Seguir o O MINHO

Futebol

Furacão Braga ‘varre’ Tondela

I Liga

em

O SC Braga conquistou hoje os primeiros pontos na I Liga portuguesa de futebol, com uma goleada (4-0) em Tondela construída em 22 minutos, durante a primeira parte.


Os bracarenses, que tinham perdido os dois primeiros jogos, inauguraram o marcador aos 22, minutos, pelo defesa central Bruno Viana, e, em seis minutos, sentenciaram o encontro, com tentos do também brasileiro Galeno, aos 26, e Ricardo Horta, aos 29.

Galeno repetiria o feito, ainda no primeiro tempo, aos 43, fixando o resultado final, que ditou o terceiro jogo sem vencer para o Tondela, 17.º e penúltimo classificado, com um ponto.

A formação comandada por Carlos Carvalhal confirmou a superioridade na primeira parte, frente ao conjunto tondelense, que fez o primeiro remate à baliza de Matheus aos 36 minutos, pelo pé de Tomislav Strkalj, já os visitantes venciam por 3-0.

O avançado Paulinho teve oportunidade para ampliar a vantagem, pouco depois disso, aos 39, mas rematou por cima, enquanto o Tondela tentava visar a baliza bracarense, mas Salvador Agra atirou para as mãos de Matheus e, na recarga, Bebeto não acertou na baliza.

Aos 42 minutos, Babacar Niasse defendeu para canto uma investida de Paulinho e, na sequência deste lance, cobrado por Iuri Medeiros, Galeno ‘bisou’, com um remate de cabeça.

Na segunda parte, o Tondela ‘cresceu’ e conseguiu chegar à grande área do Sporting de Braga mais vezes criando alguns momentos de perigo (58, 68, 70 e 74 minutos) com remates de Ricardo Alves, Khacef, Soleymane Anne e novamente Khacef, respetivamente.

A controlar a vantagem, o SC Braga recuou no terreno, mas conseguiu acercar-se da baliza anfitriã, nomeadamente por Paulinho (56), Castro (63) e Moura (75), que quase marcava no primeiro lance que protagonizou.

O Sporting de Braga lutou para fazer uma ‘mão cheia’ de golos, com André Horta (85) a rematar por cima da baliza e dois cabeceamentos seguidos de Carmo(87 e 88).

A última oportunidade para o Tondela reduzir, surgiu no tempo de compensação, quando o guarda-redes Matheus derrubou Soleymane Anne na grande área.

Na conversão da grande penalidade, Salvador Agra permitiu a defesa do guardião brasileiro, que também negou o tento ao ex-jogador dos bracarenses na recarga.

Destaque para a estreia, aos 88 minutos, do jovem vila-verdense Rodrigo Gomes, de apenas 17 anos, no plantel dos guerreiros do Minho.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio João Cardoso, em Tondela.

Tondela – SC Braga, 0-4.

Ao intervalo: 0-4.

Marcadores:

0-1, Bruno Viana, 22 minutos.

0-2, Galeno, 26.

0-3, Ricardo Horta, 29.

0-4, Galeno, 43.

Equipas:

– Tondela: Babacar Niasse, Bebeto (Souleymane Anne, 66), Yohan Tavares, Ricardo Alves, Filipe Ferreira (Naoufel Khacef, 46), Jhon Murillo, Jaume Grau, Pedro Augusto, Salvador Agra, Tomislav Strkalj (Rafael Barbosa, 66) e João Pedro (Enzo Martinez, 46).

(Suplentes: Pedro Trigueira, Jaquité, Ruben Fonseca, João Mendes, Abdel Medioub, Enzo Martinez, Naoufel Khacef, Rafael Barbosa e Souleymane Anne).

Treinador: Pako Ayestarán.

 – SC Braga: Matheus, Ricardo Esgaio, Bruno Viana, David Carmo, Sequeira, Galeno (Moura, 77), Castro (João Novais, 77), Fransérgio (R. Gomes, 88), Iuri Medeiros (André Horta, 71), Ricardo Horta (Abel Ruiz , 88) e Paulinho.

