Seguir o O MINHO

Futebol

“O meu agradecimento aos muitos adeptos que estavam à nossa espera”

Carlos Carvalhal

em

Foto: Via SC Braga

Declarações após o jogo entre Tondela e SC Braga, da terceira jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado no sábado, em Tondela e que terminou com a vitória dos bracarenses, por 4-0:


– Carlos Carvalhal (Treinador do SC Braga): “Na minha opinião, o jogo não foi diferente do que fizemos com o Santa Clara. Hoje os níveis de eficácia foram maiores, conseguimos, se calhar, nas primeiras quatro situações de golo fazer três golos e, depois, ainda temos mais uma oportunidade clara e acabámos por fazer o quarto.

Na segunda parte a eficácia já não foi tão boa, apesar de termos criado oportunidade.

Conseguimos uma vitória boa, robusta, que nos moraliza e não sofremos golos que é uma coisa importante na nossa equipa, porque, no fundo, queremos que a equipa esteja permanentemente equilibrada.

Não demos muitas hipóteses, apesar da forte reação do Tondela na segunda parte e de uma ou outra situação de perigo que, realmente, tiveram, a equipa esteve sempre equilibrada da nossa parte.

O meu agradecimento aos muitos adeptos que estavam à nossa espera, para nos apoiar. Vieram aqui e isso também reforça a necessidade de abrir as portas aos adeptos, evidentemente com segurança, porque as pessoas estão ávidas de futebol.

No caso dos adeptos do Braga estiveram aqui em bom número, antes do jogo a apoiarem-nos, e vieram aqui só para nos apoiar e voltaram outra vez para casa.

Espero que amanhã haja a possibilidade de abrir a porta e ter alguns adeptos dentro do estádio já que, parece-me a mim, estas experiências, este fim de semana, foram bem-sucedidas.

[Sobre o encerramento do mercado de transferências, na terça-feira] Nós sabemos que os nossos jogadores são muito cobiçados. A partir de terça-feira vamo-nos focar todos no Braga e vamos definitivamente arrancar com toda a gente focada para uma excelente época e animar o campeonato”.

– Pako Ayestarán (Treinador do Tondela): “Nenhum treinador espera perder o jogo de início e muito menos perder por quatro golos na primeira parte.

No primeiro tempo [os jogadores do Sporting de Braga] foram muito superiores a nós.

Nos dois jogos anteriores demos uma boa imagem, fomos muito competitivos e hoje tínhamos pela frente uma grande equipa, uma equipa que fez uma grande exibição na primeira parte.

Pensámos que na primeira parte conseguíamos controlar as alas, porque sabíamos que eles posicionam muitos jogadores por dentro (…) mas não fomos capazes e, no segundo tempo, com a mudança de sistema (…) controlámos melhor o jogo e tivemos as nossas oportunidades, mas não fizemos golo.

Prefiro esquecer [os primeiros 45 minutos], porque quando se faz um primeiro tempo como este todos temos algo para analisar, e o primeiro sou eu. Há que aprender com o que aconteceu, mas principalmente esquecer, porque nós não somos a equipa que jogou na primeira parte, somos mais o que fizemos no segundo tempo também.

A agressividade não vem só com um jogador. A equipa tem de conseguir que as bolas cheguem no momento adequado ao lugar adequado”.

Anúncio

Futebol

Paços de Ferreira preparado para jogar com Moreirense (que tem 30 infetados)

I Liga

em

Foto: Paços de Ferreira

O Paços de Ferreira está preparado para defrontar o Moreirense, na sétima jornada da I Liga de futebol, disse hoje o treinador adjunto Samuel Correia, assegurando não haver indicações sobre o adiamento do jogo marcado para sábado. A formação de Moreira de Cónegos tem um total de 30 infetados, entre os quais 21 jogadores e toda a equipa ténica.

Numa semana dominada pelas notícias de um foco de infeção por pelo novo coronavírus no Moreirense envolvendo a maioria dos elementos do plantel, mas também da equipa técnica e estrutura, sobravam as dúvidas sobre a realização do jogo em Moreira de Cónegos, no sábado, e Samuel Correia, que substituiu na conferência de antevisão o técnico principal do Paços, Pepa, que cumpre castigo, adiantou a informação disponível.

