Seguir o O MINHO

Vila Verde

GNR investiga caso de Mercedes incendiado em Vila Verde

em

Foto: DR

A GNR está a investigar as circunstâncias do caso de um Mercedes incendiado esta tarde de sábado em frente ao Centro Escolar de Vila Verde.

Desconhece-se se o carro estaria parado ou em andamento, mas tudo aponta que estivesse estacionado, até por não ter sido localizado o proprietário na ocasião, estando a decorrer averiguações no sentido de identificar o dono do automóvel.

Quando os Bombeiros Voluntários de Vila Verde chegaram ao local do sinistro, o carro encontrava-se tomado pelas chamas, tendo extinto o fogo, ficando o carro todo destruído.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Vila Verde

Luís Morais deixa Comando de Operações Municipal de Vila Verde por não ter canudo

Presidente da Câmara dera já um despacho no sentido da recondução, mas viu-se obrigado a revogá-lo.

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

Uma norma legal recente, que obriga a ter o canudo de licenciatura para a ocupação do cargo, obrigou a Câmara Municipal de Vila Verde a não reconduzir Luís Morais como Comandante de Operações Municipal (COM).

Fonte camarária adiantou a O MINHO que o seu presidente, António Vilela dera já um despacho no sentido da recondução, mas viu-se obrigado a revogá-lo devido à entrada em vigor daquela norma. A mesma fonte garantiu que a atuação de Morais foi “digna de louvor” e serviu os munícipes.

Em nota no seu Facebook, Luís Morais, escreve: “Após três anos ao serviço de Vila Verde, terminei a comissão de serviço no passado dia 01 de dezembro, com consciência plena de dever cumprido e de ter dado o melhor de mim para defender as pessoas, as instituições e o concelho”.

“Foi uma causa, uma função e uma missão a que me dediquei com total empenho e dedicação. A minha vida está absolutamente ligada à Proteção Civil e é uma honra poder disponibilizar o melhor e o …máximo do que
sei e posso nesta área, sempre a favor do concelho e da população”, acrescenta.

Morais agradece e enaltece “a colaboração e o contributo ativo do Município, nomeadamente do Presidente António Vilela, assim como de
demais pessoas e instituições que se assumiram parcerias para o sucesso da nossa ação no terreno, prevenindo e minorando problemas,
evitando e anulando situações de risco, e até mesmo ajudando a melhorar condições de vida das pessoas”.

“Agradeço a todos agentes de proteção civil e entidades com especial dever de cooperação, todo o apoio e disponibilidade que sempre me dispensaram, na resolução das diversos situações que me deparei, sempre ao serviço da nossa população”, afirma.

“Por força de uma alteração legislativa, que transforma a formação académica como fator inquestionável de seleção em detrimento do currículo profissional, deixei de estar em condições de poder cumprir os requisitos legais para a função de COM, razão pela qual não me será possível continuar no exercício das funções”, esclare.

A concluir, Luís Morais diz: “Estou certo, contudo, que o Município de Vila Verde encontrará as melhores soluções para assegurar um serviço de proteção
civil de qualidade”.

Continuar a ler

Vila Verde

Idosa de 92 anos sofre queimaduras graves após filho deitar gasolina em lareira

Em Pedregais, Vila Verde.

em

Foto: DR

Uma mulher de 92 anos sofreu queimaduras consideradas graves, na cara e nos braços, este domingo ao final da manhã, em Pedregais, Vila Verde.

Ao que O MINHO apurou, o filho da idosa, de 52 anos, que também ficou ferido, deitou gasolina na lareira, de forma a avivar as chamas, tendo a expansão repentina das mesmas apanhado ambos.

A mãe foi conduzida ao Hospital de Braga pela VMER. No local estiveram os Bombeiros Voluntários de Vila Verde e a GNR.

Continuar a ler

Vila Verde

Filhos de funcionários da Câmara de Vila Verde posam para calendário solidário

em

Foto: Divulgação

Dezena e meia de “modelos” de palmo e meio, filhos de funcionários do município de Vila Verde, posaram para a fotografia e deram corpo a um calendário e uma agenda solidários, para ajudar as famílias mais carenciadas.

“Proibida” a maiores de seis anos, a sessão fotográfica decorreu na Casa do Brinquedo e da Brincadeira.

“Juntámos a vertente solidária à vertente didática, angariando verbas para quem mais precisa e chamando à atenção para a importância do brinquedo e do brincar”, disse à Lusa a vereadora da Educação, Cultura e Ação Social de Vila Verde.

Segundo Júlia Fernandes, que é a “madrinha” da iniciativa, as verbas angariadas com a venda do calendário e da agenda “revertem integralmente a favor das lojas sociais de Vila Verde, que apoiam as famílias mais vulneráveis e em risco de exclusão social”.

Os jovens modelos envergam, essencialmente, roupa “Namorar Portugal”, uma marca registada do município, e manuseiam brinquedos tradicionais.

Um calendário custa dois euros e um agenda sete e meio.

No ano passado, os “modelos” foram os funcionários do município, com trajes inspirados nos Lenços dos Namorados.

“Angariámos cerca de 1.800 euros. Não é muito, mas é dinheiro que pode fazer toda a diferença para aquelas famílias que estejam a passar por um momento de particular dificuldade”, disse ainda Júlia Fernandes.

A agenda e o calendário solidários podem ser adquiridos na Câmara Municipal, Loja de Turismo, Espaço Namorar Portugal, Complexo Desportivo de Vila Verde e na Piscina Municipal da Vila de Prado.

Continuar a ler

Populares