Seguir o O MINHO

Cávado

IPCA recebe terreno em Barcelos com 33.200 m2 para aumentar o ‘campus’

Albergará edifício para a investigação e transferência de tecnologia, auditório de 500 lugares, residência universitária com 130 camas e um espaço multiusos

em

A ampliação do Campus do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) deu hoje ‘um passo em frente’ com a assinatura do contrato de direito de superfície da Quinta do Patarro, terreno com 33.200 m2, onde irá nascer o futuro Barcelos Collaborative Research and Innovation Centre (B-CRIC), um espaço destinado à investigação e inovação multidisciplinar e colaborativa, bem como um auditório de 500 lugares e uma residência universitária para 130 camas.

Em comunicado, aquele politécnico explica que ao abrigo do contrato hoje assinado com o Município de Barcelos, a autarquia cede ao IPCA, pelo prazo de 50 anos, automática e sucessivamente renovável pelo prazo de 20 anos, o direito sobre a Quinta do Patarro, que recentemente adquiriu por dois milhões de euros.

O contrato de constituição do direito de superfície pelo Município de Barcelos a favor do IPCA foi celebrado na sala da presidência do IPCA pelo presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes, em representação do Município, e pela presidente do IPCA, Maria José Fernandes, em representação do IPCA, na presença do notário, estando presentes os dois vice-presidentes, o administrador, a diretora dos SAS e os cinco diretores das Escolas Superiores do IPCA, e a vereadora Anabela Real.

A presidente do IPCA, Maria José Fernandes, referiu que este acordo de transferência da propriedade do imóvel com 33.200 m2, com acesso pela Avenida de São José, “concretiza uma das grandes ambições deste Instituto e, também, da Câmara Municipal, pois permitirá a ligação do Campus do IPCA à cidade, tornando este espaço e as suas vias pedonais, em especial as ecovias, locais excelentes de mobilidade dos cidadãos, dando ainda mais vida ao campus”.

Acrescentou que “este é um dia histórico e muito importante porque a aquisição deste prédio sempre foi defendida pelo Professor João Carvalho que, com a sua persistência, também contribuiu para a sua concretização para fazer uma efetiva ligação do campus do IPCA ao centro da cidade”.

Agradeceu ao Presidente da Câmara todo o empenho que há mais de dois anos colocou na aquisição deste imóvel e no aumento do campus do IPCA para mais de 10 hectares, concretizando o acordo inicial do Município de Barcelos em atribuir essa área para a instalação do IPCA, em Barcelos.

No caso concreto do edifício para o Barcelos CRIC, a Presidente do IPCA explicou que “será um espaço com várias unidades de Investigação & Desenvolvimento, vocacionado para inovação e a transferência de conhecimento para as empresas”. O Barcelos CRIC irá albergar, logo na primeira fase, três unidades de I&D do IPCA, que foram, recentemente, aprovadas e financiadas pela Fundação para a Ciência e Tecnologia em mais de um milhão de euros. “Os projetos de arquitetura e de especialidades, bem como o projeto de execução, estão concluídos e em fase de revisão, pelo que o IPCA precisava de ter o direito de propriedade deste terreno para poder apresentar candidatura a financiamento a fundos europeus, em especial ao PRR” revelou Maria José Fernandes. Para mais tarde, adiantou, “está ainda prevista a construção de um multiusos, com áreas verdes de utilização coletiva, que permitirá a melhoria dos espaços e dos equipamentos destinados às atividades de ciência, do desporto, da cultura, do desenvolvimento económico e social e, dessa forma, para o crescimento sustentado do IPCA e do seu Campus aberto à cidade”.

O Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, dirigiu algumas palavras aos presentes referindo “sentir muita alegria por estar a contribuir para consolidar o projeto IPCA, importante para o concelho de Barcelos e para a região”, acrescentando “ que gostava que fosse construído o pavilhão multiusos porque é útil para os estudantes e poderá ser utilizado nas atividades económicas, sociais, desportivas e culturais da comunidade académica e, simultaneamente, pelos munícipes e pela comunidade empresarial do concelho”. Acrescentou que “o edifício para o Barcelos CRIC, a residência universitária e o multiusos serão infraestruturas que permitirão a realização de grandes eventos em Barcelos, e, também, a realização de importantes encontros de conhecimento e inovação promovidos pela comunidade científica internacional onde o IPCA já tem um reconhecimento assinalável.“ Concluiu a sua intervenção referindo que “ a construção do auditório com 500 lugares vai permitir o crescimento do turismo de negócios e de eventos, potenciando o surgimento de novas unidades hoteleiras, existindo já interessados em construí-las em Barcelos.”

Populares