Seguir o O MINHO

Guimarães

Relação agrava pena de subcomissário que agrediu adeptos do Benfica em Guimarães

Caso ocorreu em 2015

em

O subcomissário Filipe Silva. Foto: O MINHO/Arquivo

O Tribunal da Relação de Guimarães agravou para três anos e meio a pena de prisão, suspensa na sua execução, de um subcomissário da PSP por agressão a dois adeptos do Benfica naquela cidade, em maio de 2015.

Em nota hoje publicada no seu site, a Procuradoria-Geral Distrital do Porto refere que em primeira instância o arguido, Filipe Silva, tinha sido condenado a três anos de prisão, com pena suspensa, resultando o agravamento de um recurso interposto pelo Ministério Público.

A defesa do arguido também recorreu, pedindo a absolvição, mas este recurso foi indeferido.

O arguido foi condenado por dois crimes de ofensa à integridade física qualificada, relativos às agressões, e dois crimes de falsificação de documento e dois crimes de denegação de justiça e prevaricação, por alegadamente ter feito constar factualidade falsa no auto de notícia.

Terá ainda de pagar, em conjunto com o Estado, uma indemnização de 7.000 euros às vítimas, pai e filho, por danos não patrimoniais.

Para a condenação, o tribunal teve em conta o “elevado” grau de ilicitude da atuação do arguido, as lesões que provocou às vítimas, as elevadas exigências de prevenção geral em relação ao crime de ofensas à integridade física e o facto de o arguido não ter manifestado arrependimento.

Os factos remontam a 17 de maio de 2015, logo após o final do jogo entre o Vitória Sport Club e o Sport Lisboa e Benfica, no exterior do Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

O tribunal considerou que uma das vítimas dirigiu “impropérios” a Filipe Silva e que este lhe “desferiu bastonadas”, atingindo-a ainda com uma joelhada nas costas.

Além disso, o arguido agrediu o pai daquele adepto com “dois socos no rosto”.

Para o tribunal, em ambos os casos o arguido utilizou “de forma excessiva” os meios coercivos de que dispunha, “no âmbito dos poderes funcionais que lhe foram legalmente conferidos para o exercício da função policial”.

Agiu, assim, “com grave abuso de autoridade, valendo-se da posição superior de autoridade em que estava investido para consumar a agressão, bem sabendo da especial censurabilidade da sua conduta”, segundo a decisão judicial.

Ainda segundo o tribunal, o arguido elaborou um auto de notícia e um relatório com dados que “não correspondiam à verdade, assim pretendendo justificar a conduta em que incorrera”.

No auto de notícia, o subcomissário escreveu que o adepto mais novo resistiu a uma ordem de detenção e cuspiu-o, ameaçou-o e injuriou-o.

Foram anexadas fotos de um rasgão no polo da farda, alegadamente provocado pelos adeptos.

No recurso interposto para a Relação, a defesa de Filipe Silva alega que o adepto filho injuriou o subcomissário e resistiu a várias tentativas de detenção, pelo que o arguido teve necessidade de desferir “impactos” com os bastões que detinha, para o imobilizar.

O recurso refere ainda que o adepto pai agarrou Filipe Silva pelas costas, rasgando-lhe o uniforme e provocando-lhe escoriações na zona das axilas, pelo que o arguido lhe desferiu dois socos para se libertar do “ataque”, num quadro de “legítima defesa”.

Sublinha que os dois adeptos tiveram um comportamento “ofensivo e ilícito, sempre em crescendo” e que o subcomissário sentiu “forte receio e pânico”, chegando a temer pela própria vida, já que nas imediações estavam cerca de 5.000 adeptos e se registava “um clima de clara confrontação com as autoridades”.

Anúncio

Guimarães

Prisão preventiva para suspeito de agredir companheira em Guimarães

Homem de 54 anos

em

Foto: DR / Arquivo

Um juiz de instrução criminal no Tribunal de Guimarães aplicou prisão preventiva a um homem de 54 anos que alegadamente agrediu e ameaçou de morte a companheira em Gémeos, naquele concelho, disse hoje à Lusa fonte da GNR.

