Seguir o O MINHO

Alto Minho

Ponte de Lima: Edifício de centro social à venda? Padre diz que é “operação de marketing”

População da Correlhã surpreendida com publicação do pároco

em

Foto: Facebook de José Correia Vilar

Uma publicação do padre da Correlhã, Ponte de Lima, na sua página pessoal de Facebook, deixou a população local entre a indignação e a incredulidade. Na passada quinta-feira, o pároco José Correia Vilar colocava fotografias do edifício onde funciona o Centro Social da Correlhã afirmando que seria “colocado à venda em breve”. Em declarações a O MINHO, esclarece que se tratou de uma “operação de marketing” para perceber o valor do edifício.

“Ex edifício paroquial será colocado à venda em breve. Aceitam-se propostas a partir de 1,2 milhões de euros. Em particular serão dadas informações de pormenor”, escreveu o padre José Correia Vilar, numa publicação acompanhada de várias fotografias do edifício.

A publicação deixou a população da Correlhã tão revoltada quanto intrigada, não percebendo a publicação do padre que, nos comentários à mesma, ainda acrescentou: “Está em conclusão o projeto para remodelação do Centro Social (que lá funciona) passando de 22 utentes para 43, em Lar, com candidatura aprovada no Norte 2020 e uma dotação de cerca de 205 mil euros além de comparticipação camarária. Assim pode aguçar mais o apetite”.

Contactado por O MINHO, o pároco diz que se tratou de “uma certa operação de marketing“. Isto porque o edifício pertence à Fábrica da Igreja que é um entidade distinta do Centro Social, embora este também seja da esfera paroquiana.

“Temos diálogos com bancos para ser feita essa aquisição [do edifício por parte do Centro Social] por questões técnicas com a Segurança Social”, explica José Correia Vilar, acrescentando que estas negociações estão relacionadas com as referidas obras.

Como “às vezes não se chega bem a acordo por causa dos valores”, a sua publicação, afirma, ia no sentido de perceber quanto valeria o edifício.

Pese embora o burburinho que a publicação causou, o pároco realça a O MINHO que já reuniu com “as várias entidades da paróquia” e “está tudo esclarecido”.

José Correia Vilar salienta que se a venda “se vier a concretizar” não se tratará de uma “alienação da paróquia” e que estará “sempre ao serviço do que já está” (ou seja, do centro social).

“Nunca será extra-parqouial, até porque no caso de extinção do Centro social o que dizem os estatutos é que todo o património reverte para a Paróquia”, assinala.

Fundado a 11 de Fevereiro de 1988, o Centro Social Paroquial da Correlhã foi inaugurado a 17 de Setembro de 1993.

“Tem como fim contribuir para a promoção integral de todos os paroquianos, coadjuvando os serviços públicos competentes ou as instituições particulares num espírito de solidariedade humana, cristã e social estendendo a sua ação aos habitantes das paróquias vizinhas”, refere a página da instituição.

Inicialmente direcionada para o apoio à infância, com a chegada das AEC e à mudança da demografia populacional, a Instituição passou a desenvolver a sua atividade com três respostas sociais: Centro de Dia, Estrutura Residencial para Idosos e Serviço de Apoio Domiciliário, servindo não só a freguesia da Correlhã como também arredores.

Populares