Seguir o O MINHO

Ave

Quem quiser tirar o cartão de cidadão em Famalicão só tem data para fevereiro

Autarca pede ao governo para resolver “grave situação”

em

Foto: PSD Famalicão

O presidente da Câmara de Famalicão apelou à ministra da Justiça atenção para a “grave situação” na Conservatória do Registo Civil e de Notariado do concelho devido à “falta de capacidade de resposta” e “atrasos dramáticos”. O autarca denuncia que a primeira data disponível para quem queira tirar o Cartão de Cidadão é em fevereiro de 2021.


Numa carta dirigida a Francisca Van Dunem, Paulo Cunha transmite o “total desagrado e preocupação” quanto à situação a “viver diariamente” nas instalações daquele serviço.

“O serviço prestado pela Conservatória do Registo Civil e de Notariado não reúne as condições mínimas de atendimento ao público e os atrasos são verdadeiramente dramáticos e muito superiores aos prestados nas cidades vizinhas que integram o Quadrilátero Urbano [Barcelos, Braga e Guimarães], facto que é totalmente incompreensível e mesmo inadmissível”, lê-se.

Paulo Cunha refere que está “sensível ao contexto nacional” que Portugal atravessa, “fruto da Pandemia da covid-19”, mas avisa que não partilha da “mesma linha de pensamento” quando compara Famalicão com os concelhos vizinhos.

“A título de exemplo, a primeira data disponível em Vila Nova de Famalicão para agendamento de emissão de Cartão do Cidadão é fevereiro de 2021, enquanto nos concelhos de Braga, Guimarães e Barcelos a capacidade de resposta aponta para outubro e novembro de 2020″, diz.

O autarca deixa um apelo à ministra da Justiça “perante este cenário”. “Venho apelar a devida atenção para a grave situação que estamos a viver neste concelho, solicitando resposta urgente, de forma a que a qualidade dos serviços seja reposta ao nível dos concelhos vizinhos”, escreve.

Anúncio

Ave

Vizela, Fafe, Guimarães e Famalicão ultrapassam valor médio de infeções na região

Covid-19

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

O valor da incidência no concelho de Vizela é mais do dobro da média da região, segundo os dados por concelho da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N). O concelho regista 2.782 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

Apesar destes serem os concelhos da região Norte que apresentam o valor mais elevado da incidência, há ainda outros três concelhos do Minho que ultrapassam a incidência média da região: Fafe, Guimarães e Famalicão

O relatório da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N), a que a Lusa teve hoje acesso, reporta a evolução epidemiológica nos concelhos da região Norte a partir de 26 de outubro, dia em que a Direção-Geral de Saúde (DGS) deixou de divulgar os mapas por concelho.

De acordo com o documento, entre a última semana de outubro [de 27 outubro a 02 novembro] e a primeira semana de novembro [03 novembro a 09 novembro] Vizela registou valores superiores à incidência média na região, que se fixa em 1.146 casos por 100 mil habitantes em 14 dias.

Os quatro concelhos minhotos pertencem à lista de 121 municípios abrangidos pelo dever cívico de recolhimento domiciliário, com novos horários nos estabelecimentos e teletrabalho obrigatório devido à covid-19.

Em Paços de Ferreira, no distrito do Porto, a incidência registada entre as duas semanas fixa-se nos 3.948 casos por 100 mil habitantes em 14 dias.

Por sua vez, Lousada, no distrito do Porto, assinala uma incidência de 3.749 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

No distrito de Aveiro, Oliveira de Azeméis é o concelho que supera esse valor.

Em Bragança, o concelho que acompanha esta tendência é Freixo de Espada à Cinta e, no distrito de Vila Real, é o concelho de Murça.

No entanto, é no distrito do Porto que predominam os concelhos com uma maior incidência na região Norte, nomeadamente, Amarante, Felgueiras, Marco de Canaveses, Matosinhos, Paredes, Penafiel, Porto, Santo Tirso e Trofa.

Os 121 concelhos abrangidos pelas medidas mais restritivas têm mais de 240 casos de infeção com novo coronavírus por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, critério utilizado pelo Governo para atualizar a lista de municípios sujeitos a medidas restritivas a 15 dias.

Este critério foi definido pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças, havendo uma exceção para surtos localizados em concelhos de baixa densidade.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.285.160 mortos em mais de 52,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.181 pessoas dos 198.011 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Guimarães

Menina de 13 anos atropelada em Guimarães

Em Creixomil

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Uma adolescente de 13 anos sofreu ferimentos depois de ser alvo de atropelamento na Rua Alto da Bandeira, em Creixomil, concelho de Guimarães.

A vítima foi assistida pelos Bombeiros de Guimarães que se deslocaram para o local com uma ambulância e dois operacionais.

A jovem foi transportada para o Hospital Senhora da Oliveira, em Guimarães, com ferimentos considerados ligeiros.

O alerta foi dado às 17:01.

A PSP registou a ocorrência.

Continuar a ler

Guimarães

Jovem de 19 anos morre em acidente de trabalho em Guimarães

Sande S. Clemente

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Um jovem de 19 anos perdeu a vida na sequência de um acidente de trabalho em Guimarães, disse a O MINHO o CDOS de Braga.

O acidente ocorreu numa fábrica de cutelaria situada na Rua do Pinheiro, em Sande S. Clemente.

O trabalhador terá perdido a vida com um acidente numa máquina industrial, desconhecendo-se mais pormenores.

No local estiveram os Bombeiros das Taipas, a VMER de Guimarães e a GNR.

A equipa médica decretou o óbito ainda no local.

O alerta foi dado cerca das 17:00 horas.

O corpo da vítima foi transportado para o gabinete médico-legal de Guimarães.

A Autoridade para as Condições de Trabalho está a investigar as causas do acidente.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Populares