Seguir o O MINHO

Braga

INL organiza principal conferência sobre nanomedicina na Europa

Organização conjunta com a ETPN – Plataforma Tecnológica Europeia de Nanomedicina

em

O principal evento europeu de nanomedicina vai acontecer no INL – Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, em Braga, de 17 a 19 de junho, numa organização conjunta com a ETPN – Plataforma Tecnológica Europeia de Nanomedicina.


Este encontro internacional vai reunir 300 participantes de 30 países, que vão ser atualizados sobre os mais recentes desenvolvimentos em nanotecnologia aplicados às ciências médicas e à prática clínica.

“O diagnóstico e tratamento de um grande número de doenças estão a ser revolucionados pelos avanços da nanomedicina, com destaque para o combate ao cancro, uma das doenças mais prevalentes e com um número crescente de casos em todo o mundo. As abordagens médicas convencionais têm vindo a enfrentar cada vez mais desafios para conseguirem obter resultados clínicos ótimos a um custo acessível, o que coloca um peso ainda maior sobre os já sobrecarregados sistemas nacionais de saúde”, diz o INL, em comunicado.

“A nanomedicina apresenta-se como uma solução para este problema e está a tornar-se cada vez mais relevante na entrega de melhores resultados clínicos, menos invasivos, com dosagens mais inteligentes e uma maior precisão, por vezes vezes por uma fração do custo”, pode ler-se no texto.

A NanoMed Europe 2019 vai focar-se, em particular, na transferência de tecnologia para o mercado e na redução da distância entre a investigação feita nos laboratórios e a respetiva aplicação clínica em benefício dos doentes e da sociedade.

Nesta conferência, vão ainda realizar-se sessões ao vivo do HealthTechTAB, um serviço de tutoria personalizado e gratuito assegurado pelo Projeto Europeu NOBEL, que tem como objetivo impulsionar o desenvolvimento de soluções inovadoras na área da saúde.

A sessão de abertura oficial da NanoMed Europe 2019, no dia 18 de junho, pelas 09:30, vai ser presidida pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Governo de Portugal, Manuel Heitor. O Ministro da Ciência do Governo de Espanha vai ser representado por Juan José Serrano, o Subdiretor-geral para a Internacionalização da Ciência e Inovação. Esta cerimónia vai contar também com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, do Diretor-Geral do INL, Lars Montelius, e do Presidente da ETPN, Patrick Boisseau.

Os tópicos que vão ser discutidos no programa da NanoMed Europe 2019 vão cobrir desenvolvimentos como NanoXray, o recém-aprovado sistema inovador para radioterapia melhorada, nanomedicina contra doenças infecciosas, distribuição direcionada de medicamentos, integração de tecnologias de saúde ao longo do Continuum de Cuidados, entre muitos outros.

As reuniões estratégicas organizadas pela ETPN durante a conferência também vão ajudar a preparar o Horizon Europe, o próximo Programa de Trabalho da Comissão Europeia, a partir de 2021.

Anúncio

Braga

Ruas de Braga vazias num sábado à tarde. Só restam ‘Uber Eats’ e pombas

em

Os bracarenses respeitaram o recolher obrigatório a partir das 13:00 horas deste sábado, recolhendo ao domicílio, deixando as ruas do centro histórico de Braga vazias.

Cerca das 12:55, os últimos lojistas da rua do Souto iam fechando portas, para cinco minutos depois estarem já recolhidos nas viaturas ou nos lares.

Também no centro da Praça da República, alguns transeuntes iam passando em passo lesto, para não entrarem em incumprimento. E tudo ficou vazio, à exceção das pombas e de alguns profissionais estafetas da Uber Eats.

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Na madrugada de 08 de novembro, o país ficou a saber pelo primeiro-ministro, António Costa, que a circulação ia ser limitada nos dois fins de semana seguintes, entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo e as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira, nos 121 concelhos de maior risco de contágio pelo novo coronavírus (vão aumentar para 191 a partir de segunda-feira).

