Seguir o O MINHO

Barcelos

Detido por injúrias à PSP parte o vidro de uma viatura com a cabeça em Barcelos

Dois homens foram detidos

em

Foto: DR/Arquivo

A PSP anunciou hoje a detenção, em Barcelos, de dois homens por alegadas injúrias a elementos policiais, tendo também um deles partido à cabeçada um vidro da viatura da polícia.

Em comunicado, a PSP refere que foi chamada face à presença de um grupo de indivíduos à porta de um estabelecimento de diversão noturna, “com uma atitude agressiva para com os porteiros, tendo-os agredido e ameaçado”.

Já na presença da PSP, dois indivíduos, de 28 e 34 anos, “continuaram com a mesma postura agressiva e no, decorrer da intervenção policial, injuriaram os elementos policiais”.

No parque da PSP de Barcelos, um dos detidos “desferiu uma cabeçada no vidro da porta da viatura policial, tendo-o partido”.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Barcelos

519 anos da Misericórdia de Barcelos com homenagem aos 40 colaboradores

Missa comemorativa está marcada para as 15:30

em

Foto: DR

Os cerca de 40 colaboradores da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos vão ser, hoje, homenageados na sessão comemorativa dos 519 anos da instituição.

As comemorações começam com uma Eucaristia de Ação de Graças, pelas 15:30, na igreja da Misericórdia. Depois haverá, então, o momento de reconhecimento profissional de quem trabalha na Santa Casa.

A Misericórdia de Barcelos reconhece, uma vez mais, o contributo e a dedicação de quem, nos últimos 15, 20, 25 e 30 anos, se dedicou à instituição e contribuiu para a concretização da sua missão.

“Só reconhecendo o valor dos que, de forma empenhada, servem a Misericórdia de Barcelos, poderemos apoiar e cuidar das pessoas que nos procuram, sejam as crianças, os doentes, os idosos, os utentes, a razão de ser e servir da Santa Casa”, refere em comunicado a direcção da instituição.

Continuar a ler

Barcelos

Barcelos aprova voto de pesar pela morte do oboísta Samuel Bastos

Músico de 32 anos

em

Foto: DR / Arquivo

A Câmara Municipal de Barcelos aprovou hoje um voto de pesar pela morte do oboísta Samuel Bastos, considerando que se trata de uma “irreparável perda para a cultura” do concelho.

“O talento de Samuel Bastos sempre foi, e será, motivo de grande orgulho para Barcelos e o seu falecimento constituiu uma irreparável perda para a cultura do nosso concelho”, refere o município, em comunicado.

A mesma nota sublinha que Samuel Bastos “manteve sempre uma forte ligação a Barcelos e à Banda Musical de Oliveira, onde nasceu para a música e à qual sempre o ligaram fortes laços familiares”.

Óbito: Oboísta Samuel Bastos (Barcelos) era “um dos melhores da música” mundial

O oboísta Samuel Bastos, de 32 anos, morreu no sábado em Zurique, na Suíça, tendo sido sepultado na quinta-feira na freguesia de Oliveira, concelho de Barcelos, de onde era natural.

Era oboísta solista da Orquestra da Ópera de Zurique (Opernhaus Zurich).

Samuel Bastos foi admitido, em 2012, na Herbert von Karajan Akademie der Berliner Philharmoniker e na Orquestra da Ópera de Zurique, onde trabalhava atualmente.

Aí teve a oportunidade de trabalhar com solistas de renome, como Bartoli, Meier, Kasarova, Netrebko, Stemme, Gruberova ou Damrau.

Samuel Bastos nasceu em 1987 numa família de músicos e iniciou os estudos musicais com o seu pai quando tinha 07 anos.

Estudou no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga, bem como na Escola Superior de Música de Lisboa, com José Fernando Silva e Andrew Swinnerton.

Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, tendo estudado também em Zurique, na Zürcher Hochschule der Künste.

Aí concluiu várias especializações, com a distinção máxima na classe de Martin Frutiger (corne inglês) e Thomas Indermühle (oboé).

Em Paris, França, o oboísta estudou com Maurice Bourgue.

Em julho de 2017, Samuel Bastos venceu o concurso internacional de oboé Fernand Gillet-Hugo Fox, organizado pela International Double Reeds Society, na Lawrence University, em Appleton, Wisconsin, Estados Unidos da América.

Foi o vencedor dos concursos internacionais de oboé Giuseppe Ferlendis e Cittá di Chieri, em Itália, e premiado nos concursos internacionais de oboé Giuseppe Tomassini (Itália), Crussel (Finlândia), Barbirolli (Reino Unido) e Riddes (Suíça).

Em Portugal foi vencedor do Yamaha Music Foundation of Europe, do Prémio Jovens Músicos e do Prémio Maestro Silva Pereira.

Aos 17 anos integrou a Orquestra de Jovens da União Europeia, mais tarde a European Wind Orchestra, a The World Orchestra e a Gustav Mahler Jugend Orchester, com a qual realizou digressões por toda a Europa e pela China.

Samuel Bastos colaborou com diferentes orquestras como oboísta solista, com realce para a Gewandhaus Orchester Leipzig, a Oper Frankfurt, a Sinfonie Orchester Basel, a Luzerner Sinfonieorchester, a Berner Symphonieorchester, a Zürcher Kammer Orchester, a Zakhar Bron Chamber Orchestra e a Tongyeong Festival Orchestra.

Ao longo do seu percurso profissional trabalhou com solistas, compositores e maestros de renome, como H. Holliger, M. Vengerov, A. Sophie Mutter ou H. Grimaud.

Apresentou-se como solista na Europa, na Rússia, nos Estados Unidos da América e no Japão.

Apresentou em primeira audição em Portugal obras de compositores como Lenir Siqueira, Akira Nishimura, Vinko Globokar e Gilles Silvestrini.

Samuel Bastos foi ainda membro fundador da Revista Musical Portuguesa Da Capo e colaborou regularmente com a Orquestra XXI.

Continuar a ler

Barcelos

Barcelos: Mãe obrigou filha de 13 anos a prostituir-se por 20 euros para comprar álcool

Caso foi denunciado por familiares

em

Foto: Ilustrativa / DR

Uma mulher, com 45 anos foi condenada, por lenocínio de menores, depois de ter obrigado a filha de 13 anos a práticas sexuais com o irmão do próprio namorado. Tudo a troco de 20 euros, segundo noticia o Jornal de Notícias de hoje.

O Tribunal de Braga condenou a mulher a quatro anos de prisão e o homem a três anos e quatro meses por abuso sexual. Ficaram ainda obrigados a pagar 15 mil euros de indemnização à menor e estão inibidos de exercer os direitos de parentalidade durante cinco anos.

Segundo o mesmo jornal, o caso remonta ao Verão de 2017, quando a mulher ia, aos fins-de- semana, à casa do namorado em Barcelos onde vivia, também, o irmão de 50 anos. Os dois combinaram que, a troco de 20 euros, “poderia fazer o que quisesse, incluindo cópula”, refere ainda o JN.

A mãe explicou à filha o que tinha combinado acrescentando que “o fazia porque precisava do dinheiro para a alimentar, bem como a outra irmã, mais pequena”.

Segundo os factos apurados em tribunal, o arguido tentou mas a criança não o consentiu. A cena repetiu-se, por diversas vezes, em Julho e Agosto. Em tribunal ficou provado que foram 10 tentativas.

A menor terá tentado junto da mãe acabado com aquilo mas a progenitora não aceitou o pedido, tendo-lhe, inclusive, retirado o telemóvel.

Denunciado por familiares

Segundo o JN, o caso acabou por ser descoberto por familiares, nomeadamente, por uma tia da vítima que o denunciou.

Em tribunal, a mulher contou que a irmã ia, todos os dias ao café, gastar os 20 euros que o agressor sexual lhe dava, em álcool. Segundo os autos, a própria mãe cobrava favores sexuais em troco de dinheiro.

Conscientes do crime

O trio de juízes considerou que “a mãe e o homem estavam cientes do  crime que cometiam, e do ascendente que ela tinha sobre a rapariga”.

A jovem, agora com 15 anos, ficou – e ainda está – traumatizada pelo  crime e começou a ser acompanhada por uma psicóloga da Cruz Vermelha  Portuguesa. Actualmente é tratada num Gabinete Terapêutico, por especialistas em casos análogos.

Ao que O MINHO apurou, a mulher é natural de Póvoa de Varzim, mas reside na Trofa.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Patrocinado

Reportagens da Semana

Populares