Seguir o O MINHO

Braga

Braga quer promover Viola Braguesa nas escolas: “Cuidar do que é nosso”

Viola braguesa, também designada por Viola de Braga

em

Depois de concluído do processo de certificação da Viola Braguesa, o Município de Braga pretende agora levar este instrumento típico do concelho à comunidade escolar. A indicação foi deixada no fim de semana, pelo presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, que marcou presença nas II Jornadas da Viola Braguesa organizadas pelos Amigos da Viola Braguesa e pelo Centro de Estudos Lusíadas da Universidade do Minho, segundo informou a autarquia numa nota enviada a O MINHO.

“A Viola Braguesa marca a identidade da cidade de Braga, a sua história e as suas tradições. E foi por isso que realizámos o processo para a certificação deste instrumento com o objectivo de contribuir para a sua preservação, garantir a sua autenticidade e contribuir para a promoção e projecção da economia local”, afirmou Ricardo Rio, assinalando a importância de levar este instrumento às gerações mais novas.

Neste momento existem já quatro unidades produtivas certificadas e foram emitidas 200 etiquetas de certificação para instrumentos produzidos no concelho. Ricardo Rio lembra que este trabalho foi possível com o contributo de “todos aqueles que querem valorizar a história e o património da cidade”, destacando o contributo dos Amigos da Viola Braguesa, da Universidade do Minho e das escolas de música que continuam a preservar este instrumento.

Foto: DR

Durante as jornadas, o presidente da Câmara Municipal apresentou o livro que reúne o estudo que serviu de suporte ao caderno de especificações e à certificação da Viola Braguesa com o enquadramento histórico e geográfico, o percurso histórico da viola em Portugal, a identificação das matérias primas e do modo de fabrico. Segundo Ricardo Rio, esta obra irá permitir uma maior divulgação e promoção da viola braguesa.

No noroeste português destaca-se uma viola de arame de 10 cordas (5 duplas), de afinação aguda, usada sobretudo na execução e acompanhamento de música tradicional como rusgas, chulas, desgarradas ou desafios, formas musicais bem ritmadas e vivas.

Na zona de Braga desenvolveu-se um núcleo de produção com uma concentração de violeiros significativa estando a cidade inequivocamente ligada a esta produção – daí lhe ter emprestado o nome “Braguesa”.

De fácil execução e boa sonoridade, é talvez a viola tradicional portuguesa mais relevante, não só pelas suas características, mas pelo facto de se ter mantido em uso até aos nossos dias e ser amplamente utilizada na música popular portuguesa.

Populares