Seguir o O MINHO

Região

História de 1 de Abril de O MINHO foi notícia mais partilhada nas redes sociais em Portugal

Números, referências e situações

em

Foto: DR

O MINHO escolheu, este ano, o “amuo de Madonna com Portugal” para lançar a sua tradicional notícia do dia 01 de abril.


Num artigo publicado precisamente às 00:00 horas desta segunda feira, o jornal digital escreveu que, “triste com a sua situação em Sintra, onde teve, na semana passada, uma desavença com a autarquia, Madonna já decidiu. Vai abandonar Lisboa e será em Ponte de Lima, no Minho, que a celebridade norte-americana irá continuar a viver em Portugal”.

A isto, juntou um conjunto de argumentos para justificar a pretensa decisão da artista: o filho que viria jogar para a formação do SC Braga, a paixão pelas Feiras Novas, pelo Arroz de Sarrabulho e pelo Pudim Abade Priscos, as praias que teria por perto e, até, a proximidade de Quim Barreiros, em Vila Praia de Âncora, que Madonna, dizia no artigo, gostaria de conhecer.

Imagem: Google

Entre os que acharam piada – a esmagadora maioria, presume-se – e os que ficaram boquiabertos, foram mais de 125 mil pessoas que leram a notícia no site de O MINHO.

Imagem: Story.Board (Em março, segundo esta ferramenta, as publicações de O MINHO, no Facebook, foram partilhadas 131 mil vezes – curiosidade)

Nas redes sociais, de forma muito surpreendente, foram bastante mais. O artigo liderou a tabela das notícias mais partilhadas em Portugal, durante várias horas do dia, de acordo com o medidor Story.News.

Madonna em Ponte de Lima e o filho no Braga? Como o jornal O Minho levou o 1º de Abril mesmo a sério

A meio da tarde, depois de ter falado com O MINHO de manhã, o jornal digital Observador pegou na história e escreveu: “Madonna em Ponte de Lima e o filho no Braga? Como o jornal O Minho levou o 1º de Abril mesmo a sério”. Uma referência durante a emissão da rádio RFM, o “linguadão” enviado por Bruno Nogueira, na rubrica “Tubo de Ensaio”, na TSF, e a conversa entre duas funcionários do IMT, sobre o assunto, à frente de um colaborador de O MINHO, em Braga, foram outros pequenos momentos de glória, vividos de forma vibrante pela equipa do jornal.

Outras notícias do 1.º de abril

Em 2018, os leitores do jornal foram surpreendidos com um suposto assomo de boa vontade de um vencedor do Euromilhões de Barcelos, quer iria doar 24,5 milhões de euros a uma paróquia de Vila Nova de Famalicão, depois de o pároco lhe ter pedido, directamente, uma “ajuda” através do jornal da paróquia.

EXCLUSIVO – Vencedor do Euromilhões vai transferir 24,5 milhões para paróquia de Famalicão

O artigo, muito comentado nas redes sociais, chegou a dar origem a uma notícia na edição online de um dos diários mais lidos do país, que, após rápido alerta da redação de O MINHO, eliminou o texto.

Em 2017, por altura das eleições no SC Braga, o jornal escreveu, no dia 01 de abril, que Pli, candidato concorrente de António Salvador, teria tudo acertado com Ricardo Quaresma, jogador do Besiktas, da Turquia, para se transferir para o clube, caso ganhasse.

Notícia de 1 de abril de O MINHO desperta curiosidade na Turquia

Nesse ano, o momento mais caricato deu-se quando a Redação recebeu uma chamada de um jornalista de um dos maiores jornais da Turquia a querer saber mais sobre o assunto.

 

Notícia atualizada às 14h07: acrescentada referência no programa “Tubo de Ensaio” (TSF)

Anúncio

Viana do Castelo

Hospital de Viana do Castelo aumenta para 35 as camas em medicina crítica

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O hospital de Viana do Castelo aumentou, em quatro meses, o número de camas nos cuidados intensivos de oito para 35, apresentado uma taxa de ocupação entre os 80 a 90%, revelou hoje o diretor de Medicina Crítica.

