Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

José Maria Costa mantém “toda a confiança” no comandante dos Sapadores de Viana

Após sindicato exigir a demissão

em

Foto: Divulgação / CM Viana do Castelo

O presidente da Câmara de Viana do Castelo disse hoje manter “toda a confiança” no comandante dos Bombeiros Sapadores contra quem o Sindicato Trabalhadores da Administração Local (STAL) disse ir interpor uma ação judicial por assédio laboral.

“Não conheço a queixa em particular. Mantenho toda a confiança no comandante dos Bombeiros Sapadores”, afirmou José Maria Costa.

O autarca socialista respondia a uma interpelação da vereadora da CDU, Cláudia Marinho, no período antes da ordem do dia da reunião camarária de hoje.

José Maria Costa adiantou “não ter informação nenhuma” sobre o processo e sublinhou “quando a queixa” lhe “chegar à mão e quando for objeto de análise” agirá em conformidade.

“Não temos tido nenhuma razão de queixa, até ao momento, na forma e organização da corporação. Sabemos que há sempre uma ou outra reclamação, que é natural do ponto de vista sindical, a que temos procurado dar acolhimento. Mantenho a confiança no Comandante António Cruz. Não tenho razão para o contrário”, frisou.

Hoje a coordenadora do STAL, Ludovina Sousa anunciou uma ação em tribunal contra o Comandante dos Bombeiros Sapadores de Viana do Castelo, por “práticas que consubstanciam verdadeiros atos de discriminação e assédio moral e laboral”.

Em comunicado enviado à agência Lusa, Ludovina Sousa adiantou que a decisão de recorrer à justiça foi tomada na terça-feira, em plenário de trabalhadores.

“Os trabalhadores, Bombeiros Sapadores, associados do STAL, solicitaram o apoio do sindicato para intentarem junto dos tribunais uma ação coletiva por assédio moral e laboral, que será instaurada nos próximos dias”.

A Lusa contactou o comandante dos Sapadores, António Cruz, mas ainda não obteve reação às acusações do STAL.

Segundo o sindicato, “os trabalhadores decidiram dar luz verde à denúncia pública desta situação, que se tornou insustentável e que prejudica, irremediavelmente, o bom funcionamento do Corpo de Bombeiros, que se deseja estável a bem do serviço público”.

Além da ação em tribunal “ficou ainda decidido denunciar à Inspeção Geral de Finanças os sucessivos incumprimentos por parte do Comandante, enquanto superior hierárquico, do processo avaliativo dos trabalhadores”.

Segundo a sindicalista, “desde meados de 2015, altura em que António Cruz assumiu o comando do Corpo de Bombeiros Municipais de Viana, que os trabalhadores são vítimas do autoritarismo e abuso de poder”.

Com 242 anos de existência, os antigos Bombeiros Municipais de Viana do Castelo passaram, em 2019, a designar-se Companhia de Bombeiros Sapadores.

A decisão foi tomada, por unanimidade pela Câmara de Viana do Castelo, dando cumprimento ao Decreto-Lei Nº 86/2019.

Os até então Bombeiros Municipais de Viana do Castelo, tiveram como designação original a de Companhia da Bomba, e foram fundados a 22 de março de 1780. São o terceiro mais antigo corpo de bombeiros do país, logo a seguir aos Sapadores de Lisboa e Porto. Contam com uma estrutura profissional constituída por mais de 50 operacionais.

A corporação “tem como função e objetivo principal o salvamento e proteção de pessoas e bens, tendo como área de atuação o Município de Viana do Castelo. No entanto, entram em campo sempre que solicitados pela estrutura da Autoridade Nacional de Proteção Civil”.

Dispõe de veículos de combate a incêndios, veículos tanque, um veículo autoescada com trinta metros, ambulâncias de socorro, viaturas de socorro e assistência estratégica, veículo de comando, um de apoio a mergulhadores, veículos de apoio diverso e bote de socorro e resgate.

Populares