Seguir o O MINHO

Motores

“É fantástico estar entre os melhores pilotos do mundo”

em

Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

O jovem piloto bracarense José Rodrigues, um dos dois representantes de Portugal, este fim de semana, no Campeonato Mundial de Carros de Turismo da FIA, afirmou esta sexta-feira a O MINHO “ser fantástico estar entre os melhores pilotos do mundo”, apesar das condições de participação, entre portugueses e estrangeiros, serem muito desiguais, já que por regra em Portugal acumula-se o trabalho e a competição, ao contrário dos outros, profissionais.

Para José Rodrigues, “não vai ser nada fácil, só que darei o meu máximo”, embora o seu Hyundai 130 N TCR “nesta versão ser penalizante, pois ele tem 60 quilos extra, mais 20 quilos, mas vamos ver aquilo que conseguirei, num pelotão tão aguerrido como será este”.

José Barros Rodrigues, de 28 anos, uma das promessas do automobilismo mundial, que se especializou nos carros de turismo, durante uma entrevista exclusiva a O MINHO, em Vila Real, salientou “ser muito importante na minha carreira, o chegar ao topo, o realizar um sonho, por isso estou muito feliz, pois constitui um desafio muito grande nesta fase, é o culminar de muitos anos de esforço e apoio de muitas pessoas, de muitas alegrias e de algumas tristezas”.

Segundo José Rodrigues, um piloto apoiado pelo Benfica, desde 2016, “é para mim muito importante esta ligação com aquele que é maior clube português, pois além do mais são seis milhões de pessoas, que eu represento nesta modalidade, pelo que me deixa muito feliz, apesar de nesse aspeto a pressão subir sempre um bocado porque o Benfica, em qualquer modalidade, está sempre para ganhar”.

“Juntar o útil ao agradável”

José Rodrigues confidenciou a O MINHO que a sua carreira “é juntar o útil ao agradável, porque faço aquilo que gosto, estando a minha família muito ligada ao mundo automóvel, com estações de serviço, em postos de abastecimento de combustíveis e de mudanças de pneus, onde também trabalho, como sucedeu ainda durante esta semana até quinta-feira”.

Mas o facto de se acumular trabalho e competição constitui uma desvantagem, em relação aos pilotos estrangeiros, ainda de acordo com José Rodrigues, explicando que “temos por isso algumas dificuldades, ao correr com esses pilotos, em situações muito diferentes, pois vim do campeonato italiano, cheguei a Portugal na segunda-feira e como disse estive a trabalhar até quinta-feira, para agora competir com eles, numa prova ao mais alto nível”.

Populares