Seguir o O MINHO

Ave

Fafe disponível para acolher refugiados

em

O presidente da Câmara de Fafe, Raul Cunha, manifestou hoje disponibilidade do concelho para acolher alguns dos refugiados que nos últimos meses têm atravessado o Mediterrâneo, “mobilizando toda a comunidade local”.

“Iremos receber todos os refugiados que pudermos, de forma proporcional à dimensão do município”, vincou Raul Cunha, avançando que a autarquia tem um grupo de trabalho envolvido no projeto.

 

“Não queremos que seja uma coisa exclusiva da autarquia, mas que envolva todos os partidos políticos, a comunidade civil, as empresas, as instituições de solidariedade e as igrejas”, explicou.

Segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), mais de 300.000 pessoas atravessaram o Mediterrâneo, desde o início do ano, e mais de 2.600 morreram por realizarem esta viagem.

A ajuda da autarquia da Fafe aos refugiados foi aprovada por unanimidade, em reunião do executivo realizada na quinta-feira.

“A situação dramática vivida pelos refugiados oriundos do norte de África e que tem levado à morte de milhares de pessoas no mar Mediterrâneo tem mexido connosco e tem levado a que estejamos aqui, há vários meses, a preparar uma intervenção”, assinalou Raul Cunha.

O projeto da autarquia de Fafe, vincou ainda, está a ser desenvolvido no âmbito do evento “Fafe Terra Justa”, que anualmente convida personalidades para refletir sobre temas ligados à justiça, solidariedade e direitos humanos.

“Fafe tem este sentimento de justiça e de apelo aos valores e às causas da humanidade, este é um assunto que nos tem incomodado e nos tem feito preparar uma forma de intervirmos que seja útil para ajudar, à nossa medida, a minorar este problema”, sinalizou.

Raul Cunha adiantou, por outro lado, que o projeto de escala municipal vai ser enquadrado na resposta nacional e as estruturas que estão a intervir nesta área.

Apelou também a “toda a comunidade local para se mobilizar, cada um à sua medida, dando um contributo para ajudar num problema que é de uma dimensão humana terrível”.

A Câmara de Fafe pretende também incluir na segunda edição do evento, “Fafe Terra Justa”, prevista para 2016, uma reflexão sobre as causas deste problema.

Várias organizações da sociedade civil lançam hoje, em Lisboa, uma Plataforma de Apoio aos Refugiados destinada a procurar respostas e acolhimento para famílias em situação de emergência, tendo como primeiro objetivo a integração das 1.500 pessoas que Portugal deverá receber.

O município de Fafe vai integrar aquela plataforma.

Populares