Seguir o O MINHO

Desporto

Fórmula 1 e académicos desenvolvem aparelho inovador para doentes Covid-19

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Um aparelho de apoio respiratório para pacientes com covid-19 que pode evitar o agravamento da doença e o internamento em cuidados intensivos foi desenvolvido entre académicos britânicos e engenheiros de Fórmula 1, foi hoje anunciado.

Engenheiros da University College London (UCL) e clínicos do hospital associado UCLH começaram a trabalhar na quarta-feira com mecânicos da equipa de Fórmula 1 da Mercedes-AMG e desenvolveram um protótipo que foi aprovado e vai agora ser testado nos hospitais.

O aparelho respiratório, conhecido como pressão positiva contínua nas vias aéreas (CPAP), tem sido amplamente utilizado em hospitais na Itália e na China para ajudar pacientes do Covid-19 com infeções pulmonares graves a respirar mais facilmente, quando o oxigénio é insuficiente.

Um dos engenheiros da UCL envolvidos, Tim Baker, mostrou-se satisfeito por esta parceria e empenho ter permitido reduzir para dias um projeto que normalmente levaria anos a concluir.

“Depois de receber as instruções, trabalhámos sem parar, desmontando e analisando um dispositivo sem patente. Usando simulações em computador, melhorámos ainda mais o dispositivo para criar uma versão de ponta adequada à produção em escala”, afirmou.

Este tipo de equipamento tem sido utilizado em hospitais na Itália e na China e é menos invasivo do que ventiladores, cuja disponibilidade no mercado é limitada, tendo levado o Governo a desafiar empresas privadas a fabricar para responder à procura.

A Dyson, conhecida por fabricar aspiradores e secadores de mãos, revelou na semana passada ter recebido um pedido para 10.000 unidades, o Smiths Group confirmou hoje a venda de mais 10.000 e um consórcio que inclui a Rolls-Royce, Airbus e McLaren também desenvolveu um modelo que aguarda a encomenda.

O Governo britânico espera conseguir reforçar os cerca de 8.000 aparelhos de suporte a respiração que possui no sistema nacional de saúde com mais 30.000 pois mesmo os fabricantes nacionais estão sem capacidade para aumentar a produção.

Londres recusou participar num concurso coletivo a nível da União Europeia (UE) para adquirir ventiladores, embora o pudesse ter feito no âmbito das condições do período de transição.

Depois de inicialmente ter invocado que o Reino Unido “já não é membro da UE” e que estava a fazer os seus próprios esforços para encontrar ventiladores, um porta-voz do governo acabou por alegar, mais tarde, não ter recebido a informação a tempo.

O Reino Unido registou até domingo 1.228 mortes de pessoas contagiadas pela covid-19, mais 209 do que no dia anterior, tendo identificado 19.522 casos positivos entre 127.737 pessoas testadas.

Anúncio

Futebol

Falta de unanimidade impede cinco substituições na próxima jornada da I Liga

Covid-19

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

A falta de unanimidade das SAD dos clubes da I Liga portuguesa de futebol impede a entrada em vigor das cinco substituições já na 25.ª jornada, que começa na quarta-feira, anunciou hoje a Liga de clubes.

Em comunicado, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional refere que “a infeliz oposição de uma sociedade desportiva, no decurso das reuniões de hoje”, impede que “esta medida entrasse em vigor já na primeira jornada da retoma”, após a paragem motivada pela covid-19.

Para a LPFP, a posição do Marítimo, “além de desautorizar os departamentos de futebol, abria a porta a impugnações e procedimentos disciplinares que, a todo o custo, o futebol profissional deve evitar”.

O organismo que tutela o futebol profissional recordou que o plano de retoma decorreu “num clima de cooperação construtiva, com os contributos dos consultores de saúde pública da Liga Portugal e em articulação com o Grupo de Trabalho da USP [Unidade de Saúde e Performance] da FPF [Federação Portuguesa de Futebol] e com a DGS [Direção-Geral da Saúde]”, e foi feito “na exclusiva defesa dos interesses das sociedades desportivas”.

“A decisão, do regresso da Liga NOS, foi tomada em benefício dos clubes e dos seus compromissos, mas não pode, em circunstância alguma, comprometer as atuais condições de segurança e saúde ou as determinações do executivo governamental e da Direção-Geral de Saúde dirigidas ao futebol”, lê-se.

Neste processo, ficou “pelo caminho”, segundo a LPFP, “a transposição para os regulamentos internos da deliberação do International Football Association Board (IFAB), hoje divulgada oficialmente pela Federação Portuguesa de Futebol e já adotada para a Taça de Portugal, que, com vantagem, permitiria a utilização de cinco substituições e nove suplentes na Liga NOS”.

“É um claro revés para os interesses dos clubes e – ainda mais importante – para a preservação da condição física dos atletas, que foi bloqueada por uma interpretação excessivamente restritiva dos estatutos e que foi tão mais surpreendente quanto veio ao arrepio da posição unânime dos clubes, consultados os seus departamentos de futebol”, refere.

A LPFP relembra ainda que esta “foi uma proposta que, desde a primeira hora, se anunciou que seria submetida à ratificação da Assembleia Geral da Liga Portugal”.

“Com efeito, na falta da unanimidade dos participantes na competição, poder-se-ia suscitar a questão da utilização irregular de jogadores, que é sancionado com a pena de derrota, subtração de pontos e multa”, assume a LPFP.

