Seguir o O MINHO

Barcelos

Dezenas de autocarros da Transdev destruídos por atos de vandalismo em Barcelos

Milhares de euros de prejuízos

em

Foto: Imagens TVI

35 autocarros da Transdev Portugal foram vandalizados na madrugada de hoje, 27 de março, em Barcelos, com cortes de correias, esvaziamento de pneus e outros atos de sabotagem, revelou a empresa.

Os prejuízos são na ordem dos milhares de euros, acrescenta ainda.

Em comunicado, a administração refere que “este incidente fez com que, por um lado, tivesse sido destruída a principal ferramenta de trabalho de dezenas de pessoas e, por outro tenha sido arruinada a prestação de serviço público de mobilidade naquela região”.

Por conseguinte, “a Transdev Portugal viu-se impedida de proporcionar o normal serviço público de transporte de passageiros a centenas de pessoas, nomeadamente crianças no caso do serviço do transporte escolar, a idosos nas idas a consultas aos hospitais e aos trabalhadores que se deslocavam para os seus postos de emprego, entre outros”.

A PSP de Barcelos tomou conta da ocorrência e “estão a investigar a origem destes atos criminosos que forem perpetrados em vários locais do concelho de Barcelos”, acrescenta, ainda o mesmo comunicado.

 

Notícia atualizada às 15h57: na versão anterior era referido que tinham sido vandalizados 50 autocarros (foram 35) e que a PJ de Braga e a GNR tinham tomado conta da ocorrência (foi a PSP de Barcelos), informações corrigidas pela empresa, em contacto feito, por telefone, com a Redação de O MINHO.

Anúncio

Barcelos

Estudante de Barcelos medalha de bronze nas Olimpíadas de Biologia na Bolívia

em

Fotos: DR

Márcio Campos, estudante de Barcelos, foi um dos três estudantes portugueses a conquistar uma medalha de bronze na 13.ª edição das Olimpíadas Ibero-americanas de Biologia, que decorreram entre 09 e 13 de setembro, em Cochabamba, Bolívia. Também uma estudante bracarense conquistou um diploma de mérito na competição.

Aluno no colégio La Salle, em Barcelos, até final do ano letivo passado, Márcio Campos é um apaixonado pela Biologia, como contou a O MINHO fonte do departamento de ciência daquela instituição.

“O Márcio é alguém que é muito apaixonado pela Biologia, sempre mostrou interesse nesta área e acabou o ensino secundário com nota máxima porque, para além do interesse, aplicava-se e participava nestes concursos”, explica um antigo professor, revelando que o aluno “agora na universidade irá seguir medicina veterinária”.

Fotos: DR

Fonte do colégio salienta a O MINHO que “é sempre incentivado aos alunos para que participem nestes concursos, até por uma questão de valorização pessoal, mesmo quando não chegam às finais”, como no caso de Márcio, que já havia participado nas Olimpíadas Internacionais de Biologia, que decorreram em 2018, obtendo igualmente bons resultados.

“Estamos a falar de umas olimpíadas que já têm um número elevado de países a participar, entre eles países como Argentina, Brasil e Costa Rica, ou até Espanha, onde se faz investigação na área da Biologia e se trabalha muito bem neste campo”, refere.

Para além de Márcio Campos, também uma aluna bracarense, Maria João Oliveira, estudante do colégio D. Diogo de Sousa, em Braga, venceu um diploma de mérito na competição.

Foto: DR

Nestas olimpíadas participaram 50 alunos vindos de 13 países com a delegação portuguesa a arrecadar três medalhas de bronze e um diploma de mérito.

Em julho deste ano, também dois alunos minhotos, Marco Ribeiro, de Guimarães, e Diogo Nogueira, de Barcelos, conquistaram medalhas de bronze nas Olimpíadas Internacionais de Biologia em Szeged, Hungria.

Continuar a ler

Barcelos

Barcelos: Condutores desrespeitam avaria em passagem de nível. GNR deixa alerta

Tragédia que vitimou avós e neta nas mesmas circunstâncias foi em junho

em

Foto cedida a O MINHO

Uma das cancelas ferroviárias de uma passagem de nível situada em Rio Covo Santa Eulália, Barcelos, avariou durante a tarde de hoje, provocando algumas filas e desrespeito por parte dos automobilistas que avançaram independentemente de uma das cancelas estar em baixo.

