Seguir o O MINHO

Braga

Já abriu a praça de alimentação no Mercado Municipal de Braga

Criou cerca de 60 empregos diretos

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

A praça de alimentação no Mercado Municipal de Braga, explorada pela Sonae Sierra, foi inaugurada na manhã desta quinta-feira, numa cerimónia que contou com a presença do presidente da Câmara, Ricardo Rio.

Em comunicado, a Sonae Sierra, empresa imobiliária e prestadora de serviços imobiliários integrados, explica que ali implementou o conceito ‘Mesa na Praça’, “com o objetivo de dar uma nova vida ao espaço e contribuir para uma nova centralidade daquela zona do centro histórico da cidade”.

Carlos Jesus, Head of Business Development da área de Property Management da Sonae Sierra, afirma, citado no comunicado, que “o conceito ‘Mesa na Praça’ é um elemento-chave da requalificação do Mercado de Braga e da criação de uma nova centralidade para a zona onde se insere. Foi desenvolvido pela Living Markets, empresa da Sonae Sierra para a criação e gestão de novos conceitos de mercados urbanos, após um planeamento cuidado, com base em estudos de mercado e assente no equilíbrio entre os valores de Tradição, Inovação, Cultura, Sustentabilidade e Comunidade. O ‘Mesa na Praça’ trará uma oferta diversificada, que alia conceitos inovadores a outros ligados à cultura e às tradições da cidade de Braga.”

A Sonae Sierra refere que este projeto permitiu criar cerca de 60 postos de trabalho diretos e mais de 100 indiretos.

Inauguração da zona de restauração do Mercado Municipal de Braga. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Inauguração da zona de restauração do Mercado Municipal de Braga. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Inauguração da zona de restauração do Mercado Municipal de Braga. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Inauguração da zona de restauração do Mercado Municipal de Braga. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Inauguração da zona de restauração do Mercado Municipal de Braga. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Inauguração da zona de restauração do Mercado Municipal de Braga. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Inauguração da zona de restauração do Mercado Municipal de Braga. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Inauguração da zona de restauração do Mercado Municipal de Braga. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Inauguração da zona de restauração do Mercado Municipal de Braga. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Inauguração da zona de restauração do Mercado Municipal de Braga. Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

A zona de restauração do mercado contará com 10 quiosques, e disponibilizará espaços temporários para promover produtos e conceitos de comerciantes locais.

Entre a oferta estarão, por exemplo, o conceito inédito Chakburger, que representa a estreia do chef Chakall em Braga. Trata-se de uma hamburgueria que aposta em produto 100% carne angus, produzida em Portugal, disponibilizando também hambúrgueres vegetarianos. O espaço Frigideiras da Praça oferecerá a típica iguaria bracarense, mas também vários outros tipos de pastéis. A Vinoteca à Braga, um wine&bistro, aliará uma importante garrafeira com vinhos de várias zonas do país e do mundo a comida tradicional da cidade: todos os meses, um restaurante local será responsável pelos petiscos disponíveis para acompanhar o vinho.

O espaço “Mesa na Praça” incluirá também os quiosques O Forno do Leitão do Zé, de sandes de leitão assado; o Siamo in Due, com pratos típicos de Itália, da responsabilidade do Chef de Esposende Vitor Peixoto; o Tribunal da Cerveja; e a Confeitaria Moura. Existirá ainda um espaço temporário ocupado pela Pappa’Lab, uma gelataria tradicional, artesanal e de inspiração sazonal, da responsabilidade da jovem bracarense Marta Rito Bezerra, e cujos produtos são produzidos com matéria-prima adquirida no Mercado.

“Assegurámos a diferenciação e inovação dos conceitos e dos produtos disponíveis de modo a garantir aos visitantes uma oferta variada e aos operadores um ecossistema que cria valor para todos, como novo polo de atratividade na área da restauração”, acrescenta o responsável.

Este conceito distingue-se também pelo facto de não se utilizar plástico no serviço ao cliente, por existir uma recomendação aos operadores para que pelo menos 20% das suas compras sejam feitas aos comerciantes locais, e pelo facto de se assumir como um espaço dedicado a ser palco e montra de artistas locais.

“O equilíbrio entre inovação e tradição, bem como o diálogo com a comunidade refletiram-se também na fase de requalificação, quer nas opões de mobiliário e decoração, quer na opção, sempre que possível, por fornecedores locais, nomeadamente a Central Arquitetos, que desenvolveu o conceito do espaço interior, a Moniz Dias, que executou o conceito (mobiliário e reclamos), e a Edigma, que instalou o sistema de vídeo”, conclui a Sonae.

Populares