Seguir o O MINHO

Braga

Jovem de 17 anos detido em Braga por se recusar a ficar em casa

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Um jovem de 17 anos foi detido por agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) por desobediência ao dever geral de recolhimento domiciliário, em Braga, anunciou hoje aquela força policial.


Em comunicado enviado a O MINHO, o comando distrital da PSP de Braga dá conta da detenção ocorrida no domingo, cerca das 21:45, no âmbito do Decreto-Lei n.º 2-A/2020, de 20 de março, que dita Estado de Emergência com recolhimento domiciliário.

O jovem acabou por continuar a infringir a lei, não acatando a indicação da PSP, mesmo depois de lhe ter sido informado que se voltasse a ser localizado na rua sem que tal se justificasse, incorreria num crime de desobediência, o que acabou por voltar a acontecer.

Foi detido e notificado para comparecer no Tribunal Judicial da Comarca de Braga.

Anúncio

Braga

Centenas contra o racismo em Braga (com máscara mas sem grande distanciamento social)

FOTOGALERIA

em

Fotos: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O protesto solidário pela morte do norte-americano George Floyd, ocorrido no passado dia 25 de maio, às mãos de um agente de polícia, decorreu este sábado na Avenida Central, no centro de Braga, à semelhança das restantes maiores cidades do país.


Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Com testemunhos de vítimas de racismo e preconceito, dezenas de cartazes com mensagens e gritos de protesto, a manifestação juntou cerca de 200 pessoas, todas com máscara, mas sem grandes regras de distanciamento social, apesar do esforço da organização.

Continuar a ler

Braga

Todos os bombeiros de Amares infetados já recuperaram da covid

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Os seis operacionais assalariados dos Bombeiros Voluntários de Amares que estavam infetados com covid-19 já recuperaram e regressaram ao trabalho.


O MINHO falou com Domingos Ferreira, responsável do comando daquela associação humanitária, que confirmou a ‘boa nova’, dando conta de que regressaram com “todas as medidas de segurança”.

O comandante-adjunto acrescenta ainda que já está formado uma equipa de combate a incêndios integrada no dispositivo especial, em prontidão, caso surja algum incêndio no concelho, algo que ainda não aconteceu desde que foi estabelecida.

Recorde-se que os primeiros casos de bombeiros contagiados ocorreu a 02 de maio, com dois casos positivos. Foram, entretanto, confirmados mais quatro casos, mas já todos recuperaram.

Durante o mês de maio, a sombra de novos contágios pairou sobre o corpo ativo, com o receio de que o quartel tivesse de ser encerrado, face à falta de operacionais. Mas a questão foi contornada com o serviço a ser assegurado em exclusivo por elementos voluntários.

Segundo o relatório da DGS por concelho de sexta-feira, existiam no concelho de Amares 78 casos confirmados de contágio pelo novo coronavírus.

Continuar a ler

Braga

Primeira feira junto ao Estádio Municipal de Braga decorre sem incidentes

Feiras e mercados

em

Foto: DR / Arquivo

A primeira feira semanal dos comerciantes que operavam no exterior do mercado de Braga está a decorrer, hoje, “sem incidentes” na Alameda do Estádio.


A vereadora do setor, Olga Pereira revelou hoje a O MINHO que a feira está a ter uma afluência “razoável” estando a ser realizada de acordo com as regras de segurança impostas pela Direção Geral de Saúde e que passam por uma distância de dois metros entre cada tenda, por corredores próprios para a entrada e a saída de pessoas e pelo uso de máscara.

“A Câmara congratula-se com a realização da feira. Ao contrário do que, por vezes foi dito, a nossa intenção sempre foi a de dar a oportunidade aos vendedores de exercerem a sua atividade noutro local, já que a zona exterior do mercado não tinha condições para que as regras de segurança fossem cumpridas”, salientou.

No local está, também, uma força da Polícia Municipal “para ajudar a que tudo corra bem” e para que cada feirante ocupe o lugar que lhe está determinado.

Recorde-se que os feirantes realizaram vários protestos em frente ao edifício dos Paços do Concelho exigindo que o Município lhes passasse um documento em como voltariam para o exterior do mercado.

A vereadora recusou-se a passar o dito documento, dizendo que a palavra da autarquia é suficiente, mas, em resposta a um abaixo-assinado entregue pelos feirantes, presidente da Câmara reafirmou que o direito ao regresso estava garantido, o que levou o grupo a desistir do protesto e a aceitar a ida para junto do estádio.

Continuar a ler

Populares