Seguir o O MINHO

Guimarães

Paço dos Duques recebe obra de Jean Baptiste Pillement

em

O Paço dos Duques de Bragança, em Guimarães, vai receber, na quarta-feira, a obra “Paisagem com camponeses e rebanho”, uma pintura de Jean Baptiste Pillement, revelou esta terça-feira em comunicado a Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN).


No documento, a DRCN explica que a apresentação da “obra em destaque” se realiza no âmbito de uma ação do Novo Banco Cultura com o propósito de “disponibilizar ao público o seu património artístico e cultural, através de parcerias com museus e outras entidades culturais”.

A assinatura do Protocolo de Cedência entre a DRCN e o Novo Banco vai realizar-se na quarta-feira, às 11:30, no Paço dos Duques de Bragança, e conta com a presença do Diretor Regional da Cultura do Norte, António Ponte, e o diretor-executivo do Novo Banco, António Ramalho.

Jean Baptiste Pillement foi um pintor paisagista do século XVIII, que fez parte da corrente Iluminista, com interesse pela pintura de paisagens.

Em junho, o Novo Banco cedeu três quadros de José Malhoa, ao museu com o nome do artista, nas Caldas da Rainha, e ao Centro de Artes de Figueiró dos Vinhos, depois de ter depositado cinco obras de artistas portugueses contemporâneos – João Hogan, Nikias Skapinakis, José de Guimarães, Júlio Resende e Luís Pinto Coelho – no Museu da Guarda.

De acordo com o Novo Banco, o espólio artístico da instituição, composto por 97 obras, deverá estar totalmente distribuído por museus de todo o país, nos próximos dois anos.

O processo teve início em janeiro, com o Museu Nacional dos Coches, a receber o óleo sobre tela “Entrada pública em Lisboa do Núncio Apostólico Monsenhor Giorgio Cornaro”, de finais do século XVII.

Em abril, o Museu Francisco Tavares Proença Júnior, de Castelo Branco, recebeu uma pintura do século XVII, atribuída a Jan Fyt, pintor flamengo de naturezas mortas.

Em 18 de maio, Dia Internacional dos Museus, o Museu Nacional de Arte Antiga passou a acolher o retrato da Condessa de Verdun, Anne Catherine Le Preudhomme, pintado por Elisabeth Louise Vigée Le Brun, uma das mais importantes pintoras francesas da segunda metade do século XVIII.

Em fevereiro, o secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado, disse à Lusa que a coleção de fotografia do Novo Banco deverá ficar instalada no Convento São Francisco, em Coimbra.

Anúncio

Guimarães

Morreu ‘Nicolino’, um dos ícones de Guimarães

Óbito

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Morreu José Magalhães, mais conhecido como “Nicolino”, uma referência das festas nicolinas de Guimarães. Várias figuras da sociedade vimaranense já manifestaram pesar pela partida do eterno chefe dos bombos da comissão das Nicolinas.

Em comunicado, o presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança, apresenta sentidas condolências à família de José Maria Baptista Magalhães, que faleceu este domingo, 18 de outubro.

Estudou no ensino secundário, no Liceu de Guimarães situado ainda nas instalações do Convento da Santa Clara, pertencendo à geração que transitou para o então referido como novo liceu onde, na década de 1960, foi eleito para várias comissões de festas nicolinas na singular função de Chefe de Bombos. No âmbito autárquico, foi o primeiro presidente da Junta de Freguesia de Mascotelos, integrando a primeira Assembleia Municipal de Guimarães, de 1977 a 1979.

Entre 1975 e 2014 ocupou vários cargos nos órgãos sociais da Associação dos Antigos Estudantes do Liceu de Guimarães (AAELG/Velhos Nicolinos). Foi Presidente da Direção nos difíceis anos académicos de 1976 e 1977.

Teve um importante contributo para o ressurgimento em 1983 das “Danças de S.Nicolau”, número integrante das Festas Nicolinas onde, sob a batuta do saudoso professor Óscar Machado e com o argumento de A. Meireles Graça, representou pela primeira vez a figura de D. Afonso Henriques, ficando como um símbolo daquele número tão marcante da festa estudantil.

Como presidente da assembleia geral da AAELG/Velhos Nicolinos foi um dos impulsionadores da colocação na cidade do Monumento ao Nicolino. Presentemente, estava ligado à ACFN – Associação das Comissões das Festas Nicolinas que o distinguiu com uma das suas referências.

