Eurodeputado Francisco Guerreiro foi o que mais defendeu ambiente

Foto: DR / Arquivo

O eurodeputado Francisco Guerreiro, eleito pelo PAN mas que depois se tornou independente, foi o português que mais de destacou na defesa de políticas ambientais em Bruxelas, segundo uma análise hoje divulgada.

Francisco Guerreiro, único representante português no Grupo dos Verdes, obteve 99 pontos em 100 possíveis, anunciaram organizações ambientalistas portuguesas num comunicado no qual corrigem o grupo do Parlamento Europeu a que pertence o Bloco de Esquerda, que pertence ao grupo Esquerda e não ao grupo dos Verdes.

A análise que foi hoje divulgada indica que uma minoria dos eurodeputados agiu no mandato 2019-2024 para proteger o clima e a natureza e reduzir a poluição.

A análise é da responsabilidade de cinco organizações ambientalistas europeias: “BirdLife Europe”, “Climate Action Network Europe”, “European Environmental Bureau”, “Transport & Environment” e “Gabinete de Política Europeia da WWF”.

As cinco organizações colocam as forças políticas em três grupos, de acordo com as ações de proteção do clima: os protetores, os que mais protegeram; os procrastinadores, na posição intermédia; e os que menos apoiaram as ações relacionadas com o clima, os pensadores pré-históricos.

Os protetores foram os grupos Verdes|Aliança Livre Europeia (92 pontos em 100), a Esquerda (84 pontos) e a Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas (70 pontos).

No grupo dos procrastinadores ficou o Renovar a Europa (56 pontos) e no grupo dos pensadores pré-históricos está o Partido Popular Europeu (25 pontos), os Conservadores e Reformistas Europeus (10 pontos) e o Identidade e Democracia (seis pontos em 100 possíveis).

Analisando os partidos portugueses, nos protetores estão o Bloco de Esquerda (grupo A Esquerda), que obteve 91 pontos, e o PS (grupo Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas) com 79 pontos.

O PCP (A Esquerda) obteve 67 pontos e aparece como procrastinador, e o PSD e o CDS-PP, do Partido Popular Europeu, obtiveram respetivamente 27 e 20 pontos e fazem parte do grupo dos pensadores pré-históricos.

A análise dos dados indica que o Bloco de Esquerda e o PS estão acima da média europeia do seu grupo político, que o PCP surge muito abaixo da média do seu grupo político, e que nos pensadores pré-históricos, o PSD está dentro da média do seu grupo (ligeiramente acima) e o CDS-PP está abaixo.

Em Bruxelas, a bancada do PSD já rejeitou a análise.

Na correção sobre o grupo político a que pertence o Bloco de Esquerda, assinada pelas organizações ambientalistas portuguesas Geota, Spea, Quercus e Zero (que tinham divulgado o documento inicial), explica-se também que o eurodeputado Francisco Guerreiro não estava incluído no barómetro porque os coordenadores da iniciativa apresentaram informação sobre partidos e não sobre deputados independentes.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Ativistas climáticos começam a ser julgados em 22 de abril

Próximo Artigo

Gasto do Estado com análises clínicas baixou para 136 milhões em 2022

Artigos Relacionados
x