Seguir o O MINHO

Braga

Braga apoia em 800 mil euros (com diminuição de taxas) comércio e restauração

Covid-19

em

Foto: Facebook / Arquivo

800 mil euros. É este o valor global da descida das taxas, anunciada esta terça-feira pelo presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, aplicadas em novembro e dezembro pela empresa municipal AGERE, ( taxas de água e de saneamento em favor dos restaurantes e do comércio).

O anúncio foi feito, esta tarde, durante uma reunião entre o autarca e a União de Restaurantes do Minho. No final, o líder da União Tiago Carvalho manifestou-se satisfeito com os novos apoios concedidos pela Autarquia e com o pacote de medidas a implementar pela AGERE.

“Isenção das tarifas de disponibilidade de água e saneamento e isenção da tarifa fixa de resíduos aos clientes não domésticos cuja quebra de faturação no período de abril a outubro de 2020, em comparação ao período homologo de 2019, seja superior a 25%. Redução em 50% do valor das tarifas de disponibilidade de água e saneamento e redução em 50% da tarifa fixa de resíduos aos clientes não domésticos cuja quebra de faturação no período de abril a outubro de 2020, em comparação ao período homologo de 2019, até a 25%. Isenção da componente de disponibilidade de água e saneamento aos consumidores sociais não domésticos”.

O pacote, que não envolve os consumos, aplica-se aos meses de novembro e dezembro, que são pagos em dezembro e janeiro.

Aos jornalistas, Tiago Carvalho salientou que, além das isenções para 2021 de taxas como as das esplanadas, a Câmara prometeu fazer um estudo sobre a realidade do setor, dirigido pela empresa municipal InvestBraga: “considerámos isto essencial para a sua evolução e para a quantificação do que significa para a economia local”.

Os empresários “compreendem e aceitam” que a Câmara não crie um fundo especial para apoiar os restaurantes a fundo perdido – tal como sucedeu em Lisboa – “já que são conhecidos os grandes investimentos financeiros que teve de fazer em 2020 por causa da pandemia em prol dos municípes”.

Da reunião saiu, ainda, a decisão de se trabalhar em conjunto em termos de animação – cultural e turística – em 2021, de forma, por exemplo, a melhorar a iniciativa «Braga de Portas abertas» que ocorreu este ano.

Os restaurantes voltam a reunir-se a 14 de dezembro em assembleia para eleger uma comissão instaladora e votar os estatutos: “esperámos já contar com colegas de outros concelhos, como Famalicão, Vila Verde, Amares e Barcelos”, referiu.

Populares