Seguir o O MINHO

SC Braga

Braga admite possibilidade de construir novo estádio

Contrato de cedência do Estádio Municipal de Braga terminará em dezembro de 2033

em

Estádio 1.º Maio. Foto: O MINHO/Arquivo

O SC Braga pondera construir um novo estádio, que, se a autarquia local “cooperar”, pode nascer onde se localiza o Estádio 1.º de Maio, informaram hoje os ‘arsenalistas’ em comunicado.

Em fevereiro, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, anunciou que a edilidade vai fazer um referendo local sobre a venda do Estádio Municipal de Braga, recinto construído para o Euro2004 e, desde então, ‘casa’ da equipa de futebol dos minhotos.

Essa possível alienação “foi motivo de várias reflexões por parte do Conselho Geral e dos demais órgãos sociais” do SC Braga, reunidos no passado sábado.

Nessa reunião, segundo um comunicado do SC Braga, o líder ‘arsenalista’, António Salvador, falou “sobre o futuro pós período de vigência do contrato de cedência, que terminará em dezembro de 2033” e alertou “para a necessidade de, desde já, começar a promover uma discussão alargada com os sócios a propósito da possível construção de um novo estádio, obra vital para o futuro do SC Braga”.

“Esse novo complexo, propriedade do SC Braga, seria mais pequeno (cerca de 20.000 lugares), com uma localização central, funcional, ‘business-oriented’ e adaptado às necessidades do clube e dos seus adeptos. No entanto, este tema dependerá sempre da vontade dos sócios, independentemente da direção que estiver a presidir, no futuro, o Clube/SAD”, pode ler-se.

António Salvador referiu ainda “que se a câmara municipal o entender e cooperar com o SC Braga em relação a este tema, cedendo em definitivo o Estádio 1.º de Maio, a construção do novo complexo poderá ser executada naquele local, nos moldes acima referidos”.

As duas condições da Câmara para que o Braga possa construir um novo estádio no 1.º de Maio

A reunião do Conselho Geral e dos restantes órgãos sociais do clube e da SAD serviu para dar a conhecer os termos da minuta final aprovada recentemente pela Assembleia Municipal para outorga do contrato de constituição do direito de superfície entre município e clube no âmbito da segunda fase da cidade desportiva do SC Braga, assim como os termos do protocolo entre clube e SAD para a utilização da estrutura.

Entre outros pontos, e “tendo em conta a putativa venda do Estádio Municipal e que os dois campos de treinos anexos ao mesmo o poderiam acompanhar, foi solicitado que os mesmos fossem incluídos na constituição do direito de superfície”, de forma a “proteger a Cidade Desportiva de qualquer vicissitude que venha a ocorrer no âmbito do Estádio Municipal”.

Anúncio

Futebol

SC Braga: As promessas de Rúben Amorim (e as explicações de Salvador) na apresentação

Novo treinador apresentado

em

Foto: Divulgação / SC Braga

Imagens: NEXT / SC Braga

O novo treinador do SC Braga, Rúben Amorim, prometeu hoje “uma matriz de jogo diferente” para a equipa de futebol, oitava classificada da I Liga, frisando o desejo de criar uma “identidade forte”.

“O objetivo passa muito por criar uma identidade, a equipa vai ter algo que não teve, pontos fortes muito claros. Tive grandes treinadores e professores e quero transportar o que penso do jogo para a minha equipa, criar uma identidade profunda e que seja transversal às camadas mais jovens. Aproveitar também a cidade desportiva, os jogadores que nasceram aqui e sentem o clube de forma diferente”, disse, durante a conferência de imprensa de apresentação.

Para Rúben Amorim, que transita da equipa B, que orientava desde meados de setembro, não há competições prioritárias: “Temos o objetivo de vencer as competições, mas a prioridade é vencer o Belenenses [em 04 de janeiro], porque é importante começar um novo ciclo com vitórias, cimentar a tal identidade e projetar jogadores da equipa B”.

“Temos um plantel até longo de mais, poderá haver ajustes, entradas não, mas temos um bom plantel, vamos jogar sempre para vencer. Numa semana, uns podem jogar na Liga Europa, e, em outra, outros no campeonato, temos plantel para isso. Há jogadores com muito talento, como Xadas e Trincão, que têm que ser aproveitados e lançados, vamos arriscar”, defendeu.

Rúben Amorim disse ainda ter sido influenciado pelos vários treinadores que teve na carreira de futebolista, mas destacou alguns, em especial Jorge Jesus, com o qual passou sete anos.

“Obviamente, ficaram muitas coisas [de Jorge Jesus], como a exigência, não a forma de estar, porque somos completamente diferentes. Mas também Leonardo Jardim, José Peseiro, Carlos Queiroz ou Paulo Bento, todos foram meus professores. Mas tenho uma identidade minha. O sistema é irrelevante, mas eles vão saber o que fazer com e sem bola”, disse.

O presidente do SC Braga, António Salvador, disse ter escolhido Rúben Amorim pelo “conhecimento e capacidade” do treinador, não hesitando em dizer “que será um dos grandes treinadores que o Braga projeta para o futebol internacional, como tantos outros”.

O dirigente destacou ainda “as qualidades de Rúben Amorim no treino, na relação com o grupo e na preparação dos jogos” como os principais atributos do novo técnico, de 34 anos, desejando que possa ser o intérprete do “grande salto no crescimento do clube”.

António Salvador disse ainda que, no Braga, não se julga funcionários e colaboradores pela idade, mas pelo valor: “Tornei-me presidente deste clube aos 32 anos, num período de grandes dificuldades”, lembrou.

Questionado sobre as razões do despedimento de Ricardo Sá Pinto, António Salvador frisou que, para treinar o SC Braga, é necessário cumprir “três pilares: ganhar, praticar bom futebol e valorizar os jogadores e a nossa formação”.

“Entendemos que este foi o momento certo para o Rúben Amorim ser o nosso treinador. Jogou na Liga dos Campeões [pelo Sporting de Braga], ganhou uma Taça da Liga, sabe da exigência deste clube”, disse.

Questionado sobre a ambição de ser campeão nacional até 2021, ano do centenário do clube, e se será com Rúben Amorim que pensa consegui-lo, António Salvador frisou que isso “não é uma promessa, mas um desejo, um sentimento”.

“Mas as coisas são cada vez mais difíceis, a diferença de recursos e o fosso para os três principais clubes do campeonato é cada vez maior. O dinheiro não faz ganhar, mas ajuda a ter os melhores jogadores. Mas é a vontade, o querer e o empenho para fazermos coisas que não imaginávamos que conta, como ir à final da Liga Europa ou lutar pelo título. [Em 2009/10] Considero que fomos campeões, mas passaram-se coisas estranhas e não fomos porque alguém não deixou ser”, disse.

Rúben Amorim vai ter na equipa técnica os adjuntos Micael Sequeira (um regresso ao clube), Adélio Cândido, Carlos Fernandes, Jorge Vital e Orlando Silva.

Continuar a ler

Futebol

Rúben Amorim é o novo treinador do SC Braga

Assume equipa em 8.º na I Liga

em

Foto: Divulgação / SC Braga (Arquivo)

Rúben Amorim é o novo treinador do SC Braga, tendo assinado contrato por dois anos e meio, revelou hoje à agência Lusa fonte oficial do clube minhoto, oitavo classificado da I Liga de futebol.

O técnico, que orientava a equipa B do SC Braga, substitui Ricardo Sá Pinto, afastado hoje do cargo de treinador dos ‘arsenalistas’, em conjunto com os adjuntos Rui Mota e Guilherme Gomes.

Rúben Amorim, de 34 anos, antigo jogador internacional português e que representou, entre outros clubes, Benfica e SC Braga, assume pela primeira vez o comando técnico de uma equipa da I Liga, tornando-se o 18.º treinador de António Salvador enquanto presidente dos bracarenses.

O líder ‘arsenalista’ dispensou Ricardo Sá Pinto menos de 24 horas depois da vitória, fora, do sobre o Paços de Ferreira, por 4-1, que carimbou a passagem à ‘final four’ da Taça da Liga, que vai disputar-se em Braga, de 22 a 25 de janeiro do próximo ano.

SC Braga despede Sá Pinto

Sá Pinto esteve menos de seis meses no cargo, depois de ter sido apresentado em 04 de julho, poucos dias após a saída de Abel Ferreira para os gregos do PAOK.

Rúben Amorim, que treinava a equipa B do SC Braga no Campeonato de Portugal, o equivalente ao terceiro escalão do futebol nacional, desde meados de setembro, tem ainda uma curta carreira como treinador.

