Seguir o O MINHO

Alto Minho

Projeto ‘pop-up’ de Melgaço já criou sete lojas (e em março abrem mais oito)

Proprietários de lojas vazias cedem gratuitamente espaços a pequenos empreendedores

em

Foto: Divulgação / CM Melgaço

O projeto Melgaço Tem Pop-Up, iniciado em 2019, permitiu a criação de sete lojas temporárias, estando mais oito novas candidaturas aprovadas, prevendo-se a sua abertura das mesmas durante o mês de março, informou hoje a Câmara.

Em comunicado, o município, presidido pelo socialista Manoel Batista, explicou que as primeiras lojas ‘pop-up’ (temporárias) abriram em outubro de 2019.

“Desde o início do programa foram desenvolvidos 15 projetos, sete são hoje lojas permanentes e estão já mais oito novas candidaturas aprovadas, prevendo-se a abertura das mesmas durante o mês de março. O projeto contou com a cedência de 11 espaços a título gratuito”, especifica a nota.

O conceito de loja ‘pop-up’, “de dinamização da economia local nasceu em Altena, na Alemanha, e conta com a parceria de Melgaço, em Portugal, Idrija, na Croácia, Nyirbator, na Hungria, Aluksne, na Letónia, Isernia, em Itália, Manresa, em Espanha, e Igoumenitsa, na Grécia”.

“Desde o início que o projeto se revelou um êxito. Revolucionou toda a dinâmica comercial no centro da vila, sendo reconhecido a nível internacional. Hoje, Melgaço é exemplo em toda a Europa”, destaca a autarquia.

Segundo o município, “o objetivo principal é reanimar centros urbanos que apresentem declínio prolongado fruto da falta de animação comercial e reverter a perda de população”.

“A estratégia passa assim pela ocupação temporária de espaços comerciais devolutos. Adotando medidas comuns, as cidades estão a encontrar soluções, em conjunto com a comunidade, para reverter a perda de população”, explica a Câmara de Melgaço.

Neste sistema, “os proprietários de lojas vazias cedem gratuitamente os espaços, para que pequenos empreendedores possam abrir os seus negócios ao público”.

O “período de experiência é de três meses, para que estes possam perceber se o negócio é ou não viável”, sendo que, “caso pretendam continuar no espaço comercial, passarão a pagar uma renda mensal simbólica que, em Melgaço, chega a ser de um euro por metro quadrado”.

A autarquia de Melgaço adiantou que no dia 04 de março, durante a iniciativa “Maratona das Transferências”, que decorrerá em formato ‘online’, “será apresentada a boa prática do projeto Melgaço Tem Pop-Up”.

A ação “contará com o testemunho dos 19 parceiros nacionais das Redes de Transferência URBACT (Programa de Cooperação Territorial Europeia)”.

A “iniciativa será um momento de partilha das experiências e dos resultados dos projetos implementados em Portugal”, sustenta a nota.

“No nosso município, o programa URBACT/Re-growCity/Melgaço Tem Pop-UP não foi interrompido pela covid-19. A dinâmica adaptou-se aos novos tempos de pandemia e o empreendedorismo manteve-se. Respeitando as indicações da Direção-Geral da Saúde (DGS), fomos encontrando formas de manter vivo o programa e ativa a vontade dos novos empreendedores que continuaram a procurar informações e a desenvolver candidaturas ao projeto. Durante o período de quarentena e confinamento continuamos ativos na implementação do programa, na sua divulgação e comunicação”, frisou Manoel Batista, citado na nota.

Populares