Seguir o O MINHO

Esposende

Montepio abre em Esposende balcão de proximidade e conveniência

Em Fão

em

Foto: DR

O Banco Montepio abriu hoje em Fão, Esposende, um balcão de proximidade e conveniência, que se distingue dos tradicionais por ser mais pequeno e oferecer um horário de conveniência, ajustado às necessidades da população.

Em comunicado enviado à Lusa, o Montepio refere que o balcão de Fão pode servir uma população de cerca de 3.000 pessoas, conta com dois colaboradores e funciona entre as 09:00 e as 14:00.

“Com esta abertura, o banco dá continuidade à criação de uma rede de balcões de proximidade em zonas menos urbanas e, na localidade de Fão, cumpre um dos principais objetivos que é devolver a populações privadas de serviços bancários o acesso a serviços considerados essenciais”, acrescenta.

O presidente da Câmara de Esposende, Benjamim Pereira, congratulou-se com a abertura daquele balcão, que ocorre cerca de três anos depois do encerramento da única agência bancária que operava em Fão

Para o autarca, trata-se de uma “mais-valia” para toda a comunidade, comércio e indústria e instituições, não só de Fão, como da região.

Sublinha que o balcão evita a deslocação da população local para outras localidades para tratar das suas transações bancárias, “particularmente a comunidade idosa, que ali passa a ter um serviço de proximidade”.

Fão é o segundo balcão de proximidade e conveniência do Montepio a abrir as portas, depois de Abraveses, em Viseu.

São balcões “tipicamente mais pequenos” do que os tradicionais, mas “exatamente com a mesma oferta” disponível nas agências do Banco Montepio.

Até ao final de maio, vão ser inaugurados os balcões de Ferro (Covilhã) e Ferreira do Alentejo, seguindo-se depois Oiã (Oliveira do Bairro), Pedras Salgadas (Vila Pouca de Aguiar) e Avanca (Estarreja).

“Esta rede de balcões de proximidade é um dos pilares do Plano de Transformação que o Banco Montepio está a implantar e vem reforçar o posicionamento como instituição universal, de todas as famílias, empresas e instituições do setor social”, remata o comunicado.

Populares