Braga empata 3-3 em Barcelos em jogo com final ‘de loucos’

Foto: Gil Vicente / Facebook

Gil Vicente e SC Braga empataram hoje, por 3-3, em jogo de nona jornada da I Liga de futebol, em que os bracarenses ainda conseguiram uma reviravolta no marcador, mas não travaram a crença final dos ‘galos’.

A equipa de Barcelos conseguiu cavar uma vantagem de dois golos, com os tentos de Roko Baturina, aos 21 minutos, e Maxime Dominguez, já aos 58, de grande penalidade, mas os ‘arsenalistas’, mesmo com a expulsão de Niakaté, no lance da grande penalidade, reagiram com golos de Simon Banza (71) e André Horta (78 e 82), a que os locais contrapuseram com o tento final de Roan Wilson (89).

Com este empate, num jogo muito dificultado pelo mau tempo, o Gil Vicente, que vinha de uma derrota (4-2) em Chaves na ronda anterior, segue agora, à condição, no 10.º lugar do campeonato, com 10 pontos.

Já o Braga, que vinha de três vitórias consecutivas na I Liga, e de uma derrota (2-1) na Liga do Campeões, frente ao Real Madrid, cai para a quinta posição, com 17 pontos.

Nesta partida, cedo se percebeu que a forte chuva que se fez sentir em Barcelos ia condicionar a qualidade de jogo, com o Braga tentar antecipar a degradação do relvado e a entrar mais audaz, deixando as primeiras ameaças por Ricardo Horta e Álvaro.

Não se intimidaram os locais, que, aos 21 minutos, numa jogada de insistência, forçaram uma má abordagem do central dos bracarenses Serdar, que perdeu a bola para Roko Baturina, com o ponta lança croata a isolar-se e a mostrar frieza no golo inaugural.

O tento sofrido destabilizou os ‘arsenalistas’, que ainda antes dos 30 minutos voltaram a ter novo calafrio, num cruzamento de Félix Correia, que Baturina, em cima da linha de golo, não conseguiu desviar, valendo a redenção de Serdar, ao afastar oportunamente a bola.

Além dos sustos, o SC Braga sentia dificuldades em lidar com um relvado de contornos pantanosos, que travava as saídas ofensivas e só aos 40 minutos desenhou a oportunidade mais perigosa no primeiro tempo, com Ricardo Horta e Simon Banza, na mesma jogada, a falharem o alvo.

No reatamento, o técnico do SC Braga lançou André Horta para o lugar do inoperante Zalazar, numa mexida que deu mais mobilidade à equipa, espelhada, cedo, num contra-ataque finalizado por Abel Ruiz, que, com a baliza à mercê, atirou por cima.

No entanto, tal como no primeiro tempo, os contra-ataques do Gil Vicente eram letais e, ainda antes hora de jogo, os ‘galos’ capitalizaram novo erro da defesa contrária, desta feita com Niakaté e travar Baturina, na área, quando o croata seguia isolado, numa falta para grande penalidade e que valeu a expulsão do defesa francês do Braga, que Maxime Dominguez converteu no 2-0.

Curiosamente, só quando ficou reduzido a dez unidades o SC Braga apareceu com todo o fulgor no jogo, empurrando o rival para o seu meio-campo e mostrando um futebol mais envolvente.

Não surpreendeu, por isso, que, aos 71 minutos, Simon Banza, aproveitando um ressalto na área gilista, esboçasse um desvio oportuno para o 2-1, relançando o jogo.

Pouco depois, começou o ‘espetáculo’ de André Horta, a justificar a aposta ao operar a reviravolta no espaço de quatro minutos, primeiro num livre rasteiro (78) e depois num remate traiçoeiro (82), em lances em que o guarda-redes gilista Vinícuis Dias podia ter feito bem melhor.

Apesar de abalados emocionalmente pela resposta do adversário, os comandados de Vítor Campelos não ‘atiraram a toalha ao chão’ e, aproveitando um Sporting de Braga moldado com homens de características ofensivas, foram criando desequilíbrios, até resgatarem o empate, aos 89 minutos, pelo recém entrado Roan Wilson, num jogada de insistência que fixou um justo 3-3 final.

Resumo

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Cidade de Barcelos, em Barcelos.

Gil Vicente – SC Braga, 3-3.

Ao intervalo: 1-0.

Marcadores

1-0, Roko Baturina, 21 minutos.

2-0, Maxime Dominguez, 58 (grande penalidade)

2-1, Simon Banza, 71.

2-2, André Horta, 78.

2-3, André Horta, 82.

3-3, Roan Wilson, 89.

Equipas

– Gil Vicente: Vinicius Dias, Zé Carlos (Roan Wilson, 86), Gabriel Pereira, Rúben Fernandes, Leonardo Buta, Pedro Tiba (Murilo, 86), Martim Neto (Mory Gbane, 74), Maxime Doniguez (Marlon Douglas, 67), Fujimoto (Miguel Monteiro, 86), Roko Baturina e Félix Correia.

(Suplentes: Brian Aráujo, Kiko Pereira, Marlon Douglas, Roan Wilson, Moru Gbane, Miguel Monteiro, Felipe Silva, Thomas Luciano e Murilo).

Treinador: Vítor Campelos.

– SC Braga: Matheus, Joe Mendes (Ronny Lopes, 73), Serdar, Niakaté, Cristian Borja (Pizzi, 81), Al Musrati (Vítor Carvalho, 58), Álvaro Djaló (João Moutinho, 81) Zalazar, Ricardo Horta (André Hora, 46), Simon Banza e Abel Ruiz.

(Suplentes: Lukas Hornicek, José Fonte, André Horta, Vítor Carvalho, Adrián Marín, Ronny Lopes, Pizzi, João Moutinho e Diogo Fonseca).

Treinador: Artur Jorge.

Árbitro: Hélder Malheiro (AF Lisboa).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Zé Carlos (34), Rúben Fernandes (43), Niakaté (55), Gabriel Pereira (70), Abel Ruiz (70), Álvaro Djaló (74) e Pedro Tiba (90+6)(no banco).

Assistência: 5.504 espetadores.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Dezenas de famílias na principal avenida de Braga estão sem água desde ontem

Próximo Artigo

Três crianças intoxicadas por causa de esquentador em Braga

Artigos Relacionados
x