Redes Sociais

Braga

Braga. Arquidiocese recorre de sentença de litígio com a Câmara no Picoto

 a

Foto: DR/Arquivo

O advogado Miguel Teixeira e Melo, da Arquidiocese de Braga da Igreja Católica, recorreu para a “Relação de Guimarães” da decisão do Tribunal Cível que deu razão à Câmara num pleito sobre a posse de um terreno de 19 mil metros quadrados, da antiga Quinta da Mitra, no monte do Picoto, que os peritos avaliam em 403 mil euros. 

A sentença reconhece, no entanto, que o Município ocupou mais 991 m2 do que a área que expropriou à Igreja por utilidade pública para o projeto urbano do Picoto, obrigando-o a pagar-lhe 13.881 euros.

O jurista argumenta que, em 1979 a Câmara reconheceu, explicitamente, que o terreno pertencia à Mitra que nela cortava matos, autorizava a sua ocupação por terceiros, e pagava os impostos. Ou seja, o terreno era eclesiástico por usucapião.

O advogado municipal, Fernando Barbosa e Silva contra-alegou: “o prédio nunca foi da diocese e, sobretudo, não lhe pertencia em 1910 quando a Primeira República expropriou os terrenos da Igreja.

O litígio, que surgiu no mandato anterior com o projeto para a zona, prende-se com a devolução pelo Estado Novo, em 1946, da Quinta da Mitra (194.346 m2) que havia sido expropriada à Igreja em 1911.

O documento de entrega dos terrenos pela então Fazenda Pública refere-se ao local, sublinhando que o mesmo – à data propriedade de um casal mas que não integrava a Quinta – havia sido trocado pela Câmara, em 1922, por um outro, da Mitra, no sopé do Picoto. Transação que foi registada notarialmente. Ou seja: o Estado Novo devolveu a Quinta mas sem uma parcela, no cume, que ficou na posse da Câmara. O que a Igreja nunca aceitou.

Em 2015, a Câmara fora já condenada a pagar 1,1 milhões de euros à Igreja pela expropriação de terrenos no mesmo monte.

Mesquita Machado e Cónego Melo “de braço dado”

No julgamento, o ecónomo da Arquidiocese, Cónego Fernando Monteiro revelou, enquanto testemunha, que foi o falecido Cónego Eduardo Melo quem obstou a que a Igreja pusesse uma ação contra a Câmara por causa da ocupação ilegal de terrenos no Picoto, para a construção, em meados da década de 80 do século 20, de um bairro social: “o Cónego Melo era, assim, como que um “factotum” (feitor) que, andava muitas vezes de braço dado com Mesquita Machado. Intercedeu junto do então Arcebispo, D. Eurico Dias Nogueira dizendo-lhe que uma ação contra a Câmara seria um escândalo e que poderia levar à perda de mandato” do ex-autarca socialista.

Esclareceu que a decisão de ir para Tribunal tinha sido tomada no Conselho de Economia, frisando que o ecónomo de então, Monsenhor Domingos Coutinho, ficou “muito zangado” com o recuo do prelado, até porque o Município ocupou o terreno sem ter dialogado com a Igreja.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

Paraquedista espanhol ferido após cair fora do aeródromo em Braga

Publicado

 a

Aeródromo Municipal de Braga. Foto: O MINHO (via Google Earth)

Um paraquedista espanhol ficou ferido, este sábado, após ter aterrado fora do Aeródromo de Braga, em Palmeira.

O homem de 25 anos caiu num campo de cultivo e sofreu ferimentos considerados ligeiros, nas pernas, avança o jornal “Correio da Manhã”.

Os Bombeiros Voluntários de Braga e uma VMER do INEM estiveram no local.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Braga

Jovem bailarina de Braga em destaque em concurso da RTP

A imagem do curioso e “supreendente” momento foi partilhada por Ricardo Costa, conhecido empresário da cidade e orgulhoso pai da promessa bracarense.

Publicado

 a

Foto: Imagens da RTP

A jovem bailarina Carolina Costa, que completou 12 anos no passado dia 21 de outubro, esteve esta sexta-feira em destaque num concurso televisivo transmitido em prime time, ao ser incluída numa das perguntas colocadas a um concorrente. Foi no programa “Joker”, da RTP, transmitido esta sexta-feira à noite.