Também André Coelho Lima, deputado do PSD, eleito pelo distrito de Braga, manifestou condolências pela partida de uma figura ímpar na sociedade vimaranense.

As cerimónias fúnebres estão marcadas para as 15 horas desta segunda-feira, 19 de outubro, na Igreja de S. Francisco, sendo sepultado em jazigo de família no cemitério da Atouguia, em Guimarães.

Continuar a ler

Guimarães

Guimarães cria portal para mostrar agenda cultural

Cultura

em

Foto: DR

O Município de Guimarães criou um portal que vai disponibilizar, em breve, toda a agenda cultural em formato digital, anunciou esta sexta-feira o município.

Em comunicado, o município acrescenta que concertos, teatro e recriações de artes performativas são algumas das propostas que a partir de hoje já estão disponíveis para consulta na nova plataforma digital (ver aqui).

“Este será o portal de tudo o que acontece em Guimarães, disponibilizando em breve toda a agenda cultural em formato digital”, sublinha.

Os conteúdos disponíveis resultam de gravações feitas em tempos de confiamento com artistas de Guimarães e com recurso maioritariamente a empresas audiovisuais do território concelhio, “com uma opção de utilização de espaços inusitados do concelho”.

Continuar a ler

Guimarães

Está a nascer uma nova cidade no coração de Guimarães

Um polo universitário, uma superfície comercial, novos arruamentos e várias áreas residenciais

em

Foto: Rui Dias / O MINHO

Está a nascer uma nova cidade no coração de Guimarães. Um polo universitário, uma superfície comercial, novos arruamentos e várias áreas residenciais.

Depois de demolidas as fábricas já é possível ver a extensão do terreno onde vai acontecer a maior expansão da cidade de Guimarães nos últimos 20 anos.

Foto: Rui Dias / O MINHO

Foto: Rui Dias / O MINHO

Nas palavras do vereador do Urbanismo, Seara de Sá, trata-se de uma “revolução tranquila”, que irá modificar todo o quarteirão. Tranquila porque é uma operação que se poderá estender ao longo dos próximos dez anos.

Esta operação urbanística surge na sequência de dois pedidos de informação prévia à Câmara de Guimarães, um relacionado com a instalação de uma grande superfície comercial e outro para um projeto de urbanização.

Área de intervenção. Foto: Google Maps

“Definiu-se, nos dois processos que decorreram praticamente em paralelo, que a consolidação e a aceitação de uma superfície comercial média implicaria a abertura de vias para que o projeto fosse o menos intrusivo possível”, justificou Seara de Sá.

Os terrenos serão sucessivamente transformados em terrenos urbanos, através de loteamentos que darão origem a uma nova área urbana.

Foto: Rui Dias / O MINHO

Foto: Rui Dias / O MINHO

Foto: Rui Dias / O MINHO

Novos arruamentos

A meio da avenida Afonso Henriques, próximo do Centro Cultural Vila Flor, “será aberta uma nova via que ligará à rua Colégio Militar”, explicou o presidente da Câmara, Domingos Bragança.

Uma segunda artéria parte da rua Eduardo Almeida, junto ao Hotel de Guimarães e desce até à rua da Caldeiroa. Há medida que os terrenos forem sendo urbanizados nascerão outras ruas.

Foto: Rui Dias / O MINHO

No âmbito do acordo com o promotor imobiliário, a Câmara ficará com a antiga fábrica do Arquinho avaliada em 1,5 milhões, como compensação pelas taxas de urbanização. Os arruamentos serão também da responsabilidade do promotor imobiliário.

O edifício da fábrica será preservado e servirá para expandir o campus de Couros da UMinho. Segundo Domingos Bragança, há forte possibilidade de ali se vir a instalar o curso de Engenharia Aeroespacial da Escola de Engenharia da UMinho.

Foto: Rui Dias / O MINHO

Fábrica do Arquinho. Foto: Google Maps

“É uma área promissora e a Fábrica do Arquinho poderá ser a localização para essa futura escola”, referiu Domingos Bragança.

Naquela zona poderá também instalar-se uma extensão da plataforma Fibernamics, dedicada à investigação de novos materiais.

Num futuro próximo o muro que acompanha grande parte da lateral da avenida Afonso Henriques, bem como do lado oposto do quarteirão, na rua Colégio Militar, vai desaparecer para dar lugar a uma nova cidade, no coração de Guimarães.

Continuar a ler

Populares