“Somos sensíveis a esta situação, que a todos pode tocar, mas não temos indicação de que não há jogo. Vamos sabendo das coisas pelo que vamos lendo. O grupo está focado e preparado para o jogo, como sempre”, disse Samuel Correia.

O treinador adjunto do Paços de Ferreira deu conta de “uma semana normal de trabalho” e confirmou os preparativos para um fim de semana com competição, incluindo a realização dos habituais testes de despistagem, cujos resultados deram negativos.

Moreirense tem 21 jogadores infetados

“Fizemos a observação ao Moreirense, como é habitual com os adversários que defrontámos, embora olhando sempre mais para nós, procurando capitalizar esses bons momentos (da vitória diante do FC Porto, por 3-2, na última jornada)”, acrescentou o técnico.

Samuel Correia frisou que “o grupo atravessa um momento bom”, com sete pontos somados nos últimos três encontros, e assegurou que o Paços prefere sempre jogar 11 contra 11 a ganhar eventualmente jogos na secretaria.

Douglas Tanque continua com problemas físicos e volta a falhar o jogo, numa lista de indisponíveis extensiva aos também lesionados Simão Bertelli, Jorge Silva e David Suahele.

Paços de Ferreira e Moreirense repartem o oitavo lugar, com oito pontos, e, de acordo com a calendarização de jogos da sétima jornada, devem defrontar-se no Parque Desportivo Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos, no sábado, a partir das 15:30.

Continuar a ler

Futebol

Ruben Amorim rejeita que seja o Sporting a praticar melhor futebol da I Liga

I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O treinador do Sporting, Ruben Amorim, rejeitou hoje que o Sporting seja a equipa que pratica o melhor futebol na I Liga e voltou a colocar um ‘travão’ na eventual euforia resultante da liderança do campeonato.

Na antevisão da partida de sábado, frente ao Vitória SC, o técnico dos ‘leões’ insistiu no discurso “jogo a jogo” e lembrou também que a equipa vai ter “altos e baixos” durante a época, que ainda só teve seis jornadas.

“Não concordo que o Sporting seja a melhor equipa a jogar em Portugal. Isso vê-se jornada a jornada, à segunda era o FC Porto, depois de uma vitória por 5-0, depois foi o Benfica que ia na frente, o SC Braga que já não perdia há vários jogos e agora [diz-se que] é o Sporting”, desvalorizou o treinador ‘leonino’ em conferência de imprensa na Academia de Alcochete.

Por isso, Ruben Amorim procurou, ao longo da semana, “desconstruir tudo em volta do primeiro lugar”, sublinhando que a única forma de manter a liderança é “vencendo o próximo jogo”, frente a um Vitória de Guimarães que é “uma excelente equipa”, que luta por “objetivos altos” e que tem individualidades como “Edwards e Quaresma, que podem fazer a diferença”.

Ainda assim, garantiu que “o Sporting está preparado para as dificuldades”, mas rejeitou que a partida no Estádio D. Afonso Henriques se torne menos complicada para a jovem equipa ‘leonina’ por decorrer à porta fechada, devido à pandemia de covid-19.

E sobre a eventual pressão que a equipa poderia sentir na presença do ‘exigente’ público de Alvalade, admitiu que é algo que só se saberá “quando os adeptos voltarem” às bancadas.

“O que interessa é que a equipa se adaptou às circunstâncias. Os nossos adeptos também estão a ter um sinal durante este período, a ver o que a equipa precisa. Os adeptos do Sporting são inteligentes e estão em casa a preparar-se para isso”, elogiou Ruben Amorim.

Desafiado a comentar o momento de forma de Pedro Gonçalves e Nuno Santos, jogadores que têm tido papel de relevo na ‘manobra’ da equipa, o treinador preferiu reforçar a “união” do grupo e que a equipa “está preparada” para lutar nos maus momentos.

“Gosto de realçar também o trabalho do TT [Tiago Tomás], a forma como o Feddal se entrega e joga, por vezes, até lesionado, como o [Luís] Neto apoia os colegas, como o Adán comanda a equipa. Há muito talento, mas a força desta equipa está na união. Sei que está preparada para maus momentos, mas é continuar a adiá-los, de preferência até à próxima época”, comentou.

O Sporting visita o Vitória SC, no sábado, em partida da sétima jornada a I Liga portuguesa de futebol, marcada para as 20:30, no Estádio D. Afonso Henriques.

