Seguir o O MINHO

Ave

Detido por caça ilegal em Fafe

Caçava em dia da semana em que não lhe era permitido

em

Foto: Divulgação / GNR (Arquivo)

Um homem, de 42 anos, foi detido na quinta-feira, por elementos do Núcleo de Proteção Ambiental do comando da GNR de Braga, por caça ilegal, em Fafe, anunciou, esta sexta-feira, aquela polícia.

Durante uma ação de patrulhamento no âmbito da proteção da natureza durante o período de caça (ato venatório), refere a GNR em comunicado, foi detetado um “suspeito a caçar sem estar autorizado para essa atividade”.

A mesma nota explica que o homem estava a caçar num dia da semana em que “não tinha licença para o fazer”. Foi detido e a caçadeira que detinha foi apreendida, assim como 16 cartuchos que estavam, igualmente, em sua posse.

O detido foi constituído arguido e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Fafe.

A GNR relembra que durante o exercício do ato venatório, o caçador tem que se fazer acompanhar de Carta de caçador, Licença de caça, Licença dos cães que acompanham o caçador.

Desde que seja portador de arma de fogo, tem que ser portador da licença de uso e porte de arma e, respetivo livrete de manifesto, Declaração de empréstimo da arma, sempre que a arma não seja do próprio caçador, Recibo comprovativo do pagamento do prémio do seguro de caça válido, Cartão do Cidadão ou Bilhete de Identidade ou passaporte.

Quando menor, terá de ter autorização escrita da pessoa que legalmente o represente.

Anúncio

Guimarães

Capela da Senhora da Conceição é um património simbólico para Guimarães

Em Azurém

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

Este domingo, 08 de dezembro, assinalaram-se as celebrações religiosas em honra de Nossa Senhora da Conceição com uma razão extra para celebrar, depois de concluída a primeira fase das obras de restauro da Capela Senhora da Conceição, em Azurém, com apoio da Câmara de Guimarães, num valor a rondar os 400 mil euros.

Domingos Bragança, edil, visitou o monumento classificado e assinalou a “valorização patrimonial” da Capela Senhora da Conceição, sendo um imóvel classificado de interesse público do século XVI que “encontrava-se num estado muito mau de conservação cuja recuperação poderia ser irreversível se não fosse efetuada esta intervenção, perante o estado de degradação em que se encontrava”.

Nesta primeira fase da obra registaram-se intervenções de montra no restauro dos telhados, paredes, a torre sineira e sacristia, num processo que demorou dois anos. Segundo padre Queirós de Carvalho, “houve uma intervenção de fundo e delicada ao nível de paredes e telhados, com a recuperação total do edifício do sacristão, com ligação à capelinha” destacando as intervenções no teto da nave, soalhos e sacristia.

O pároco registou a colaboração da autarquia na atribuição do subsídio. Para completar a recuperação total é necessário ainda a intervenção do azulejo, nos altares laterais, na tribuna e ainda a recuperação do orgão do século XVII.

Definido como património vimaranense, a recuperação da Capela Nossa Senhora da Conceição merece especial atenção da câmara. Domingos Bragança considera “fundamental” a continuidade da recuperação do património, e nesse sentido já foi concretizada uma candidatura ao programa comunitário Norte 2020 para assegurar o investimento em falta.

“Concretizou-se uma parte importante da obra, mas nem tudo está feito e esperamos uma decisão sobre a candidatura submetida ao programa Norte 2020 para dar seguimento à segunda fase das obras”, vincou.

Continuar a ler

Guimarães

Empresa de Guimarães investe 4 milhões e abre novo pólo com duas linhas de produção

Retalho de mobiliário e têxteis para o lar

em

É a 13 de dezembro que nasce, com duas linhas de produção, a nova fábrica do grupo JOM, marca vimaranense dedicada a retalho de mobiliário e artigos para o lar

O novo espaço, que representa um investimento de cerca de quatro milhões de euros, ocupa mais de 8.500 metros quadrados, em Selho, Guimarães, onde foi, outrora, a sede de um grupo têxtil que, entretanto, se mudou para Vila do Conde [Têxteis Cães de Pedra].

Nas duas linhas que vão trabalhar em simultâneo, o “parque de máquinas” é moderno, e os colaboradores (sobretudo designers), estão preparados para inovar e criar artigos exclusivos.

A inauguração irá contar com a presença de João Neves [secretário de Estado da Economia], Jorge Ortiga [Arcebispo de Braga] e Domingo Bragança [presidente da Câmara de Guimarães].

Com faturação de mais de 40 milhões, em 2018, o grupo de Joaquim Oliveira Mendes conta já com 22 lojas em todo o país, depois da abertura, em novembro, de uma “super-loja” na zona industrial do Porto, em investimento de 4.5 milhões.

O grupo JOM fabrica e comercializa produtos para o lar, como móveis, sofás, colchões, eletrodomésticos, artigos de iluminação, decoração e têxteis.

Continuar a ler

Guimarães

Vereador de Guimarães candidato à distrital do PS

Ricardo Costa

em

Foto: Divulgação

Ricardo Costa, de 44 anos, assumiu a candidatura às próximas eleições para a Federação Distrital de Braga do Partido Socialista (PS), atualmente lideradas pelo deputado à Assembleia da República, Joaquim Barreto.

O anúncio foi revelado pelo Jornal de Notícias, que aponta uma “modernização” do partido como mote de candidatura do político vimaranense.

“Assumo a disponibilidade para me candidatar, posicionando o PS novamente como um partido moderno que seja capaz de criar valor para todos os cidadãos”, referiu Ricardo Costa, citado pelo jornal.

Um dos nomes que já manifestou apoio ao futuro candidato é o líder da concelhia de Amares, Afonso Pimenta, que defende “uma renovação a nível federativo” dos socialistas de Braga. O movimento terá apoio de todas as 14 concelhias do distrito.

Desde 2014 que a distrital é liderada por Joaquim Barreto, antigo presidente da Câmara de Cabeceiras de Basto, que ainda não revelou se será, novamente, candidato.

As eleições devem decorrer entre março e abril de 2020.

Continuar a ler

Populares