Seguir o O MINHO

Motores

Nacional de supercrosse cancelado, motocrosse pode regressar em setembro

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O campeonato nacional de supercrosse de 2020 foi cancelado, devido à pandemia de covid-19, mas a Federação de Motociclismo de Portugal (FMP) pretende retomar o nacional de motocrosse a partir de setembro, anunciou hoje o organismo federativo.


“Com cinco eventos originalmente agendados para julho e agosto e sendo improvável poder acolher público por força das restrições impostas pela Direção-Geral da Saúde (DGS), a Comissão de Motocrosse da FMP, em conjunto com os clubes organizadores, decidiram cancelar o campeonato nacional de supercrosse 2020”, informa a federação.

O presidente da Comissão de Motocrosse da FMP, Rodrigo Castro, admitiu que se tratou de “uma decisão difícil, mas por todos considerada como a mais acertada”, permitindo aos responsáveis pela modalidade em Portugal começar a preparar o regresso da especialidade em 2021.

“Ao mesmo tempo, e igualmente de acordo com os clubes organizadores e promotores, a FMP pretende reatar o campeonato nacional de motocrosse, bem como os campeonatos regionais de motocrosse a partir de setembro, que foram interrompidos devido à pandemia de covid-19”, adianta o organismo.

Rodrigo Castro comprometeu-se a “realizar o campeonato de motocrosse com todas as condições” de segurança, apesar de ter manifestado a “esperança de poder ter público [a assistir às provas], pois só assim as corridas fazem sentido”.

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, suspensas, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América – ou mesmo canceladas.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 477 mil mortos e infetou mais de 9,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Portugal contabiliza pelo menos 1.540 mortos associados à covid-19 em 39.737 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da DGS.

Anúncio

Motores

MotoGP anuncia calendário com 15 provas e Portugal é hipótese para encerrar temporada

Motores

em

Foto: DR / Arquivo

O Mundial de MotoGP foi, este ano, reduzido a 15 corridas devido à pandemia de covid-19, anunciou hoje a DORNA, e Portugal é hipótese para acolher a prova de encerramento da época.

Em comunicado, a empresa promotora do Campeonato do Mundo de Velocidade em motociclismo anunciou hoje a entrada de uma nova corrida na Europa, devido ao cancelamento das provas de Argentina, Tailândia e Malásia.

Em declarações à Agência Lusa, o presidente da Federação Internacional de Motociclismo, o português Jorge Viegas, confirmou que “Portimão é uma hipótese” para acolher esta 15.ª prova.

“O Autódromo Internacional do Algarve (AIA) é circuito de reserva do Mundial de MotoGP nos anos de 2020 e 2021 e tem um pré-acordo para entrar no calendário em 2022”, recordou.

Com a vinda do Mundial de Fórmula 1, a 25 de outubro, o circuito algarvio sofrerá obras de melhoramento, nomeadamente com o asfaltamento da pista, que era uma das exigências da DORNA para a vinda do campeonato a Portugal, resolvendo, assim, esse problema.

No entanto, instado a confirmar a entrada do AIA já no calendário de 2020, Jorge Viegas escusa-se a “fazer comentários”.

O anúncio será feito publicamente no dia 10 de agosto.

A data disponível é o 22 de novembro, a seguir ao Grande Prémio da Comunidade Valenciana, em Espanha, que se disputa no fim de semana anterior.

Certo é que quem acolher a derradeira prova da temporada irá, também, organizar a Gala dos Campeões, da DORNA, onde são entregues os troféus aos campeões da temporada.

O Mundial de MotoGP tinha início previsto no dia 08 de março, mas a prova foi cancelada devido à pandemia de covid-19, tendo tido a primeira prova no circuito espanhol de Jerez de la Frontera, a 19 de julho, e a segunda uma semana mais tarde, no mesmo traçado.

Após duas provas realizadas, o francês Fabio Quartararo (Yamaha) lidera o campeonato, com 50 pontos. O português Miguel Oliveira (KTM) é 13.º, com oito.

Continuar a ler

Motores

Quartararo vence GP da Andaluzia, Miguel Oliveira abandona após queda

MotoGP

em

Miguel Oliveira. Foto: Facebook

O francês Fabio Quartararo (Yamaha) venceu hoje o Grande Prémio da Andaluzia de MotoGP, segunda corrida do Mundial de velocidade de motociclismo, que o português Miguel Oliveira abandonou na primeira curva, na sequência de uma queda.

Quartararo, que partiu da ‘pole position’, dominou a corrida espanhola do princípio ao fim, terminando com 4,495 segundos de vantagem sobre o espanhol Maverick Viñales (Yamaha) e 5,546 sobre o italiano Valentino Rossi (Yamaha), que não subia ao pódio desde o Grande Prémio das Américas de 2019.

Com este resultado no circuito de Jerez de la Frontera, Quartararo alargou para seis pontos a vantagem na liderança do Campeonato do Mundo de MotoGP, graças a duas vitórias em duas corridas disputadas.

Continuar a ler

Motores

Miguel Oliveira com melhor qualificação de sempre em MotoGP, ao ser quinto na Andaluzia

Motores

em

Miguel Oliveira. Foto: Divulgação

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) garantiu hoje a melhor qualificação da carreira em MotoGP, ao arrebatar o quinto lugar da grelha de partida para o Grande Prémio da Andaluzia, segunda prova do Mundial de velocidade de motociclismo.

O português, que foi o mais rápido na primeira fase da qualificação, garantiu um lugar entre os 12 mais rápidos do pelotão pela primeira vez desde que subiu à categoria rainha do Mundial de velocidade.

Na segunda sessão de qualificação, o piloto de Almada saiu apenas uma vez para a pista, realizando a sua melhor volta em 1.37,344 minutos, a 337 milésimas do francês Fabio Quartararo (Yamaha), autor da ‘pole position’ e líder do campeonato.

O melhor resultado de Miguel Oliveira em qualificação tinha sido o 13.º lugar do GP da Áustria do ano passado e o piloto português é, assim, o melhor representante da KTM na grelha de partida para a corrida de domingo.

Miguel Oliveira é oitavo classificado no Mundial de MotoGP, com oito pontos conquistados, após a realização de uma corrida, num ano fortemente perturbado pela pandemia de covid-19.

Continuar a ler

Populares