Os ‘leões’ procuram manter a liderança isolada do campeonato, conquistada na última jornada após um triunfo por 4-0 sobre o Tondela, em Alvalade, e a derrota do Benfica (3-0) no terreno do Boavista.

Continuar a ler

Futebol

Treinador do Vitória SC lembra Sporting que “campeonato é uma maratona”

I Liga

em

Foto: DR / Arquivo

O treinador do Vitória SC, João Henriques, disse hoje que o Sporting está a “ganhar a prova de 100 metros”, mas a I Liga de futebol “é uma maratona” e mostrou ambição de bater os ‘leões’.

“Não estamos só preocupados com travar o Sporting, mas com o crescimento do Vitória, temos vindo a crescer e com pontos. Essa é nossa preocupação, sermos uma equipa mais consistente durante os 90 minutos, se o formos será mais difícil ao Sporting continuar a fazer o seu percurso”, disse na antevisão da receção ao Sporting, no sábado.

O técnico deixou elogios ao homólogo do Sporting, Rúben Amorim, e à equipa ‘leonina’, que lidera isolada o campeonato.

“Não tenho dúvidas nenhumas do trabalho do treinador, já é algo que está bem identificado, dois clubes diferentes, dinâmicas e ideias muito próprias. Não há dúvidas sobre as individualidades no Sporting, com os reforços que vieram. É uma equipa forte, não sei se o Sporting mais forte dos últimos anos, vamos ver no fim. É um coletivo que está a funcionar, vamos ver é que consistência tem numa maratona como é o campeonato. Na prova de 100 metros está a ganhar, está à frente”, disse.

O treinador frisou que “ainda é muito cedo, os campeões nacionais nas últimas épocas tiveram atrasos significativos” e depois recuperaram.

Questionado sobre se o facto de Rúben Amorim não abdicar do esquema tático que implementou (3x4x3) em nenhuma circunstância poder tornar mais previsível o jogo ‘leonino’ e, por isso, mais fácil de contrariar, João Henriques notou que, apesar de todas as equipas até agora o saberem, nenhuma o conseguiu “e só o FC Porto conseguiu empatar”.

“Hoje, há um conhecimento muito grande de todas as equipas, o Sporting tem sempre a mesma estrutura, o 3x4x3, mas há dinâmicas e ‘nuances’ que são importantes e que são exploradas durante o jogo, todos os treinadores fazem isso, e depois há as individualidades, que têm características diferentes. É diferente jogar o João Mário ou o Matheus Nunes, o Jovane ou o Sporar”, disse.

O treinador afirmou ainda querer a equipa vitoriana a reforçar a sua “solidez” durante os 90 minutos.

“Faz parte da mudança de ideias da nova equipa técnica, há uma assimilação das ideias e um espaço de tempo que temos que perceber que, por muita vontade dos jogadores, na aprendizagem há uma evolução e ligeiros retrocessos, é o que tem acontecido durante o jogo”, disse.

O treinador vincou a ideia de que o Vitória SC terá de ser uma equipa que, “em qualquer campo e contra qualquer adversário, disputa os três pontos, é uma premissa de que não abdicará nunca”.

João Henriques frisou que o Vitória tem “um plano B” e que quer que a sua equipa seja uma espécie de “camaleão”: ir “olhando para o jogo e para o adversário e, sem deixar de ser um camaleão, poder ter várias cores”.

Ricardo Quaresma fez a sua formação no Sporting, clube onde também começou como profissional e se sagrou campeão nacional em 2001/02, e para João Henriques este será, apesar da grande experiência do internacional português, “um jogo especial”.

“É um jogo especial, é o clube onde ele iniciou a sua carreira profissional e fez a sua formação, mas tirando isso, com 37 anos e a sua experiência, é mais um jogo na carreira dele. Ele está comprometido com o projeto e tem sido muito importante na integração dos jovens para eles crescerem. Desde que aqui cheguei, tem sido um exemplo a liderar, jogar, ajudar”, disse.

Vitória SC, sexto classificado, com 10 pontos, e Sporting, primeiro, com 16, defrontam-se a partir das 20:30 de sábado, no Estádio D. Afonso Henriques, num jogo que será arbitrado por Hugo Miguel, da associação de Lisboa.

Continuar a ler

Populares