Seguir o O MINHO

Famalicão

Famalicão avança com criação de rede urbana pedonal e ciclável

em

Foto: Divulgação

Em meados de 2019, será possível percorrer a antiga Linha-Férrea entre Vila Nova de Famalicão e Póvoa de Varzim a pé ou de bicicleta, usufruindo de todas as condições de uma via pedonal e ciclável.

A proposta de abertura do concurso público para a construção da primeira fase da rede urbana pedonal e ciclável de Famalicão, que incidirá sobre o percurso no concelho deste antigo ramal ferroviário foi apresentada esta quinta-feira, na reunião do executivo municipal, pelo presidente Paulo Cunha, tendo sido aprovada por unanimidade.

De acordo com o autarca, a obra com um investimento base de 1,9 milhão de euros, deverá arrancar em meados de 2018, tendo um prazo de execução de um ano, devendo ficar concluída durante o verão de 2019.

As obras envolvem um conjunto de trabalhos, como demolições, limpeza e desobstrução do pavimento, criação de rede de águas pluviais, pavimentação em betuminoso com cor diferenciada, colocação de sinalização e iluminação pública em todo o itinerário potenciando a sua utilização de dia e de noite em segurança. Para além disso, será colocado diverso mobiliário urbano e paisagístico.

Foto: Divulgação

O percurso tem início na Rua Daniel Rodrigues nas imediações da Estação Ferroviária de Famalicão, seguindo depois até ao limite do concelho, numa extensão de mais de 10 mil metros.

Segundo Paulo Cunha, “há já a garantia que a Câmara Municipal da Póvoa de Varzim irá avançar também com a recuperação do antigo ramal ferroviário que liga o limite do concelho de Famalicão à cidade poveira”.

“Podemos dizer que em 2019, os famalicenses podem ir a banhos às praias da Póvoa de bicicleta”, salientou.

O presidente da Câmara Municipal adiantou ainda que “esta obra insere-se num plano mais vasto de mobilidade sustentável para a cidade que se vai realizar ao abrigo do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) e que inclui uma rede de linhas pedonais e cicláveis que irão ligar diversos equipamentos públicos da cidade”. Toda a obra terá um financiamento de 85 por cento do programa Norte 2020 através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

“Com este Plano de Mobilidade pretendemos reduzir os problemas de congestionamento na cidade, em especial junto aos equipamentos escolares e aos principais locais de concentração de estabelecimentos de comércio e serviços, pelo aumento de utilizadores dos modos suaves – pedonal e ciclável – e incrementar a mobilidade mais sustentável, criando condições para uma cidade mais amiga das pessoas e do ambiente”, adiantou Paulo Cunha.

Populares