Na pergunta escolhida pela produção, a concorrente foi questionada acerca do número de medalhas conquistadas pela jovem no último Dance World Cup, que decorreu em junho passado.

Lara Machado e Carolina Costa. Foto: Arquivo

A pequena bailarina, na altura com onze anos, conquistou quatro medalhas de ouro e uma de prata, nas finais mundiais, que tiveram lugar em Barcelona, ao longo de uma semana, e onde a colega Lara Machado, de 14 anos, natural e residente em Carreiras São Miguel, Vila Verde, terminou com cinco medalhas de ouro, três de prata e uma de bronze.

MAIS NOTÍCIAS: Sobre Carolina Costa | Sobre Lara Machado

Segundo a organização, Carolina Costa “teve uma participação histórica”, uma vez que nas suas seis coreografias conquistou as cinco referidas medalhas, naquele que é o maior concurso mundial e que já no próximo ano se realizará em Braga.

A bailarina bracarense, agora aluna do Conservatório Internacional de Dança Annarella Sanchez, em Leiria, disse, a O MINHO, à chegada de Barcelona, que “o resultado foi fantástico, apesar do pouco tempo que tive para aprender e ensaiar as coreografias que dancei, porque foram só seis dias para eu aprender seis coreografias, mas valeu bem a pena este esforço”.

“Para isso muito contribuiu a forma como fui recebida por todos os meus colegas de conservatório, a quem agradeço do fundo do coração todo o trabalho desenvolvido pelos professores, que é sem dúvida de excelência”, salientou.

O programa “Joker”, que já foi para o ar quarenta vezes, é apresentado pelo popular apresentador Vasco Palmeirim, que também é conhecido por participar no programa das manhãs da Rádio Comercial, e está disponível online no site da RTP, durante os próximos sete dias.

Sinopse do Programa

Vasco Palmeirim, apresentador de “Joker”. Foto: Divulgação / RTP

“Cada pergunta tem quatro hipóteses de resposta. Por cada resposta correta, o concorrente sobe um patamar na árvore do dinheiro, até atingir o sétimo e último patamar da árvore, no valor de 50 mil euros. Quando lá chegar, deve tentar manter-se no topo, respondendo acertadamente às perguntas, de modo a assegurar o prémio máximo.

O concorrente tem um trunfo na manga: o seu acompanhante, que o vai auxiliar nas rondas especiais: Ronda Bónus e Super Joker. Ao fim de quatro perguntas, o concorrente tem a hipótese de ganhar 1 ou 2

Jokers extra na Ronda Bónus. Seguem-se mais quatro perguntas e terá de novo a oportunidade de ganhar mais dois Jokers extra, numa segunda Ronda Bónus, para enfrentar as quatro derradeiras perguntas. O acompanhante desempenha ainda um papel fundamental no Super Joker, onde dá o seu contributo numa única pergunta do jogo”.RTP.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Póvoa de Lanhoso

Homem morre em acidente de trator em Póvoa de Lanhoso

Publicado

 a

Foto: CMTV

Um homem morreu ao princípio da manhã deste sábado, em acidente com um trator, que capotou numa aldeia do concelho da Póvoa de Lanhoso.

A vítima, de 46 anos, teve morte quase imediata, na localidade de Várzeas, da freguesia de Sobradelo da Goma, Póvoa de Lanhoso, quando descia com o trator, adquirido há cerca de duas semanas, por uma estrada empedrada, entre a Avenida de Várzeas e a Rua de Belmonte, pouco depois das nove horas da manhã.

Segundo as primeiras informações obtidas por O MINHO, primeiro o condutor embateu num muro e depois entrou em despiste, tendo o trator capotado, causando morte imediata.

Os Bombeiros Voluntários da Póvoa de Lanhoso, mais a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do INEM de Braga estiveram no local, mas não foi possível salvar a vida à vítima, operário da construção civil, que aos fins de semana se dedica à lavoura.

O Posto Territorial da GNR da Póvoa de Lanhoso e o Núcleo de Investigação Criminal de Acidentes de Viação (NICAV) do Comando da GNR de Braga estiveram no local não só a registar a ocorrência, como a fazer averiguações, por se tratar de um acidente mortal.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Populares