Seguir o O MINHO

Ave

GNR apreende armas ilegais e munições em Fafe

Investigações

em

Foto: GNR

A GNR apreendeu a um homem de 76 anos, em Fafe, cinco armas de fogo e “mais de 2.000 munições,” informou hoje a autoridade.

No âmbito de uma investigação que durava há mês e meio, os militares apuraram que o suspeito teria armas e munições na sua posse, “sem que estivesse habilitado para tal”, segundo um comunicado da GNR.

A autoridade policial realizou uma busca domiciliária, tendo apreendido 2.157 munições de diversos calibres, três espingardas, uma espingarda de pressão de ar e uma pistola.

Noutra investigação, a GNR apurou que um homem, também de Fafe, de 55 anos, agredia a sua mulher e uma busca domiciliária permitiu apreender uma caçadeira.

Os suspeitos foram constituídos arguidos e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Fafe.

Anúncio

Famalicão

Motard em estado grave após colisão em Famalicão

Gavião

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

Um motociclista, com cerca de 40 anos, sofreu ferimentos considerados “graves” na sequência de uma colisão entre a mota de cilindrada pesada que conduzia contra uma viatura ligeira, ao início da noite deste sábado, em Gavião, concelho de Famalicão, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

O alerta foi dado às 19:05 horas, para um acidente a envolver um motociclo pesado na Avenida Santiago de Gavião, naquela freguesia.

No local estiveram os Bombeiros Famalicenses, com uma viatura e três bombeiros, acompanhados pela VMER de Famalicão.

A vítima, que não corre perigo de vida, foi transportada para o Hospital de Braga.

A GNR registou a ocorrência.

(notícia atualizada às 21h13)

Continuar a ler

Famalicão

Centenas de bens doados a família que ficou sem nada após incêndio em Famalicão

Fradelos

em

Foto: Divulgação

Vários populares ouviram o apelo deixado por uma família residente em Fradelos, no concelho de Famalicão, e levaram até às instalações da junta de freguesia, este sábado, centenas de bens para que o casal e as duas filhas menores consigam suportar o inverno, depois de terem perdido todas as posses num incêndio urbano, na passada sexta-feira.

Juliana Alves explicou a O MINHO que “tudo ardeu” num incêndio habitacional que deflagrou na sexta-feira, na habitação onde residiam, na Rua dos Lusíadas. “O incêndio começou numa máquina de secar roupa”, conta, ainda bastante abalada com o acontecimento. “Felizmente ninguém ficou ferido”, acrescenta.

A jovem mãe de duas meninas, uma de três e outra de 13, deixa um “profundo agradecimento” a todas as pessoas, de vários cantos do Minho, que se organizaram para, este sábado, entregarem bens à família. “Estou muito comovida com toda esta solidariedade”, referiu.

Duas cidadãs, de Famalicão e de Guimarães, disponibilizaram-se, através de contacto efetuado por O MINHO, a doar mobília de quarto e fornecer uma habitação com renda acessível na região onde a família morava, estando já em contacto com a família.

A O MINHO, um dos membros do executivo da Junta de Fradelos, Rui Leite, adiantou que as pessoas compareceram e disponibilizaram bastante apoio para ajudar a família. Foi um dos elementos a coordenar a recolha de bens, durante esta tarde.

Através das redes sociais, a autarquia de Fradelos prestou “o mais profundo agradecimento” a todos que ajudaram com bens e vestuário durante este sábado, “apesar de ainda faltarem outros bens necessários”.

Informa ainda que, em relação à habitação, “está encaminhado, para que esta família continue a habitar na nossa freguesia”.

“São gestos como estes que revelam que somos um povo de uma profunda compaixão e entre ajuda para com o próximo, com sentido de dar esperança na reconstrução de um novo lar”, remata a publicação da Junta de Fradelos.

Continuar a ler

Famalicão

Famalicão é autarquia “Familiarmente Responsável” pelo sétimo ano consecutivo

Ao todo, em 2019 o Observatório distinguiu 76 municípios.

em

Foto: Divulgação

Vila Nova de Famalicão está novamente de parabéns. O município liderado por Paulo Cunha (PSD/CDS-PP) está entre os “Mais Familiarmente Responsáveis”, preparando-se agora para receber, pelo oitavo ano – o sétimo consecutivo -, a bandeira atribuída pelo Observatório dos Municípios Familiarmente Responsáveis que reconhece as boas práticas de apoio às famílias promovidas pelos municípios portugueses.

Da educação à área social, do desporto à cultura, foram muitos os argumentos elencados na candidatura apresentada pela autarquia famalicense. Paulo Cunha, reconhece que “este tem um significado especial”.

“Este é um galardão que nos deixa muito orgulhosos porque está estreitamente relacionado com a qualidade de vida que queremos proporcionar aos famalicenses e porque reconhece o impacto positivo que as políticas implementadas pelo executivo têm no dia-a-dia das nossas famílias”, referiu o autarca.

Entre as medidas promovidas, destaque para a oferta dos livros de atividades para todas as crianças do primeiro ciclo, a gratuitidade dos passes escolares para todos os alunos do concelho, desde o ensino básico até ao 12.º ano, e as bolsas de estudo aos estudantes universitários.

Famalicão é, ainda neste domínio, “Cidade Educadora” desde 2010. Ao todo, em 2019 o Observatório distinguiu 76 municípios.

O Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis é uma iniciativa da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas, em parceira com Instituto da Segurança Social, tendo como principais objetivos acompanhar, galardoar e divulgar as melhores práticas das autarquias portuguesas em matéria de responsabilidade familiar.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares