Seguir o O MINHO

Barcelos

De Barcelos para as ilhas: O ‘wi-fi’ e os ‘likes’ na nova versão da “Mariquinhas”

Gisela João

em

Foto: DR / Arquivo

Gisela João, fadista, 36 anos, entra em casa das pessoas “sem pedir licença a ninguém”, e a única coisa que lhes pede é que continuem a sonhar – mas atentas aos novos tempos, como canta na nova versão da “Mariquinhas”.

Em concerto na noite de sábado em Ponta Delgada, a fadista de Barcelos apresentou o “‘Hostel’ da Mariquinhas”, onde fala de ‘wi-fi’, dos ‘likes’, dos ‘tuk-tuk’, e das estrelas dadas aos condutores da Uber.

“Entro em casa das pessoas sem pedir licença. Acho que os artistas têm duas obrigações: uma é fazer as pessoas sonhar, a arte serve para isso, fazer as pessoas questionar-se. E a outra é falar da situação atual, do que acontece”, contou à agência Lusa momentos antes de entrar no palco do Coliseu Micaelense, na VIII Gala de Beneficência da Câmara Municipal de Ponta Delgada.

Os palcos são, acredita Gisela João, lugares onde “qualquer coisa acontece”, que pode transformar um dia negativo numa experiência memorável.

“Há qualquer coisa que acontece de repente quando começas a cantar, com a energia que passa, 90% do que acontece no concerto depende das pessoas”, acredita, antes de lembrar diversas experiências transformadoras.

Nos Açores, Gisela João recorda a inauguração do centro de artes Arquipélago, em 2015, onde cantou para uma casa cheia e onde igual número de espetadores ficou de fora por não conseguir entrar.

E relembra: “Disse às pessoas para não me pedirem ‘encore’ e no final do concerto, que era gratuito, pedi para todos saírem para deixarem entrar quem estava lá fora. E dei outro concerto”.

“Eu quero é que as pessoas me venham ouvir e me queiram ver cantar”, afirma, o que nem sempre acontecia nas casas de fado, onde por vezes os espetadores não sabiam quem eram os intérpretes a cada noite.

Gisela João tem dois discos editados: um trabalho homónimo, em 2013, e “Nua”, em 2016.

Vencedora de diversos prémios, é de Miguel Esteves Cardoso um dos maiores elogios públicos: “Amália Rodrigues foi a grande fadista do século XX. (…) Sei e sinto, com a mesma força, que Gisela João é a grande fadista do século XXI”, escreveu o escritor e ex-jornalista.

A gala solidária da maior autarquia açoriana angariou cerca de quatro mil euros, receita que reverterá integralmente a favor da delegação nos Açores da Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO).

Anúncio

Barcelos

Exército instala tendas para apoiar unidades de saúde em Barcelos

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Barcelos

O Exército instalou hoje duas tendas na cidade de Barcelos, uma junto ao hospital e outra junto ao centro de saúde, que vão estar ao serviço das autoridades sanitárias.

A instalação das tendas partiu de um pedido do Hospital de Barcelos e do ACES Cávado III à Câmara de Barcelos, revela a autarquia em nota de imprensa, na qual adianta que também está “prevista a cedência, por parte da Câmara Municipal, de dois monoblocos ao Hospital de Barcelos, no âmbito do combate à pandemia Covid-19”.

Para além destes equipamentos, a autarquia já havia disponibilizado ao Hospital de Barcelos uma tenda da Proteção Civil Municipal e o Pavilhão Municipal, tendo efetuado, há alguns dias, o transporte e instalação de um monobloco cedido pela freguesia de Macieira de Rates.

Continuar a ler

Barcelos

Barcelos abdica da cobrança de taxas e rendas

Covid-19

em

Foto: DR

A Câmara de Barcelos vai abdicar da cobrança de rendas e taxas até ao dia 30 de junho. Esta é uma das medidas de mitigação dos efeitos da pandemia da covid-19 que Miguel Costa Gomes vai levar a aprovação do executivo municipal, que irá reunir sexta-feira através de videoconferência.

“Vou propor a suspensão dos pagamentos da renda dos espaços municipais, como a Feira e o Mercado Municipal, bem como da taxa dos resíduos sólidos até 30 de junho”, adiantou o presidente da autarquia, que colocou também em cima da mesa o eventual “perdão” desses pagamentos.

Neste âmbito, a Câmara de Barcelos vai fazer uma análise do impacto financeiro da pandemia de covid-19 na autarquia.

Miguel Costa Gomes vai, ainda, na reunião da Câmara, “propor a suspensão de toda e qualquer atividade do Município” até ao final de junho, período que poderá vir a ser ajustado à evolução da pandemia. O autarca espera “unanimidade” em torno desta proposta, até porque, nota, “é por de mais evidente que não é possível realizar a Festa das Cruzes…”.

Continuar a ler

Barcelos

Sobe para 22 o número de idosos infetados em lar de Barcelos

Covid-19

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Dezassete dos 18 utentes ontem retirados do Centro de Apoio e Solidariedade da Pousa (CASP), em Barcelos, para o Seminário da Silva, no mesmo concelho, acusaram positivo nos testes de despistagem à covid-19 e irão regressar ao lar, informou hoje de manhã o presidente da autarquia, Miguel Costa Gomes.

Em videoconferência com os jornalistas, Miguel Costa Gomes adiantou que os cinco utentes que já se sabia estarem infetados e que foram transportados para o Hospital de Barcelos também vão regressar ao lar da Pousa, que já ontem foi desinfetado.

A transferência dos utentes será feita em articulação com as autoridades de saúde, numa operação que será “semelhante” à de evacuação levada a cabo ontem.

O funcionamento do CASP terá, segundo o autarca, o apoio da Segurança Social, através dos seus meios técnicos, e dos colaboradores do lar que, entretanto, terminam a sua quarentena.

Em relação ao único utente que acusou negativo, Miguel Costa Gomes diz que está a ser articulada com a família uma solução, que pode passar pelo acolhimento por familiares ou noutro lar onde não haja infetados.

O presidente da Câmara de Barcelos garantiu, ainda, que nos lares do concelho que têm protocolo não há outros casos registados. No entanto, confirma a existência de dois casos num lar privado.

Esta semana, acrescentou, a autarquia vai realizar testes de despistagem ao covid-19 em todos os lares do concelho.

Continuar a ler

Populares