Seguir o O MINHO

Região

Biólogo defende plano ibérico de gestão das populações de urso-pardo

Um urso pardo foi avistado no Parque Natural de Montesinho, no início de maio

em

Foto: DR

O investigador da Universidade de Aveiro (UA) Carlos Fonseca defendeu hoje um plano ibérico de gestão e conservação das populações de urso pardo que reúna dados sobre a biologia e ecologia da espécie.

“As notícias dos últimos dias sobre o reaparecimento do urso pardo em Portugal vêm reforçar a necessidade da definição e implementação de estratégias transfronteiriças ao nível da gestão e conservação de espécies selvagens”, declarou o biólogo à agência Lusa.

Carlos Fonseca é o coordenador científico de um projeto luso-espanhol em que uma equipa do Departamento de Biologia da UA, em conjunto com o Fondo para la Protección de los Animales Salvages (FAPAS), “está há três anos a monitorizar a população de ursos da Cordilheira Cantábrica, nomeadamente da subpopulação ocidental, usando como ferramenta a genética”.

Diversos vertebrados selvagens “partilham o espaço transfronteiriço”, entre Portugal e Espanha, incluindo ungulados como a cabra-montês, o veado, o corço e o javali, carnívoros como o lobo-ibérico e o lince-ibérico, e várias aves, designadamente a águia-imperial-ibérica, o abutre-preto e a águia-de-bonelli.

“A presença do urso pardo em Portugal, confirmada pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, tem de ser encarada de uma forma prudente e responsável, uma vez que deverá tratar-se de um episódio de incursão em território nacional de um urso dispersante, com um comportamento errático, provavelmente um animal jovem, proveniente de uma das subpopulações da Cordilheira Cantábrica, e que, também provavelmente, já terá regressado ao território espanhol”, afirmou.

Segundo Carlos Fonseca, “esta informação só deverá ser conhecida após a análise genética de alguns indícios de presença deste animal explorador e da monitorização regular e sistemática realizada pelas equipas espanholas e portuguesas”.

O projeto, além de fornecer dados demográficos detalhados sobre a população de ursos pardos no território cantábrico, “vai dando informação sobre a dispersão dos animais, estando demonstrada a sua dispersão para sul, podendo estar o norte de Portugal na rota de expansão desta espécie”.

Na sua opinião, contudo, “dificilmente haverá a possibilidade do estabelecimento de uma população viável de ursos pardos” em Portugal, devido “à fragmentação do território e à pequena extensão de ecossistemas favoráveis” a este animal selvagem.

O especialista, que é também coordenador da Unidade de Conservação e Gestão de Vida Selvagem da UA, preconizou “um plano ibérico de gestão e conservação das populações de urso pardo, no qual devem ser incorporados dados sobre a biologia e a ecologia desta espécie, mas também programas de informação e sensibilização dirigidos à sociedade em geral e à população local em particular”, incluindo proprietários, apicultores e turistas.

Os dois países deverão seguir uma estratégia deste tipo, “de modo a que episódios como o que ocorreu recentemente no nordeste transmontano não se tornem fontes de alarmismos desnecessários ou de atração inadequada”, disse Carlos Fonseca à Lusa.

Um urso pardo foi avistado no Parque Natural de Montesinho, no início de maio, tendo causado danos num apiário da região.

Anúncio

Barcelos

Mulher em estado grave após despiste em Barcelos

Mistura de chuva e barro alegadamente na origem do despiste

em

Foto cedida a O MINHO por Miguel Gonçalves

Uma mulher, com cerca de 70 anos, ficou com ferimentos considerados graves na sequência de uma colisão lateral ao final da manhã deste sábado, na Estrada Nacional 205, em Ucha, Barcelos.

Foto cedida a O MINHO por Miguel Gonçalves

De acordo com testemunhas no local, uma das viaturas envolvidas seguia no sentido Prado-Barcelos quando terá entrado em despiste, alegadamente devido ao estado escorregadio do piso [mistura de chuva e barro], indo embater lateralmente contra um carro que seguia no sentido contrário.

Foto cedida a O MINHO por Vítor Vasconcelos

Ao que O MINHO apurou, a vítima em estado grave seguia na outra viatura, no lugar do pendura, tendo ficado encarcerada. O condutor dessa mesma viatura, marido da vítima que ficou em estado grave, sofreu ferimentos considerados ligeiros. Ambos têm idades perto dos 70 anos.

Ao local deslocaram-se os Bombeiros de Barcelos com viatura de desencarceramento, VMER de Barcelos e INEM de Barcelos.

A GNR registou a ocorrência cujo alerta foi dado pelas 12:42 deste sábado.

Pelas 13:46, o trânsito encontra-se condicionado naquela estrada em ambos os sentidos.

Continuar a ler

Braga

Idosa desaparecida no monte em Braga encontrada com vida

Encontrada em Esporões

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

A mulher de 83 anos que estava desaparecida desde a passada quinta-feira, em Morreira, Braga, foi esta manhã encontrada com vida, disse a O MINHO fonte dos Bombeiros Voluntários de Braga.

A idosa, que se tinha desorientado enquanto percorria um caminho florestal, naquela região junto aos sacromontes de Braga, acabou por ser encontrada pelos Bombeiros, tendo já sido encaminhada para o Hospital de Braga.

A mesma fonte indicou que a idosa “está livre de perigo”.

Continuar a ler

Guimarães

Colisão em Guimarães faz três feridos

EN 105

em

Foto: Ana Mendes

Três pessoas ficaram feridas na sequência de uma colisão rodoviária, ao início da manhã deste sábado, em Conde, Guimarães.

O sinistro deu-se na Estrada Nacional 105, pouco depois das 8:00 horas desta manhã.

Ao local acorreram os Bombeiros de Vizela com três ambulâncias.

As vítimas sofreram ferimentos ligeiros e foram transportadas para o Hospital de Guimarães.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Populares