No âmbito do estado de emergência decretado devido à pandemia de covid-19, o Governo decidiu também instaurar um recolher obrigatório entre as 23:00 e as 05:00 nos dias de semana, entre 09 e 23 de novembro (enquanto vigora o estado de emergência, que tem uma validade de 15 dias, podendo ser renovado), nos concelhos mais afetados, com o comércio a encerrar até às 22:00 e os restaurantes até às 22:30.

Seguiu-se uma semana de contestação e manifestação de dúvidas em relação às exceções da medida, por parte de várias associações comerciais que representam o comércio e a restauração.

Assim, na quinta-feira, o Governo decidiu ordenar o encerramento do comércio e restauração às 13:00, neste e no próximo fim de semana.

Ficou também definido que a abertura dos estabelecimentos só pode ocorrer a partir das 08:00.

“A regra é tudo fechado às 13:00”, disse o primeiro-ministro, António Costa, em conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros, referindo-se aos concelhos com risco elevado de contágio de covid-19.

Os restaurantes só podem funcionar a partir das 13:00 para entrega ao domicílio, clarificou o primeiro-ministro, e não para ‘take away’, como esperavam os empresários do setor.

António Costa anunciou ainda que haverá um apoio de 20% da perda de receitas dos restaurantes nos dois fins de semana face à média dos 44 fins de semana anteriores (de janeiro a outubro 2020).

Fora da obrigatoriedade de fechar a partir das 13:00 e de abrir apenas a partir das 08:00 estão as farmácias, clínicas e consultórios, veterinários, estabelecimentos de venda de bens alimentares com porta para a rua até 200 metros quadrados, bombas de gasolina, padarias e funerárias.

Continuar a ler

Braga

Longas filas pela manhã em Braga antes do recolher obrigatório

Estado de emergência

em

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

Muitos cidadãos de Braga aproveitaram a manhã pré-confinamento para fazer compras e passear um pouco pela cidade, antes do início do recolher obrigatório, estipulado para as 13:00 horas deste sábado e até às 05:00 de domingo.

No Pingo Doce de São Vicente, ao longo da manhã, foi visível a fila no exterior da loja, uma vez que a lotação interior esgotou por várias vezes.

A O MINHO, Deolinda Alves, de São Víctor, explica que veio fazer “as últimas compra de mercearia” para o fim de semana.

“Não tenho intenção de voltar a sair de casa até segunda-feira, por isso vim agora aqui fazer algumas compras que precisava para poder estar sossegada em casa”, disse a costureira de profissão.

Foto: Fernando André Silva / O MINHO 

Deolinda é a favor deste recolhimento, pois está “assustada” com o aumento de casos no concelho. “Nunca se viu nada assim, há muita gente que diz que isto é uma paranóia mas já morreram muitas pessoas no país e aqui em Braga e não são só velhinhos como dizem”, atirou a bracarense.

Também no centro da cidade, várias pessoas faziam compras no comércio, ainda aberto, para preparar o confinamento em paz.

No centro histórico, até as pequenas mercearias, que podem estar abertas durante a tarde graças a uma exceção decretada pelo Conselho de Ministros, que permite abertura de lojas de bens alimentares e higiene com menos de 200 metros quadrados e com porta para a rua.

Foto: Fernando André Silva / O MINHO

O comércio e a restauração iniciaram hoje o primeiro de dois fins de semana em que apenas podem abrir entre as 08:00 e as 13:00, no âmbito do estado de emergência, uma medida contestada por várias associações empresariais.

Na madrugada de 08 de novembro, o país ficou a saber pelo primeiro-ministro, António Costa, que a circulação ia ser limitada nos dois fins de semana seguintes, entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo e as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira, nos 121 concelhos de maior risco de contágio pelo novo coronavírus (vão aumentar para 191 a partir de segunda-feira).

