar qualidade do ar dentro das escolas

Ambiente

em

Foto: Divulgação / LUCIOS Engenharia e Construção (portefólio)

Viana do Castelo é o “primeiro município do país” a desenvolver um programa de monitorização da qualidade do ar interior dos 53 edifícios do parque escolar do concelho, num investimento de 18 mil euros, anunciou hoje a câmara.

“Viana do Castelo é o primeiro município do país com uma estratégia para a monitorização das radiações ionizantes, sob a forma de programa, que está a ser concretizado e com resposta clara para este assunto”, afirmou hoje o vereador do Ambiente e Biodiversidade, Ciência, Inovação e Conhecimento, Ricardo Carvalhido.

O responsável, que falava durante a sessão de encerramento do projeto RnMonitor “Radão em Portugal: situação atual e perspetivas futuras” explicou que aquele programa “começou a ser implementado esta semana para avaliar a qualidade biotérmica e radiológica” do ar nas 53 escolas do concelho, sendo que, “no próximo mês, será iniciada a avaliação à qualidade microbiológica”.

“Vamos avaliar o ar de cerca de um terço das salas de aulas das nossas escolas. Dentro de dois meses, esperamos ter o primeiro perfil da qualidade do ar das nossas escolas. Nos edifícios que apresentarem dados fora dos valores considerados normais, será implementado um estudo mais pormenorizado com uma duração de, no mínimo, três meses”, especificou.

Ricardo Carvalhido adiantou que “a monitorização do gás radão e dos parâmetros de humidade, temperatura e dióxido de carbono estão a ser aferidos por sensores instalados nas 53 escolas do concelho, equipamentos que comunicam através de uma rede partilhada entre a câmara e pelo Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), sendo possível receber, em tempo real, os dados de cada estabelecimento”.

“Estes dados estão a ser monitorizados na plataforma da Rede Municipal de Monitorização de Parâmetros Ambientais e de Proteção Civil, para, posteriormente, serem validados e analisados pelos parceiros do programa”, indicou.

O programa de monitorização da qualidade do ar interior de edifícios municipais tem como parceiros o IPVC e a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), que participarão “na elaboração de um manual de boas práticas para a qualidade do ar interior de cada edifício escolar”.

Aquele documento incluirá medidas que “poderão passar pela determinação de uma frequência e duração de arejamento, ou, em casos excecionais, a instalação de mecanismos de ventilação forçada do espaço”.

O vereador da câmara da capital do Alto Minho explicou que o programa teve início no parque escolar por ser “reconhecido, por um lado, que o conforto biotérmico dos alunos nas salas de aula, (aferido pelos dados de temperatura e humidade relativa) é um fator determinante no sucesso educativo e também porque a presença de agentes radiológicos (como é exemplo o gás radão, principalmente na região Norte e Centro de Portugal) e biológicos (como vírus, fungos e bactérias) podem comprometer de forma séria, a saúde dos alunos e dos profissionais de educação”.

A implementação daquele programa municipal resulta “da transferência de competências em matéria de educação, da administração central para a administração local”.

Ricardo Carvalhido adiantou que, em abril, no decurso do programa municipal, a autarquia lançará, no âmbito do Dia Nacional do Ar, a iniciativa “O Radão por Casa”.

O responsável explicou tratar-se de “um programa doméstico que disponibilizará aos munícipes uma sonda que lhes permitirá conhecer, durante uma semana, os valores de radão e os parâmetros de conforto bioclimático da sua habituação”.

Posteriormente, “os munícipes receberão uma avaliação diagnóstica com orientações para a mitigação dos parâmetros nos casos em que estes ultrapassem o valor legal de referência”.

“No caso dos moradores do centro histórico, estará disponível a sonda que permitirá o acesso em tempo real aos valores medidos, através da plataforma da rede municipal de monitorização de parâmetros ambientais e proteção civil”, referiu.

O projeto de investigação intitulado “RnMonitor: Infraestrutura de Monitorização Online e Estratégias de Mitigação Ativa do Gás Radão no Ar Interior em Edifícios Públicos da Região Norte de Portugal” foi realizado entre 2016 e 2019.

A investigação foi conduzida pelos docentes António Curado e Sérgio Lopes do IPVC e incidiu sobre 30 edifícios públicos selecionados pelas câmaras de Viana do Castelo e Barcelos.

Continuar a ler

Populares