O organismo adia, assim, a entrada em vigor desta medida até à Assembleia Geral, marcada para 09 de junho, dia em que começa a 26.ª jornada.

“Como forma de proteger a competição e as sociedades desportivas, de boa-fé, com ética, lealdade e transparência entendeu a Liga Portugal que a prudência impunha que a decisão não produzisse efeitos até que fosse aprovada pelo órgão (em condições normais) competente para o efeito”, lê-se.

O Marítimo tinha informado na sexta-feira que “renuncia” à possibilidade de impugnar a I Liga portuguesa de futebol, com regressa em 03 de junho, mas que rejeita ser “coagido” a assinar uma declaração “ilegal” no plano de retoma.

A I Liga vai ser reatada sob fortes restrições e sem público nos estádios em 03 de junho, com o encontro entre Portimonense e Gil Vicente, naquele que vai ser o primeiro dos 90 jogos das últimas 10 jornadas, até 26 de julho.

Após 24 jornadas, o FC Porto lidera a competição, com 60 pontos, mais um do que o campeão Benfica.

Além do principal escalão, também a final da Taça de Portugal, entre Benfica e FC Porto, integra o plano de desconfinamento face à pandemia de covid-19, ainda em data e local a designar.

Continuar a ler

Futebol

Plantel do Rio Ave testa negativo à covid pela quarta vez consecutiva

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O Rio Ave, clube da I Liga portuguesa de futebol, anunciou hoje que pela quarta vez consecutiva todo o grupo de trabalho testou negativo nos exames de despiste à covid-19,

Os exames, feitos na quinta-feira, foram também os quartos desde que a equipa regressou aos treinos no estádio, e abrangeram jogadores, técnicos, e elementos da estrutura de apoio do clube.

“Pela quarta semana consecutiva, e desde que o grupo voltou ao trabalho no relvado do estádio, os resultados mantêm-se integralmente negativos, o que se conclui ser consequência do sentido de responsabilidade que todos têm demonstrado, quer no dia a dia do clube, quer no domínio familiar, desde o primeiro dia”, vincou o Rio Ave numa nota publicada no site do clube.

O emblema vila-condense revelou, ainda, que antes da partida de retoma do campeonato, na receção ao Paços de Ferreira, agendada para para 7 de junho, o grupo será ainda submetido a dois testes de despiste à covid-19.

Os exames serão realizados 72 e 24 horas antes do embate com os pacenses, que terá como palco o recinto dos vila-condenses, cuja utilização foi aprovada pela Direção Geral de Saúde.

A I Liga vai ser reatada sob fortes restrições e sem público nos estádios em 03 de junho, com o encontro entre Portimonense e Gil Vicente, naquele que vai ser o primeiro dos 90 jogos das últimas 10 jornadas, até 26 de julho

Após 24 jornadas, o FC Porto lidera a competição, com 60 pontos, mais um do que o campeão Benfica.

Além do principal escalão, também a final da Taça de Portugal, entre Benfica e FC Porto, integra o plano de desconfinamento face à pandemia de covid-19, ainda em data e local a designar.

Continuar a ler

Futebol

Voo do Santa Clara, próximo adversário do SC Braga, adiado duas vezes

I Liga

em

Foto: DR

O voo do Santa Clara, primeiro adversário do SC Braga no regresso da I Liga, para o continente, onde a equipa irá disputar o resto da I Liga de futebol, foi adiado pela segunda vez, devido a uma avaria no avião, avançou à agência Lusa fonte do clube.

A mesma fonte revelou que a equipa irá ter novo voo no próximo sábado às 10:00 (hora local), tendo chegada prevista às 13:00, hora de Lisboa.

É o segundo adiamento do voo Santa Clara para o continente, que estava inicialmente marcado para o meio da tarde desta sexta-feira, tendo sido adiado para as 23:45 (hora local) com chegada prevista para as 2:45 de Lisboa.

Segundo o que agência Lusa apurou, a comitiva do Santa Clara chegou a entrar no avião, mas a entrada de um pássaro no motor impediu a descolagem.

O emblema açoriano irá viajar para Lisboa para disputar os restantes jogos da I Liga de futebol como visitado na Cidade do Futebol, em Oeiras, para evitar possíveis surtos da covid-19.

Por indicação da Direção-Geral da Saúde, o Santa Clara terá de voar num voo fretado, que será operado pela SATA e que custará cerca de 30 mil euros aos cofres do emblema açoriano.

No retomar do campeonato, os açorianos vão receber o SC Braga no dia 05 de junho, às 18:00 na Cidade do Futebol.

Nas restantes jornadas, os ‘encarnados’ de Ponta Delgada vão enfrentar o Vitória de Setúbal (fora), o Portimonense (casa), o Benfica (fora), o Boavista (fora), o Marítimo (casa), o Sporting (fora), o Aves (casa), Rio Ave (fora), e Vitória de Guimarães (casa).

Uma vez que o último jogo do campeonato frente aos vimaranenses ainda não tem data marcada, o emblema insular ainda não sabe quando irá regressar aos Açores.

A I Liga, na qual o Santa Clara está no 10.º lugar, com 30 pontos, tem o seu retorno previsto para 03 de junho, para se disputar as restantes 10 jornadas.

Após 24 jornadas, o FC Porto lidera a competição, com 60 pontos, mais um do que o campeão Benfica.

Continuar a ler

Populares