No âmbito do estado de emergência decretado devido à pandemia de covid-19, o Governo decidiu também instaurar um recolher obrigatório entre as 23:00 e as 05:00 nos dias de semana, entre 09 e 23 de novembro (enquanto vigora o estado de emergência, que tem uma validade de 15 dias, podendo ser renovado), nos concelhos mais afetados, com o comércio a encerrar até às 22:00 e os restaurantes até às 22:30.

Seguiu-se uma semana de contestação e manifestação de dúvidas em relação às exceções da medida, por parte de várias associações comerciais que representam o comércio e a restauração.

Assim, na quinta-feira, o Governo decidiu ordenar o encerramento do comércio e restauração às 13:00, neste e no próximo fim de semana.

Ficou também definido que a abertura dos estabelecimentos só pode ocorrer a partir das 08:00.

“A regra é tudo fechado às 13:00”, disse o primeiro-ministro, António Costa, em conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros, referindo-se aos concelhos com risco elevado de contágio de covid-19.

Os restaurantes só podem funcionar a partir das 13:00 para entrega ao domicílio, clarificou o primeiro-ministro, e não para ‘take away’, como esperavam os empresários do setor.

António Costa anunciou ainda que haverá um apoio de 20% da perda de receitas dos restaurantes nos dois fins de semana face à média dos 44 fins de semana anteriores (de janeiro a outubro 2020).

Fora da obrigatoriedade de fechar a partir das 13:00 e de abrir apenas a partir das 08:00 estão as farmácias, clínicas e consultórios, veterinários, estabelecimentos de venda de bens alimentares com porta para a rua até 200 metros quadrados, bombas de gasolina, padarias e funerárias.

*com Lusa

Continuar a ler

Braga

Novo líder do PSD Braga ‘abre porta’ à Iniciativa Liberal, mas não ao Chega

Política

em

Foto: DR./ Arquivo

O novo presidente da Comissão Política concelhia de Braga do PSD, João Granja, hoje eleito com o voto de 159 militantes, pondera alargar a Coligação Juntos por Braga (PSD/CDS/PPM) no poder desde 2013, aos partidos Iniciativa Liberal e Aliança, com vista às eleições municipais de 2021.

“Não tencionámos falar com o Chega, quer porque desconhecemos a sua atividade em Braga, quer por discordarmos da sua postura política”, afirmou, em declarações a O MINHO.

Nas eleições que hoje decorreram na sede do partido, em que podiam votar 472 militantes, houve, ainda, sete votos brancos e três nulos. Para a Mesa da Assembleia de Secção, que volta a ser liderada por Américo Afonso, votaram 161 eleitores, registando-se sete votos brancos e um nulo.

Granja, um ex-gestor bancário que já tinha presidido ao órgão durante seis anos, pretende “unir o partido” em torno da recandidatura a um terceiro mandato do atual presidente da Câmara, Ricardo Rio.

“Esta lista é de unidade, para não deixar que as energias dos militante se percam em disputas estéreis”, disse Granja a O MINHO, adiantando que trabalhará para aumentar os resultados não só na Câmara, mas também na Assembleia Municipal e nas freguesias.

João Granja, um gestor bancário que já foi deputado no parlamento e líder concelhio, sendo atualmente o líder dos social-democratas na Assembleia, salienta que, em princípio, se manterá a aliança com o CDS e o PPM, com um acordo a formalizar a partir de janeiro.

Para o mandato de dois anos, promete abrir o partido à sociedade bracarense e à sua juventude, com olhos postos nas questões sociais e nas ambientais.

A Comissão Política tem como número dois, o diretor da Agere, Rui Morais, seguido do jurista João Marques.

A lista tinha como primeiro subscritor o autarca Ricardo Rio, apoio que lhe chega também dos dois vereadores que são militantes, Olga Pereira e João Rodrigues, bem como de todos os presidentes de Junta filiados.

 

Continuar a ler

Populares