“Desde a primeira vaga da pandemia causada pelo novo coronavírus, o Departamento de Medicina Crítica e toda a instituição têm feito um trabalho de casa notável. Conseguimos aumentar uma Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) que tinha oito camas, e profissionais preparados para este número, para as 35 camas atuais”, afirmou à agência Lusa José Caldeiro.

O diretor do Departamento de Medicina Crítica do hospital de Santa Luzia, integrado na Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), explicou que aquela capacidade foi criada através da “adaptação de uma unidade de cuidados intermédios”, transformando-a “em UCI”.

“Conseguimos parar as cirurgias programadas e transformar o bloco operatório numa UCI não covid. Para além disso, temos feito formação para as equipas médicas e de enfermagem para que os profissionais que não tinham experiência em cuidados intensivos possam, neste momento, assumir, com segurança, o tratamento destes doentes”, especificou.

“Foi um trabalho notável a todos os níveis. De recursos humanos, formação e aquisição de equipamentos para nos prepararmos para esta segunda vaga. Já prevíamos, há três, quatro meses, que poderia acontecer”, reforçou.

Do total das 35 camas criadas, 25 estão destinadas a doentes covid-19 e 10 a outros doentes que necessitem de cuidados de medicina crítica.

“Neste momento, das 25 camas para tratamento de doentes covid-19, temos 21 ocupadas. Já das 10 camas para doentes não covid-19, temos sete ocupadas”, referiu José Caldeiro.

Apesar da capacidade não estar esgotada, José Caldeiro destacou a imprevisibilidade de evolução da doença e alertou para o “aumento significativo, na última semana, do número de doentes na UCI”.

“Na última semana têm entrado no serviço uma média de dois a três doentes por dia”, frisou.

O responsável realçou o esforço feito pela administração da ULSAM na aquisição de equipamento, sendo que o hospital de Santa Luzia dispõe atualmente de “mais de 40 ventiladores, invasivos e não invasivos, oxigenadores de alto fluxo e vários mecanismos que permitem controlar estes doentes, dependendo da gravidade dos casos”.

José Caldeiro adiantou que a ULSAM está a tentar reforçar o número de profissionais de saúde, mas admitiu que, “neste momento, a contratação de intensivistas não é fácil por não existirem profissionais disponíveis no mercado”.

“Nesta altura temos 11 intensivistas, com reforço de médicos de outras especialidades, mas precisaríamos no mínimo de mais 11 médicos com experiência em cuidados intensivos para enfrentarmos esta fase. Tem havido contratação de enfermeiros, mas eram necessários, só para o departamento de medicina crítica, mais 10 destes profissionais”, observou.

José Caldeiro reconheceu “algum desgaste dos profissionais de saúde, motivado sobretudo pela utilização dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI)”, mas garantiu ter “uma equipa sólida e com moral”.

“Temos tido um ou outro caso de infeção, por contágio fora do hospital, mas temos conseguido gerir os casos”, referiu.

A ULSAM é constituída por dois hospitais: o de Santa Luzia, em Viana do Castelo, e o Conde de Bertiandos, em Ponte de Lima.

Integra ainda 12 centros de saúde, uma unidade de saúde pública e duas de convalescença, e serve uma população residente superior a 244 mil pessoas dos dez concelhos do distrito de Viana do Castelo, e algumas populações vizinhas do distrito de Braga.

Em todas aquelas estruturas trabalham mais de 2.500 profissionais, entre eles, cerca de 500 médicos e mais de 800 enfermeiros.

Em Portugal, morreram 4.127 pessoas dos 274.011 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

Barcelos

‘Covid-drive’ em Barcelos já fez mais de 1.400 testes

Centro funciona no estádio municipal

em

Foto: Divulgação / CM Barcelos

O ‘covid-drive’ instalado no Estádio Cidade de Barcelos já fez mais de 1.400 testes, desde que começou a funcionar, há duas semanas.

O presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, visitou as instalações do ‘covid-drive’, que resulta de um protocolo ente a ARS-Norte e o laboratório Germano de Sousa e conta com o apoio do município.

Em comunicado, autarquia refere que presta apoio com equipamento técnico e disponibilizando uma área completamente isolada da área desportiva, no Estádio Cidade de Barcelos.

Barcelos somou 955 novos casos numa semana e já registou 22 mortos

O centro de testagens é destinado a utentes com prescrição médica, emitida por entidades de saúde, pública ou privada e também a quem tiver sintomas e quiser ser testado.

Os utentes acedem ao local de carro e, sem saírem das viaturas, é-lhes feita a recolha por técnicos de saúde. Está em funcionamento de segunda-feira a sábado, das 09:00 às 13:00 e das 14:00 às 17:00 e aos domingos, das 10:00 às 16:00.

Ainda, no âmbito das necessidades das autoridades de saúde, o Município disponibilizou um espaço ao ACES Cávado III no edifício da Câmara Municipal para atendimento telefónico das pessoas em vigilância devido à doença Covd-19, permitindo ampliar o número de linhas já instaladas pelas autoridades de saúde e contribuir para um melhor e mais célere atendimento e capacidade de reação.

O concelho de Barcelos, desde o início da pandemia, já registou 22 mortes associadas ao novo coronavírus e, na semana passada, somou novos 955 casos.

Continuar a ler

Braga

Primavera, tecnológica de Braga, vai oferecer ceia de Natal a 300 famílias carenciadas

Com a verba do jantar de Natal dos colaboradores

em

Foto: Primavera BSS

A multinacional Primavera BSS, com sede em Braga, vai oferecer uma ceia de Natal a 300 famílias de vários pontos do território nacional, em parceria com a Refood, organização sem fins lucrativos distribuiu pela população mais carenciada os excedentes dos restaurantes aderentes a esta rede solidária.

Em comunicado, a empresa tecnológica de Braga explica que esta medida visa “apoiar o setor da restauração, fortemente afetado pela pandemia, e as famílias com maiores dificuldades financeiras”.

A Primavera inaugura, assim, o Movimento #MultiplicarONatal que “este ano irá canalizar a verba habitualmente destinada ao jantar de Natal dos colaboradores para esta causa, proporcionando trabalho aos restaurantes e simultaneamente ajudando as famílias numa altura tão simbólica”.

Uma vez que este ano não se realizarão os tradicionais eventos de Natal, a empresa bracarense “convida as empresas a juntarem-se a este movimento, convertendo esse valor em refeições completas para famílias”.

“Por cada colaborador vamos oferecer um jantar de Natal a uma família, elevando ainda mais o enorme espírito solidário que aqui se vive. A família Primavera tem um sentido de comunidade muito forte, que muito nos orgulha e que se for replicado por outras organizações conseguiremos proporcionar uma quadra mais feliz para todos”, refere Rita Cadillon, diretora de Recursos Humanos da tecnológica, citada no comunicado.

A tecnológica já iniciou os contactos com a sua rede de parceiros e clientes, convidando-os a aderir ao movimento apadrinhado pela Refood, que se disponibilizou para apoiar logisticamente.

“Os portugueses são muito solidários, por isso tenho a certeza que todos os colaboradores das empresas que tenham possibilidades gostarão de saber que a verba do seu jantar da empresa irá ajudar quem está com dificuldades, e realço que são todos bem-vindos a participar como voluntários Refood”, considera Hunter Halder, fundador da Refood.

“É uma iniciativa muito nobre da Primavera, que acolhemos com muito agrado e que gostaríamos de ver replicada para podermos levar a Ceia de Natal a muitas mais pessoas que precisam”, conclui.

Continuar a ler

Populares