Seguir o O MINHO

Famalicão

Homicida de Famalicão dizia nos cafés que ia matar a companheira, mas ninguém fez queixa

Crime em Gondifelos

em

Foto: Direitos Reservados (via "Correio da Manhã")

O homem que matou a esposa e suicidou-se de seguida, esta manhã de domingo, em Gondifelos, Famalicão, já teria dito a colegas que iria matar a companheira, por ciúmes, mas nenhum destes denunciou a situação às autoridades.

De acordo com a Polícia Judiciária, citada pelo jornal PÚBLICO, a mulher terá apresentado queixa na passada sexta-feira junto da GNR por violência doméstica, horas antes de ter sido assassinada pelo companheiro.

Ao que O MINHO apurou junto de alguns conhecidos do casal, o homem teria ciúmes da mulher, tendo inclusive garantido a colegas e amigos que a iria matar.

José Carlos Ribeiro, de 61 anos, juntou-se com a vítima há poucos anos, depois de um relacionamento anterior num país da América do Sul, onde deixou filhos.

Regressado a Famalicão, o homem terá tentado refazer a vida, acabando por se juntar com Otília Castro, de 56 anos, mas a relação nunca correu bem.

Também a vítima de homicídio estava divorciada, tendo filhos e netos emigrados em França. Ao que O MINHO apurou, um dos filhos de Otília regressava este fim de semana para visitar a mãe, tendo encontrado o cenário macabro na habitação n.º 711 da Rua Senhor das Penices, em Gondifelos.

Foto: Fernando André Silva/O MINHO

Alguns dos conhecidos do alegado homicida mostraram-se incrédulos devido à utilização de uma arma por parte deste. Apontavam-no como uma pessoa conflituosa e que “arranjava zaragata” com tremenda facilidade, a quem não deveria ser dada permissão de porte de arma.

Foto: Fernando André Silva/O MINHO

Apesar destes testemunhos, o presidente da junta de união de Cavalões, Outiz e Gondifelos, Manuel Novais, descreveu o homem como uma pessoa calma, algo que não foi confirmado pelos conhecidos de José Ribeiro.

No teatro de operações estiveram os Bombeiros Voluntários Famalicenses e da GNR de Vila Nova de Famalicão, num total de 11 operacionais e seis viaturas.

O caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária do Porto.

*Notícia atualizada às 22h47 com informações adicionais da Polícia Judiciária acerca de uma queixa apresentada na GNR pela própria vítima

Anúncio

Famalicão

Mulher morre após cair a um poço em Famalicão

Em Joane

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Uma mulher com cerca de 60 anos perdeu a vida esta manhã, em Joane, Famalicão, após queda no poço da sua habitação, confirmou O MINHO junto de fonte dos Bombeiros Famalicenses.

O alerta foi registado pelo Centro de Orientação de Doentes Urgentes do INEM cerca das 09:36 desta terça-feira, mobilizando meios dos Bombeiros de Famalicão e da equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação de Famalicão.

Apesar das tentativas, primeiro de resgate, e posteriormente de tentativa de reanimação, a mulher acabou por morrer, com o óbito a ser declarado ainda no local.

Ao que O MINHO apurou, a GNR de Joane está no local para investigar as causas da ocorrência.

Continuar a ler

Famalicão

Jovem gravemente ferida após despiste contra árvore em Famalicão

Em Vilarinho das Cambas

em

Foto: DR / Arquivo

Um despiste contra uma árvore provocou ferimentos graves numa jovem de 20 anos, esta madrugada de sábado, em Vilarinho das Cambas, Famalicão.

A vítima,  com 20 anos, foi alvo de desencarceramento depois de ter ficado presa dentro da viatura na Rua da Junqueira, por volta das 03:40.

Ao local acorreram os Bombeiros Voluntários de Famalicão e a equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação de Famalicão.

Do sinistro resultou ainda outro ferido, este com ferimentos ligeiros.

A jovem foi transportada para o Hospital de Braga enquanto o ferido ligeiro foi transportado para o Hospital de Famalicão.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Famalicão

Assaltou banco em Famalicão para ir à América conhecer amiga do Facebook

Em Riba d’Ave

em

Foto: DR

Um homem acusado de assaltar um banco no concelho de Famalicão, em dezembro de 2018, começou a ser julgado esta sexta-feira no Tribunal de Guimarães, tendo explicado o que o levou a efetuar o golpe no BPI de Riba d’Ave.

Casimiro Lemos, tintureiro de profissão, confessou os crimes de que estava acusado, mostrando arrependimento e vergonha. Segundo relata o Jornal de Notícias, o homem terá assaltado o banco com a finalidade de conseguir dinheiro para pagar uma viagem aos Estados Unidos da América, de forma a conhecer uma mulher com quem vinha falando na rede social Facebook.

O homem confessou ainda que o dinheiro seria também para sustentar um vício de droga.

Casimiro encontra-se em liberdade durante o julgamento, mas será sujeito a perícias do foro psiquiátrico de forma a perceber se pode ser condenado, uma vez que pode ser considerado inimputável perante a justiça.

A defesa do homem alegou que o homem não teria discernimento suficiente para saber que o que estava a fazer era um crime.

Antes do assalto consumado ao BPI situado em Riba d’Ave, Famalicão, o homem tentou ainda assaltar dois balcões do Montepio, em Pevidém e Brito, Guimarães, e os CTT de Pevidém e de Guimarães.

Terá utilizado blocos de madeira e um telemóvel amarrados ao corpo de forma a simular uma cintura de explosivos com detonador.

Continuar a ler

Populares