O antigo médio internacional português, que jogou no SC Braga durante duas épocas (2011/12 e 2012/13), teve uma experiência breve no Casa Pia, em 2018/19.

Presidente da SAD do SC Braga desde fevereiro de 2003, António Salvador já trabalhou com quase duas dezenas de treinadores, o primeiro dos quais o espanhol Fernando Castro Santos que, contudo, foi rapidamente substituído por Jesualdo Ferreira, o mais recente treinador dos brasileiros do Santos, verdadeiramente, a primeira escolha do dirigente.

Depois vieram Carlos Carvalhal, Rogério Gonçalves, Jorge Costa, António Caldas (interino), Manuel Machado, Jorge Jesus, Domingos Paciência, Leonardo Jardim, José Peseiro, novamente Jesualdo Ferreira, Jorge Paixão, Sérgio Conceição, Paulo Fonseca, de novo José Peseiro, Jorge Simão, Abel Ferreira, Ricardo Sá Pinto e, agora, Rúben Amorim.

Com 14 jornadas cumpridas na I Liga, Ricardo Sá Pinto deixa a equipa no oitavo lugar, com 18 pontos, e apurada para os 16 avos de final da Liga Europa, com um percurso sem derrotas, em que bateu um recorde das equipas portugueses (vai em 13 jogos europeus consecutivos sem perder, 10 deles esta temporada).

Na Taça de Portugal, os minhotos foram eliminados nos oitavos de final pelo Benfica, no Estádio da Luz, com uma derrota por 2-1, e, na Taça da Liga, qualificaram-se para a ‘final four’, com FC Porto, Sporting e Vitória de Guimarães, que vai disputar-se no seu estádio, no final de janeiro de 2020.

O plantel do SC Braga vai regressar aos trabalhos, após a pausa natalícia, em 27 de dezembro, sexta-feira, já sob o comando de Rúben Amorim, que assinou um contrato por dois anos e meio.

 

Notícia atualizada às 16h17 com mais informação.

Continuar a ler

Futebol

SC Braga despede Sá Pinto

Treinador deixa clube em 8.º na I Liga

em

Foto: Divulgação / Arquivo

Ricardo Sá Pinto foi hoje afastado do cargo de treinador do SC Braga, em conjunto com a restante equipa técnica, anunciou hoje o clube minhoto, oitavo classificado da I Liga portuguesa futebol.

“A SC Braga SAD comunica a rescisão do contrato do treinador da equipa principal de futebol, Ricardo Sá Pinto, assim como dos seus adjuntos Rui Mota e Guilherme Gomes. O Braga agradece a Sá Pinto e à sua equipa técnica o empenho e a dedicação com que serviram este símbolo, não podendo deixar de registar os bons momentos vividos, em especial na Liga Europa”, informa o sítio oficial dos minhotos na Internet.

No mesmo comunicado, o SC Braga revelou que “a constituição da nova equipa técnica será anunciada antes do regresso do plantel aos trabalhos”, que está agendado para 27 de dezembro.

Sá Pinto, de 47 anos, chegou ao Sporting de Braga no início da temporada, para substituir Abel Ferreira, que saiu para o PAOK Salónica, da Grécia.

Rúben Amorim é o novo treinador do SC Braga

Apesar da boa campanha na Liga Europa, com o apuramento para os 16 avos de final e um registo de oito vitórias e apenas dois empates (um nos ‘play-offs’ e outro na fase de grupos), o Braga esteve muito irregular no campeonato, seguindo no oitavo lugar, em igualdade pontual com Boavista, nono, e Tondela, 10.º.

Em 14 jornadas com Sá Pinto ao ‘leme’, os bracarenses somaram cinco vitórias, três empates e seis derrotas na I Liga, enquanto na Taça da Portugal foram eliminados nos oitavos de final pelo Benfica, ao perderem por 2-1.

O afastamento do antigo avançado internacional português surge um dia depois da goleada imposta no estádio do Paços de Ferreira (4-1), que valeu o apuramento para a ‘final four’ da Taça da Liga.

Além de SC Braga, Sá Pinto conta ainda no currículo com passagens pelo Sporting, Estrela Vermelha (Sérvia), OFI Creta e Atromitos (ambos da Grécia), Belenenses, Standard Liège (Bélgica) e Legia Varsóvia (Polónia).

 

Notícia atualizada às 12h47 com mais informação.

Continuar a ler

Populares