Segundo a fonte, o suspeito está indiciado pelo crime de violência doméstica.

O homem foi detido no domingo, na sequência de uma denúncia por desacatos numa residência.

No local, a GNR apurou que o suspeito “agrediu a sua companheira, de 48 anos, ameaçando-a de morte”.

Efetuou ainda “repetidamente” disparos para o ar.

A GNR deteve o homem e apreendeu-lhe uma pistola e cinco munições.

Continuar a ler

Guimarães

Música erudita espalha-se por vários espaços públicos de Guimarães

em

A 4ª edição do “Guimarães Allegro” decorre entre os dias 18 e 20 de julho nas principais praças e ruas de Guimarães, afirmando-se como “um evento de promoção de música erudita que vai ao encontro das pessoas no espaço público, fruto de uma política de diversificação cultural implementada na Cidade Berço”, refere a autarquia em comunicado.

O programa contempla nomes de referência internacional como Cristobal Soler (maestro convidado) e Lorena Valero (mezzo-soprano), que atuam no concerto de abertura com a Orquestra de Guimarães, agendado para 18 de julho, quinta-feira, às 22:00, no Paço dos Duques.

A música, entretanto, invade outros espaços como o Mercado Municipal, Largo do Toura, Largo da Oliveira, Praça de S. Tiago, Praça Nova ou Largo de Donães.

A vice-presidente da Câmara Municipal, Adelina Pinto, explicou que existe um objetivo de “surpreender as pessoas” através da “diferenciação dos espaços públicos”.

Adelina Pinto vincou o facto da música erudita, supostamente, ter definido “um público reservado”, mas em Guimarães está cimentado um conceito de diversificar a oferta cultural.

“Estamos a abrir caminho e a chegar a novos públicos. Apostamos na diversidade e na formação de públicos para os vários programas no desenvolvimento da programação cultural, realizando eventos para os vários gostos nesta política cultural e assim oferecemos diversidade para as pessoas terem a possibilidade de fazerem as suas opções”, salientou a Vereadora da Cultura.

Continuar a ler

Guimarães

Charles Lloyd em novembro na abertura do festival Guimarães Jazz

Saxofonista norte-americano

em

O saxofonista norte-americano Charles Lloyd abrirá em novembro o festival Guimarães Jazz, cuja 28.ª edição se apresenta com uma visão baseada “na estrita pulsação do presente”, anunciou hoje a organização.

Charles Lloyd, o “superlativo saxofonista” que aos 81 anos está “em pleno fulgor criativo”, como apresenta o festival, regressa ao Guimarães Jazz a 07 de novembro, com um concerto no Centro Cultural Vila Flor em formato quinteto.

O Guimarães Jazz contará com 13 concertos repartidos entre 07 e 16 de novembro, programando com “uma visão baseada não em passadismos inconsequentes, nem em futurismos estéreis e já ultrapassados, mas na estrita pulsação do presente”.

Além de Charles Lloyd, o festival assinala ainda o regresso a Portugal do saxofonista norte-americano Joe Lovano (13 de novembro) e as atuações do baterista holandês Han Bennink com a ICP Orchestra (11 novembro) e do percussionista mexicano Antonio Sánchez (08 novembro), premiado pela banda sonora do filme “Birdman”, de Iñárritu.

Dos Estados Unidos chegarão também a Guimarães dois pianistas nascidos nos anos 1970 e, segundo a organização, conectados com o presente: Vijay Iyer e Craig Taborn, a 09 novembro, com uma atuação intitulada “The Transitory Poems”.

A Orquestra de Guimarães atuará a 14 de novembro com a vocalista e compositora sueca Lina Nyberg, para interpretar “Terrestrial”, o último capítulo de uma trilogia musical que é um “extraordinariamente criativo e politicamente pertinente manifesto em defesa da natureza”.

Este ano, além da parceria com a Porta Jazz, haverá uma nova colaboração com o coletivo Sonoscopia. Com ambos haverá atuações de músicos como Miguel Moreira, Rui Rodrigues, Gustavo Costa e Julius Gabriel.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares