Seguir o O MINHO

Braga

Câmara de Braga esclarece buscas da PJ

Operação Rota Final levou a PJ a fazer buscas em 18 câmaras, incluindo Braga e Barcelos, no Minho

em

Foto: DR / Arquivo

A Câmara Municipal de Braga esclareceu, ao final da manhã desta quarta-feira, o motivo das buscas de que foi alvo, por parte da Polícia Judiciária, no âmbito da Operação “Rota Final”.


“Atendendo às notícias que vieram a público relativamente a diligências hoje efectuadas pela Polícia Judiciária (PJ) em diversas autarquias do país, entre as quais o Município de Braga, informa-se que neste caso apenas foi solicitada informação à instituição sobre o processo de recrutamento de uma colaboradora (que já não tem vínculo com esta autarquia), a qual foi imediatamente facultada dentro do espírito de colaboração com que este Município tem participado em todos os processos de investigação”, explica a autarquia num curto comunicado enviado a O MINHO.

Transdev visada na operação que levou a PJ a fazer buscas em Braga e Barcelos

A operação “Rota Final” relaciona-se com um alegado esquema fraudulento de viciação de procedimentos de contratação pública.

As buscas mobilizaram meios da Diretoria do Norte da PJ, com o apoio de vários departamentos de investigação criminal e da Diretoria do Centro, no âmbito de um inquérito titulado pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Coimbra.

Ao todo, foram 50 as buscas realizadas, envolvendo 200 elementos da Polícia Judiciária – inspetores, peritos informáticos, peritos financeiros e contabilísticos.

As 18 câmaras municipais alvo de buscas forma as de Águeda, Almeida, Armamar, Belmonte, Barcelos, Braga, Cinfães, Fundão, Guarda, Lamego, Moimenta da Beira, Oleiros, Oliveira de Azeméis, Oliveira do Bairro, Sertã, Soure, Pinhel e Tarouca.

“Mediante atuação concertada de quadros dirigentes de empresa de transporte público, de grande implementação em território nacional com intervenção de ex-autarcas a título de consultores, beneficiando dos conhecimentos destes, terão sido influenciadas decisões a nível autárquico com favorecimento na celebração de contratos públicos de prestação de serviços de transporte, excluindo-se das regras de concorrência, atribuição de compensação financeira indevida e prejuízo para o erário público”, afirma a PJ, em comunicado a propósito deste caso.

Também no recrutamento de funcionários se terão verificado situações de favorecimento, ainda segundo a PJ.

A investigação prossegue “para determinação de todas as condutas criminosas, seu alcance e respetivos agentes”, esclarece a polícia.

Anúncio

Braga

M1lhão saiu no distrito de Braga

Jogos Santa Casa

em

Foto: DR

O código vencedor do concurso 44/2020 do M1lhão, sorteado hoje, é o CVR 20 301, informou o Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

O prémio, no valor de um milhão de euros, saiu a uma aposta registada no distrito do Braga .

Continuar a ler

Braga

“Eu f***-vos, eu esfaqueio-vos”. Assalta de navalha aberta dois jovens em Braga

Crime

em

Foto: Ilustrativa (Arquivo)

“Fala agora… agora eu fodo-vos, eu esfaqueio-vos”. Foi assim que, na madrugada de 18 de agosto de 2020, um homem de 32 anos se dirigiu na Rua do Taxa, junto da antiga Taberna Inglesa, com uma navalha aberta, a dois jovens que regressavam a pé dos bares da zona da UMinho e que assaltou, de seguida.

O Ministério Público do Tribunal de Braga acusou-o, agora, de dois crimes de roubo qualificado. E está em prisão preventiva, por ter antecedentes criminais.

A acusação diz que – e conforme O MINHO já havia noticiado – os dois jovens vinham pela Rua Nova de Santa Cruz, às 03:30 da madrugada, em direção à Rua D. Pedro V.

Quando passavam junto ao restaurante Alice, surgiu o agressor na varanda de um dos prédios, a reclamar com eles por estarem a “fazer barulho”.

Após uma breve troca de bocas, os dois seguiram para a Rua do Taxa. Aí, foram surpreendidos pela retaguarda pelo agressor, que apontou a navalha, aberta, ao pescoço de um, ao mesmo tempo que lhe disse: “canta agora aí de baixo, voltas a dizer essas merdas, para a próxima falas baixinho. Agora não vais estar a falar, passa para cá tudo o que tens nos bolsos”.

Temendo que o arguido o fosse esfaquear, atentando contra a sua vida, o jovem entregou-lhe um telemóvel, avaliado em 120 euros e um pacote de tabaco de enrolar, que valia sete. O agressor exigiu-lhe, também, a carteira que tinha dois cartões bancários, ficando com eles e deitando o resto para o chão.

De seguida voltou-se para o outro jovem e disse: “anda cá se não vou fodê-lo. Carteira e telemóvel, dá-me tudo o que tens nos bolsos, passa para cá”.

A vítima deu-lhe então o seu telemóvel, avaliado em 120 euros e uma carteira que o agressor atirou para o chão por nada ter de valioso.

Assim, e na posse dos objetos, pôs-se em fuga rumo à Rua D. Pedro V. Nesse momento, uma das vítimas correu para o Posto Territorial da GNR que fica naquela artéria e pediu auxílio aos militares.

Pelas 04:20, a GNR intercetou o ladrão junto à Pastelaria Flor da Venezuela, na Rua D. Pedro V, e apreendeu-lhe os objetos roubados e a navalha, com uma lâmina de 7,5 centímetros.

O arguido, concluiu a acusação, tinha já sido condenado, em 2013, a quatro anos e 2 meses de prisão for roubo qualificado e condução sem carta.

Tem outra pena, suspensa, pelo crime de tráfico de estupefacientes, de que é consumidor, e não tem vínculo laboral.

“Na personalidade do arguido enraízou-se um hábito de praticar este tipo de crimes e a anterior condenação em prisão efetiva não serviu de suficiente advertência”, sublinha o magistrado.

Continuar a ler

Braga

Câmara de Braga investe 67 mil euros em pessoal para unidades de apoio à covid-19

Covid-19

em

Foto: DR

A Câmara de Braga vai investir 67 mil euros em meios humanos para duas estruturas de apoio criadas no âmbito da pandemia de covid-19, uma para sem-abrigo e outra para pessoas em isolamento profilático, foi hoje anunciado.

Aquela verba será atribuída à Delegação de Braga da Cruz Vermelha Portuguesa, responsável pela gestão das estruturas, ao abrigo de um protocolo que será ratificado na reunião de terça-feira do executivo municipal.

Uma das estruturas será destinada aos cerca de 25 a 30 sem-abrigo sinalizados no concelho.

A outra, a funcionar num hotel no Sameiro, destina-se a pessoas em situação de isolamento profilático e pessoas infetadas sem necessidade de internamento hospitalar mas que não disponham de condições familiares e estruturais para o isolamento nas suas habitações.

Segundo o protocolo, a Cruz Vermelha assegura os recursos humanos necessários ao funcionamento das duas estruturas, desde auxiliares de ação médica e de limpeza até enfermeiros e técnicos de acompanhamento, assumindo a Câmara os respetivos encargos financeiros.

O protocolo está em vigor desde 01 de outubro e estender-se-á por cinco meses.

Além deste protocolo, o município disponibiliza ainda os equipamentos e serviços necessários para o funcionamento das estruturas.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 45,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.468 pessoas dos 137.272 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Continuar a ler

Populares