Seguir o O MINHO

Braga

Bloco de Esquerda apresenta pela primeira vez candidatura à Câmara de Vila Verde

Eleições autárquicas

em

Ricardo Cerqueira, Alexandra Vieira e Gorete Pimentel. Foto: Bloco de Esquerda

O Bloco de Esquerda vai concorrer pela primeira vez às eleições autárquicas em Vila Verde. Gorete Pimentel é a candidata à presidência da Câmara e Ricardo Cerqueira o cabeça de lista à Assembleia Municipal.

Gorete Pimentel, 50 anos, enfermeira obstetra, é dirigente distrital do Bloco de Esquerda, presidente do SITEU (Sindicato Independente de Todos os Enfermeiros Unidos) e membro do INN (International Nursing Network).

Ricardo Cerqueira, 40 anos, professor de Guitarra no Conservatório de Música do Porto, ativista social e dirigente do SPN (Sindicato dos Professores do Norte).

Na apresentação da candidatura, Gorete Pimentel começou por afirmar que a decisão de apresentar candidatura foi algo refletido e ponderado, e, em consonância com o mote da candidatura, “Com Coragem”, uns dos principais objetivos é que os e as vila-verdenses “deixem de sentir medo de fazerem parte da alternativa de esquerda”.

A candidata do Bloco de Esquerda identificou problemas, desde transportes insuficientes que afastam a periferia do centro do concelho, o aumento dos custos da habitação, e, enunciou propostas para Vila Verde passando por uma “melhor gestão dos dinheiros públicos que permita resolver os problemas da habitação e dos transportes em Vila Verde”, criação de uma rede de creches municipais, garantir serviço de água e saneamento básico a todo o concelho, e fomentar a economia de proximidade, em especial no que toca à agricultura.

Ricardo Cerqueira considera que “é imperioso, até pelo receio das pessoas de se afirmarem à esquerda, apresentar candidatura”, e relativamente à Assembleia Municipal refere que “queremos que as assembleias municipais sejam um espaço mais amplo para as ideias das pessoas” e que haja uma “eficaz comunicação do que é decidido na Assembleia Municipal, a população deve ser informada e as decisões da assembleia devem ser seguidas”.

Ricardo terminou a intervenção referindo a importância da cultura, referindo que “é necessário que Vila Verde não abdique das atividades culturais e que as associações culturais locais sejam devidamente apoiadas”.

Na intervenção inicial, a deputada e dirigente distrital do Bloco de Esquerda, Alexandra Vieira, focou os 3 pontos essenciais da candidatura apresentada pelo Bloco de Esquerda, a habitação devido ao aumento dos preços de arrendamento, os transportes e a insuficiência atual neste serviço no concelho de Vila Verde e a necessidade de transparência e “de maior abertura para os vilaverdenses darem a sua opinião sem receios”.

No fim da intervenção felicitou os bloquistas de Vila Verde por, pela primeira vez existir uma candidatura do Bloco de Esquerda, que possa ajudar a criar “um concelho mais justo, solidário e inclusivo”.

Populares