A situação motivou uma chamada de atenção pública por parte de um automobilista e recomendações por parte da Guarda Nacional Republicana deixadas a O MINHO de forma a prevenir acidentes nestas situações, como o que ocorreu no mesmo concelho, a 19 de junho, vitimando condutor, passageiro e uma criança de 10 anos que seguia nos bancos traseiros da viatura.

Avós e neta de Viana são as vítimas mortais de acidente entre comboio e carro em Barcelos

Miguel Bastos, que assistiu a toda a situação ocorrida esta terça-feira, entre as 15:30 e as 16:00, em Rio Covo Santa Eulália, explicou a O MINHO que, depois do comboio ter passado, uma das cancelas levantou mas a outra ficou em baixo, deixando o sinal sonoro ativo e o sinal visual intermitente.

O automobilista conta que, em ambos os sentidos da Estrada Nacional 204 que liga Barcelos a Famalicão, foram “pelo menos 20 carros” que não respeitaram os sinais de proibição, correndo o risco de se repetir a tragédia de junho passado em Carapeços, Barcelos.

“As pessoas não esperaram que alguém arranjasse a avaria para passar, vi camiões, tratores e vários carros a passarem ao lado da cancela, sem qualquer cuidado”, adianta Miguel.

O MINHO sabe que o técnico responsável da EFACEC chegou em 15 minutos, mexeu na barreira, que estaria encravada, e deu ordem para os carros passarem.

GNR explica o que fazer nestas situações

Contactada por O MINHO, fonte oficial do comando distrital da GNR de Braga disse desconhecer a situação, mas deixou indicações sobre como devem atuar os automobilistas perante um cenário como este.

“Face ao exposto, o recomendado é que os automobilistas contactem imediatamente as autoridades, neste caso a GNR, de forma a que se possa vedar o local até chegada dos técnicos”, esclarece a fonte.

“Enquanto esperam, é recomendado que respeitam a sinalização de não avançar, uma vez que existe perigo de ter um acidente a envolver não só os elementos da viatura mas também as pessoas que estão a ser transportadas no comboio”, acrescenta a GNR.

Continuar a ler

Barcelos

PSD insta presidente da Câmara de Barcelos a suspender funções

PSD/Barcelos diz ser insustentável que o autarca continue a governar o município em prisão domiciliária

em

Foto: DR / Arquivo

O PSD/Barcelos instou esta terça-feira o presidente da Câmara, Miguel Costa Gomes (PS), a suspender funções “de imediato” ou a fazer “cair” o executivo, considerando ser insustentável que o autarca continue a governar o município em prisão domiciliária.

Em comunicado, o PSD acusou ainda Costa Gomes de “apego ao poder”, sublinhando que o município “não pode ser governando num vaivém de incertezas”.

“O senhor presidente ou confia no executivo que consigo se apresentou a votos em 2017 e suspende de imediato as suas funções, substituindo-o quem de direito, ou faz cair o executivo em quem, afinal, parece não confiar”, refere o comunicado.

Para o PSD, “o que não mais se pode é permitir que, insolitamente, Barcelos e os barcelenses não possam contar com o seu presidente”.

“O que não se concebe é que a autarquia não seja regida pelo seu presidente, que não está presente pessoalmente, porque proibido judicialmente”, acrescenta.

Miguel Costa Gomes está em prisão domiciliária desde 03 de junho, indiciado dos crimes de corrupção passiva e de prevaricação, no âmbito da operação Teia.

Está também proibido de contactar com os funcionários do município.

Em setembro, um juiz de instrução criminal decidiu manter estas medidas de coação.

Para o PSD, Costa Gomes está a protagonizar “uma façanha inédita na história, governando a partir da sua casa em Gamil há 111 dias seguidos”.

“Haja decoro”, apelam os sociais-democratas.

A Lusa contactou a Câmara, que ainda não reagiu ao comunicado do PSD.

Na operação Teia, e além de Costa Gomes, são ainda arguidos o entretanto demissionário presidente da Câmara de Santo Tirso, Joaquim Couto, que ficou em liberdade mediante o pagamento de uma caução de 40 mil euros, e a mulher, a empresária Manuela Couto, que ficou em prisão domiciliária.

O outro arguido é o ex-presidente do Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto Laranja Pontes, que também ficou em liberdade mediante caução de 20 mil euros, e com suspensão das funções que exercia.

Laranja Pontes reformou-se entretanto.

O processo está relacionado com alegados favorecimentos às empresas de Manuela Couto por parte do município de Barcelos e do IPO/Porto, a troco de favores políticos conseguidos por Joaquim Couto.

Continuar a ler

Populares