(Suplentes: Tiago Sá, Tormena, João Novais, Al Musrati, André Horta, R. Gomes, Schettine, Abel Ruiz e Moura).

Treinador: Carlos Carvalhal.

Árbitro: Nuno Almeida (AF Algarve).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Bebeto (60 minutos).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido a pandemia de covid-19.

(notícia atualizada às 23h38)

Anúncio

Futebol

Dois jogadores do Boavista estão infetados

Covid-19

em

Foto: Boavista

Os futebolistas Ricardo Mangas e Miguel Reisinho tiveram testes positivos para o novo coronavírus, responsável pela pandemia de covid-19, e vão falhar o jogo de hoje do Boavista com Farense, da sétima jornada da I Liga.

Fonte dos ‘axadrezados’ explicou à agência Lusa que os casos de infeção relacionados com o defesa e o médio reportam à bateria de despistagem realizada na sexta-feira, que antecedeu a viagem da formação orientada por Vasco Seabra para o Algarve.

O Boavista já poderá utilizar os médios Javi García, que cumpriu castigo, e Nuno Santos, excluído por questões regulamentares do triunfo diante do Benfica (3-0), enquanto o defesa Adil Rami está lesionado e os jovens Jesus Gómez e Nathan suspensos.

O Boavista, no 15.º posto, com seis pontos, visita o Farense, 18.º e último classificado, com apenas dois, a partir das 15:00, no Estádio de São Luís, em Faro, num encontro da sétima jornada da I Liga, com arbitragem de Vítor Ferreira, da associação de Braga.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,2 milhões de mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 2.848 em Portugal.

Continuar a ler

Futebol

“O jogo acabou a partir do terceiro golo”

João Henriques

em

Foto: DR

Declarações dos treinadores após o jogo Vitória SC – Sporting (0-4), da sétima jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado em Guimarães:

João Henriques (treinador do Vitória SC): “Estávamos confiantes, porque tínhamos vindo a crescer. Hoje, tirando o resultado e os erros individuais, o Vitória já teve algumas coisas interessantes. Não estamos satisfeitos com o que fizemos de errado. A partir do terceiro golo, o jogo acaba e, a partir daí, desenrola-se de uma forma longe do que pretendemos.

Até lá, temos um Sporting muito eficaz que aproveitou os erros individuais e um Vitória que chegou às zonas de finalização, mas complicou nas decisões. Até ao 3-0, o Sporting foi aproveitando as ocasiões que demos. Há situações tão caricatas que podemos dizer que fomos nós que as demos. Não há dúvidas quanto à justiça, mas, tirando o resultado e os erros individuais, conseguimos fazer algumas coisas interessantes.

O Sporting entra melhor no jogo. Tem cerca de 10 minutos por cima a faz o golo, que é um erro nosso. Dos 15 aos 40 minutos, o Vitória passa para cima e tem algumas oportunidades para igualar a partida. Justificava o empate. Depois, surge o segundo erro, que, numa transição, dá o 2-0. É um resultado pesadíssimo ao intervalo.

Tivemos uma boa entrada na segunda parte. Estamos por cima, mas o guarda-redes bate na frente e faz o 3-0, num erro tremendo. E o jogo termina. Animicamente, a equipa também cai. Apesar de tentar criar situações, vai abaixo e permite o 4-0, em mais um erro.

Estamos no início [do percurso]. Fizemos quatro jogos. Queríamos ter os 12 pontos. Temos seis. Não é bom. Queríamos mais, até porque, em casa, queremos mais pontos. Erros como os que cometemos hoje pagam-se muito caro. Falei, na antevisão, quanto às questões da maturidade competitiva. Hoje, ficaram a nu algumas das lacunas quanto à maturidade competitiva. A equipa precisa de tempo e de espaço, mas com pontos.

Perante um adversário em primeiro lugar, com esta valia, não há equipa que resista [a estes erros]. Não deixámos o adversário sair a jogar, mas temos de ser mais fortes a nível individual. Em lances aéreos, ganhámos quatro e perdemos 14. É impensável. Mas temos jogadores muito jovens, com pouca experiência de I Liga portuguesa.

Vamos olhar para a próxima competição, a Taça de Portugal, onde o Vitória tem tradição [defronta Arouca na terceira eliminatória]. Vamos olhar para o que fizemos de errado, que não podem voltar a acontecer. O Sporting merecia a vitória, mas os números são pesados pelo que o Vitória fez. E depois temos um jogo em Tondela [para a I Liga] para reverter esta situação. Uma equipa como o Vitória não pode ter duas derrotas consecutivas”.

Rúben Amorim (treinador do Sporting): “Sabíamos que iria ser um jogo difícil e que teríamos de entrar fortes. A equipa entrou forte. Até ao primeiro golo tivemos várias oportunidades. Após o golo, tivemos de baixar as linhas, para a reação do Vitória, que é uma excelente equipa. Mas sentimo-nos confortáveis quando temos espaço nas linhas e espaço nas ‘costas’ e chegámos ao segundo golo. Na segunda parte, não entrámos bem, mas, por causa do espaço nas ‘costas’, aproveitámos e fizemos o terceiro golo. E depois o quarto. Até poderíamos ter feito mais. A equipa fez um excelente jogo, mas temos aspetos a melhorar. Se o Vitória tivesse marcado no início da segunda parte, o jogo seria diferente.

Jogamos sempre no limite. Não lhes peço mais do que isso. Eles fazem o que treinamos. [O Pedro Gonçalves} fez um grande jogo como o resto da equipa. Tem de se continuar a trabalhar. Há um mês, estávamos a falar da eliminação do LASK [da Liga Europa]. As coisas podem mudar para o lado positivo, mas também podem mudar para o lado negativo.

O objetivo é vencer o próximo jogo. Vamos preparar bem o Sacavenense [para a terceira eliminatória da Taça de Portugal]. O nosso objetivo neste momento nem passa pela I Liga, mas pela Taça de Portugal. Sabemos que o Sporting foi surpreendido no ano passado por uma equipa do Campeonato de Portugal [Alverca].

É importante manter esta dinâmica. Agora temos três semanas, mas temos de trabalhar bem e de levar isto como o início de um processo. Não está nada feito. É muito importante ir para a paragem [competitiva] com uma vitória assim.

Em relação aos dois jogadores – o Nuno [Santos] e o Pote [Pedro Gonçalves] – estão a colher os frutos da equipa. Há fases em que fazemos golos e outras em que deixamos de fazer”.

Continuar a ler

Futebol

Vitória goleado em casa pelo Sporting

I Liga

em

Foto: DR

O Vitória SC perdeu por 0-4 frente ao Sporting, este sábado, em jogo a contar para a sétima jornada da Liga.

Os ‘leões’ adiantaram-se no marcador aos 11 minutos, com um golo de Nuno Santos, e ampliaram a vantagem aos 43 e 55, com dois golos de Pedro Gonçalves, que é o melhor marcador do campeonato com sete golos apontados, e aos 74, por Jovane Cabral.

Com esta vitória, a quarta consecutiva, o Sporting lidera o campeonato com 19 pontos, mais quatro do que o Benfica, que tem menos um jogo, enquanto o Vitória está em quinto, com 10 pontos.

Após uma entrada muito forte, os ‘leões’ controlaram todos os momentos do desafio, sabendo quando recuar no terreno e quando ‘acelerar’ rumo à baliza de Bruno Varela, perante um adversário que se desequilibrou facilmente quando perdia a bola.

O Sporting chegou aos 19 pontos e vai concluir a ronda na liderança do campeonato, por ter mais quatro do que o segundo, Benfica, enquanto os minhotos, que sofreram mais golos neste jogo do que nas seis primeiras jornadas – três, até agora – ocupam o quinto lugar, com 10 pontos.

Com Nuno Santos de regresso ao ‘onze’, por troca com Tiago Tomás, os ‘leões’ quase marcaram no primeiro minuto, quando Bruno Varela saiu rapidamente da baliza para impedir a finalização de Sporar e a bola sobrou para o remate de João Mário à trave.

Veloz com bola e pressionante sem ela, a turma ‘verde e branca’ aproveitou o espaço concedido pelo meio-campo vitoriano para chegar com facilidade à área e, depois de Sporar ter desperdiçado nova oportunidade, ao minuto sete, chegou ao golo.

Suliman perdeu a bola a meio-campo para Pedro Gonçalves, que, após tabela com Sporar, se isolou pela ala direita e serviu Nuno Santos para o remate cruzado que lhe valeu o terceiro golo da conta pessoal no campeonato.

Em vantagem, os pupilos de Rúben Amorim ‘abrandaram’ e recuaram no terreno, permitindo ao Vitória aparecer mais vezes no meio-campo leonino e disfarçar os desequilíbrios que evidenciava após as perdas de bola, ‘terreno fértil’ para os ataques rápidos leoninos.

Com Sacko a render Zié Ouattara na lateral direita e a dar largura ao ataque, os anfitriões apareceram várias vezes junto à área ‘verde e branca’, mas raramente acertaram nas decisões tomadas, tendo criado uma ocasião para empatar: em posição frontal à baliza, após livre de Quaresma, Suliman cabeceou para defesa de Ádan, aos 22 minutos.

O Sporting manteve, porém, o controlo do desafio e aproveitou o espaço deixado pelos vitorianos no corredor central para iniciar a jogada que culminou no primeiro golo de Pedro Gonçalves no desafio, após assistência de Porro.

Sob chuva intensa, a turma de Guimarães iniciou a segunda parte nas imediações da área contrária, tendo mesmo introduzido a bola na baliza, por André André, num lance anulado, aos 50 minutos, mas viu esse esforço desfeito pelo segundo golo de Pedro Gonçalves, pouco depois.

Na sequência de um pontapé de baliza de Adán, o vitoriano Suliman não cortou a bola de cabeça e o médio leonino isolou-se perante Bruno Varela e marcou pela sétima vez na competição, tornando-se no melhor marcador.

Os pupilos de João Henriques ainda ‘esboçaram’ alguns ataques na última meia hora da partida, mas mostraram-se cada vez mais desorientados com o avançar do cronómetro, perante um Sporting que aproveitou o espaço concedido para criar oportunidades até selar o resultado num remate certeiro de Jovane Cabral.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Vitória SC – Sporting, 0-4.

Ao intervalo: 0-2.

Marcadores:

0-1, Nuno Santos, 11 minutos.

0-2, Pedro Gonçalves, 43.

0-3, Pedro Gonçalves, 55.

0-4, Jovane Cabral, 74.

Equipas:

– Vitória SC: Bruno Varela, Sacko, Abdul Mumin, Suliman, Gideon Mensah, Mikel Agu (Pepelu, 24), Dénis Poha (Rochinha, 68), André André (André Almeida, 75), Marcus Edwards (Miguel Luís, 68), Quaresma e Bruno Duarte (Lyle Foster, 75).

(Suplentes: Matous Trmal, Sílvio, Pepelu, Miguel Luís, André Almeida, Jacob Maddox, Rochinha, Lyle Foster e Noah Holm).

Treinador: João Henriques.

– Sporting: Adán, Luís Neto, Coates, Feddal, Porro (Gonzalo Plata, 79), João Palhinha, João Mário, Nuno Mendes, Pedro Gonçalves (Daniel Bragança, 79), Nuno Santos (Jovane Cabral, 66) e Sporar (Tiago Tomás, 66).

(Suplentes: Luís Maximiano, Gonçalo Inácio, Borja, Rodrigo Fernandes, Matheus Nunes, Daniel Bragança, Gonzalo Plata, Jovane Cabral e Tiago Tomás).

Treinador: Rúben Amorim.

Árbitro: Hugo Miguel (Associação de Futebol de Lisboa).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Mikel Agu (03), André André (39), Porro (39) e Suliman (42).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

(notícia atualizada às 22h43)

Continuar a ler

Populares